ENXURRADAS DE ÉTICA…

(Joaquim Vassalo Abreu, 03/12/2018)

vassalo2

Rui Rio afirmou em tempo algures, do alto da sua auto-afirmada integridade, que o seu peso sendo medido não em quilos mas em sólida Ética, se equipararia em densidade ao mais valioso elemento químico da Tabela Periódica…Nada nem ninguém poderia ousar a ele se equiparar, nem mesmo aquele que disse que para se ser como ele seria necessário nascer duas vezes…

E assim, do mais elevado expoente da sua superioridade Ética, alvitrou que seria necessário dar aos políticos Portugueses um “banho de Ética” ou então que deveriam “tomar um banho de Ética”, mas este bem gelado, assim como fazem aqueles malucos dos russos depois da sauna, para assim enrijecerem os seus músculos de “Moral”…

De modo que, em jeito de ensinar a esses políticos que por aí pululam como se faz, todos eles mais que carenciados de Ética, resolveu com a inestimável, prestimosa, aduladora, pronta e obediente colaboração da sua companheira e súbdita de Partido Ana Rita Cavaco, presidente da Ordem dos Enfermeiros, lançar uma enxurrada de Ética sobre a luta dos Enfermeiros….

E os seus múltiplos Sindicatos, já mais que valorizados em Moral e com Ética já a extravasar, resolveram bombear ou bombar todo o seu conteúdo sobre os Blocos Operatórios dos Hospitais, de tal modo que, para fugirem àquela enxurrada de Ética, as Enfermeiras(os) resolveram fugir das operações já programadas…E mais disseram que estas jamais seriam recuperadas e porquê? Porque as enxurradas tudo levaram…

Poderão os meus queridos Amigos pensar: este “gajo” deve estar é a gozar connosco e a brincar com coisas sérias! Mas eu juro que não e juro mais ainda: eu não absorvo nada das “Fake News” e não peroro sobre o que li ou não li: apenas falo e extrapolo sobre o que (dos próprios) ouvi!

E quando ouvi da dita “Cavaco”, membro do Conselho Nacional do PSD, que esta Greve e este modo de luta tinham sido decididos por ela e aprovados em sede do seu Partido pelo seu Presidente Rui Rio eu pasmei e até fui ao dicionário relembrar o significado de Ética! E facilmente concluí serem esta Greve e esta forma de luta não Laborais mas sim Politicas! Para além de imorais…

E assim sendo, tratando-se de uma Greve eminentemente política e estando em causa vidas humanas, fico confuso e mesmo com emaranhados de perplexidade na minha tola, quando constato que do Senhor Presidente da Republica, agora transformado em homem dos “recados”, nem uma palavra tenha ainda saído acerca do que se passa nos Hospitais. E que nem um simples apelo ao bom senso lhe surja…Tal como na questão dos Estivadores!

Mas que, ao mesmo tempo, tão preocupado esteja com a situação a que chegou a nossa Imprensa, uma Imprensa transformada num vazadouro de lavadura e numa imensa pocilga…E esteja preocupadíssimo com o futuro de quem, desta forma, não tem futuro! Mas não o preocupa o conteúdo do que publica, preocupa-o sim a sua situação financeira…E sugere nos preocupemos e ponderemos a nossa, de todos, ajuda…assim como se fosse como ir a um supermercado e deixar lá um kilito de feijão…

E nessa amálgama de neurónios em que se transformou o meu cérebro, totalmente desconjuntado de tudo o que seja ordem e prioridade, dou por mim a pensar em coisas que só podem ser anacrónicas, como: E se tudo isto for uma questão de táctica politica?

E surge-me a pergunta: Estaremos nós perante uma encapotada solidariedade politica em tratando-se do seu Partido? Até me dão tremores pensando nisso. Estará ele em concordância com tal estratégia? Sim, com esta estratégia de aproveitamento de lutas que eram tradicionalmente lideradas pela CGTP, mas sempre com o reconhecido bom senso e responsabilidade para, utilizando a normal sede dos trabalhadores por mais justiça remuneratória e melhores condições gerais, levarem os Sindicatos a uma espiral grevista e reivindicativa ( se bem reparam não há quase classe nenhuma que à boleia não se plante em frente ao respectivo ministério e ameace fazer greve…) que dê a ideia que este País está sem rei nem roque e numa profunda crise…

É o que propaga a nossa Direita e mesmo não apresentando nenhuma politica alternativa, tudo o dito pela minha mente vai perpassando e isso preocupa-me!

Mas o que mais me dói é ver as nossas Esquerdas à esquerda do PS, o PC e o BE, em nome de putativos futuros ganhos eleitorais (quanto valerá o voto de um Professor ou de um Enfermeiro?…), aliar-se, mesmo que com pressupostos diferentes até concedo, a toda essa Direita, representada por um menino da Foz esculpido em Ética mas de pensamento retrógrado e por uma populista “brega” de crista levantada mas sem pudor…

Anúncios

Amigos para sempre

(In Blog 77 Colinas, 11/11/2018)

Amigos para sempre II

TRRIIIMMMM!!!
– Estou.
– Olá River, aqui fala o Santana Lopes, posso falar em português?
– Deutsch sprechen
– 操你的談話。
– Não pá, não quero chop suey, desculpa, mas eu pensei que estava no estrangeiro
– Então River, já arranjaste mais outro secretário-geral?
– Mandei o Silvano tomar um banho de imersão de ética e vou reciclá-lo
– Os teus amigos do PSD é que ainda te vão reciclar
– Não sou como os iogurtes, tenho mais de 30 dias de validade
– Pois é, olha lá uma coisa, o que é essa treta do “Chapa ganha chapa gasta”?
– Referes-te ao OE2019?
– Claro. Não sou economista como tu, mas isso não quer dizer despesas iguais às receitas?
– Obviamente
– Então, isso significa défice zero. O teu amigo Costa está a dar-te um grande baile
– Mas eu quero mais do que isso, quero que a chapa ganha seja maior que a chapa gasta
– Bolas pá, isso não é superavit? Queres que o país dê lucro? Isto não é nenhuma empresa
– Quero lá saber, eu quero é conseguir prometer mais do o Costa faz. Já reparaste que nem a Cristas se lembrou disto? O Nobel da economia já cá canta. Corta-se na chapa gasta e pronto, está feito
– Deve ser do Iogurte de 30 dias, mas parece-me que estás a ficar pírulas. Então a educação, a saúde, as forças armadas e essas tretas todas?
– Educação para quê? Para depois me contestarem? Vamos manter o pessoal ignorante. Tal como no tempo do “Botas”, saber ler e contar é o suficiente.
– E a saúde?
– Saúde? Esse pessoal todo a meter baixa?  Arranja-se outra PIDE/DGS que lhes trata da saúde
– E as Forças Armadas?
– Aquelas fisgas do Cavaco são o suficiente
– Ó River, tu estás mesmo bem?
– Acho que sim
– Então, porque é que tens uma banana na cara?
– É o meu telemóvel
– Olha! É igual ao meu
– O nosso psiquiatra já chegou?
– Ainda não, mas cuidado que os seguranças andam aí
– E diz o segurança: “Quem é que os mandou tirar os coletes de forças, um ao outro?”

PSD: obrigado pelo striptease

(Daniel Oliveira, in Expresso Diário, 09/11/2018)

Daniel

Daniel Oliveira

Vou ser breve com este assunto como fui com o de Barreiras Duarte ou outros semelhantes noutros partidos. Como percebem se acompanharem os meus textos, este é o tipo de tema que excita a comunicação social e não me excita a mim. Nem à esquerda, nem à direita. Deixo para outros colunistas especializados o papel de guardiões diários da moral – até ao dia em que alguém vá verificar a sua própria coerência. Eu gosto mais de política. Não é falta de exigência ética, é mesmo exigência intelectual.

É evidente que o comportamento de José Silvano é condenável. Que ter alguém a assinar as suas presenças é uma trafulhice que, num trabalho como o da maioria dos portugueses, levaria a despedimento por justa causa. Que ter alguém a entrar com a sua password pode roçar o crime – nunca deixará de me espantar pelo descaramento a rapidez com que o Ministério Público manda saber que está a investigar cada pequeno caso que belisque um líder partidário que não lhe faz grandes elogios. Seja como for, perante este caso, Rui Rio devia ter feito o que não fez com Feliciano Barreiras Duarte: ter sido rápido a afastar o deputado das suas funções internas no PSD. Não precisa de qualquer investigação para isso, chega o que o próprio já confessou.

Não basta a Rui Rio ser eticamente rigoroso consigo mesmo. Tem de ser rigoroso com os seus, o que quase sempre é mais doloroso e difícil. Compreendo a resistência em acompanhar o acelerador do tempo que faz de um pequeno caso um caso enorme. Mas, por mais que se resista, a política faz-se sempre no contexto em que se exerce. E o tempo está mesmo mais rápido.

Dito isto, tenho, como alguém que está à esquerda, de fazer alguns agradecimentos. De tanto ler o Observador, o Correio da Manhã e os seus avatares nos vários jornais estava convencido que todos os trafulhas se acoitavam nas sedes do Partido Socialista e que toda a hipocrisia comia caviar nos acampamentos de verão do Bloco de Esquerda. Foi preciso que a direita fosse liderada por alguém que não é do agrado dos acólitos do passismo, uma versão empobrecida da nossa tradição sebastianista com boas relações nas redações, para que descobríssemos alguns tesourinhos deprimentes do PSD. E alguns já lá andam há tanto tempo e foram tão poupados antes de Rui Rio os escolher.

De tanto ler o Observador, o Correio da Manhã e os seus avatares nos vários jornais estava convencido que todos os trafulhas se acoitavam nas sedes do PS e que toda a hipocrisia comia caviar nos acompanhamentos de verão do Bloco. Foi preciso que a direita fosse liderada por alguém que não é do agrado dos acólitos do passismo, com boas relações nas redações, para que descobríssemos alguns tesourinhos deprimentes do PSD

Feliciano Barreiras Duarte passeou durante anos com um currículo martelado e nós fomos poupados às suas mentiras. Repentinamente, quando apareceu ao lado de Rio, tudo se ficou a saber. E não foi por não ter responsabilidades anteriores: foi um muito relevante secretário de Estado de Passos. Suspeito que José Silvano, feito comendador da Ordem de Mérito por Cavaco Silva, antigo presidente da Câmara de Mirandela, ex-administrador de seis empresas municipais ou públicas, coordenador da Comissão Eventual para o Reforço da Transparência no Exercício de Funções Públicas (a ironia) e deputado entre 1995 e 1999, tendo voltado ao Parlamento pela mão de Passos Coelho, também não ganhou agora hábitos menos próprios.

Há, no entanto, um pequeno dano colateral deste streap-tease da direita: a oposição. Os deputados do PSD que querem apear o líder antes de serem apeados das listas têm-se esquecido que há um Governo e que estamos a um ano das eleições.

Longe de mim querer acabar com esta solidão da esquerda, em que o BE e o PCP têm de fazer, por falta de comparência, de governo e de oposição. Mas não seria mal, nos intervalos das ações de sabotagem ao vosso líder, fingirem que se opõem a Costa. Não precisam de o sentir, mas podiam disfarçar. Mentiria se dissesse que sofro ao ver o PSD transformando no campo de batalha de Verdun. Mas, apesar de tudo, a democracia precisa de ter oposição ativa. Quando acabarem os ajustes de contas, que o sobrevivente venha cumprir a sua função.