“Muito mau”, “desastroso”, “grande derrota”, “vergonhoso”. Críticos não poupam Rio

(Miguel Santos Carrapatoso, in Expresso Diário, 08/10/2019)

Aí vem Montenegro – Imagem in Blog 77 Colinas

Críticos de sempre e ex-apoiantes de Rui Rio concordam: não há como camuflar um dos piores resultados de sempre. O líder do PSD mantém o tabu e não abre jogo sobre o futuro – e os putativos candidatos à sua sucessão também.


Estava escrito nas estrelas: assim que estivessem contados todos os votos e se as piores expectativas se concretizassem, os adversários de Rui Rio não o iam poupar. Assim tem sido ao longo do dia. Autarcas e dirigentes do PSD divergem em relação ao método e ao calendário – se as eleições internas devem ou não ser antecipadas -, mas concordam no essencial: Rio é o grande responsável pela derrota histórica e tem de cair.

Em declarações ao Expresso, Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, não tem dúvidas: “Não há que copiar outros partidos de esquerda e transformar derrotas em vitórias. Há vitoriosos e derrotados e o PSD está do lado dos derrotados”. E o líder tem condições para continuar? “O que prevalece é aquilo sair da reflexão que ele se comprometeu a fazer. Rui Rio tem uma grande propensão para vitimizar-se e eu não quero contribuir para isso”, diz.

“É inegável que o PSD perdeu as eleições e quebrou um ciclo de vitórias nas legislativas. O PSD está habituado a líderes que lutam pela vitória e não por segundos lugares honrosos”, concorda Paulo Cunha, autarca de Famalicão.

Antes deles, Almeida Henriques, presidente da Câmara de Viseu, que até apareceu ao lado de Rio na campanha, já tinha considerado o resultado “globalmente mau” e defendido a antecipação do congresso. “Globalmente o resultado é mau e o PSD deve antecipar o congresso. Um dos erros deste ano e meio foi o excessivo fechamento do PSD sobre si próprio”, afirmou na Antena 1.

Também de Viseu, Pedro Alves, líder da distrital do PSD, um dos grandes apoiantes de Rio contra Santana Lopes e depois um dos maiores desiludidos com a performance do presidente social-democrata, exige eleições o quanto antes. “O PSD perdeu e não há vitórias morais. Tem de arrumar a casa no mais curto espaço de tempo”, diz ao Expresso.

Carlos Morais, outro ex-apoiante de Rui Rio, considera que o partido “teria tudo ganhar em antecipar as eleições o quanto antes. “O resultado foi muito mau e Rui Rio nem sequer foi capaz de assumir a culpa. Não nos podemos conformar”, sublinha o líder do PSD de Viana do Castelo.

João Moura, de Santarém, que também chegou a estar próximo do líder do PSD, assina por baixo. “Não há como camuflar as evidências aritméticas. O PSD não é um partido qualquer. O PSD é um partido que tem de ser alternativa para governar Portugal. Rui Rio teve toda a liberdade, escolheu tudo e perdeu”, diz ao Expresso o dirigente social-democrata

“Rui Rio não pode entender um dos piores resultados de sempre como um resultado positivo. Foi uma grande derrota, ponto. Mais: Rui Rio, que sempre disse que as sondagens não contavam para nada, não pode dizer que ganhou porque as sondagens se enganaram. Muito menos culpar todos os outros”, insurge-se Rui Rocha, dirigente de Leiria e que chegou a fazer parte da Comissão Política Nacional do líder do PSD.

De Coimbra, Maurício Marques, que se demitiu da liderança da distrital em divergência com Rui Rio, reforça as críticas que fez desde sempre: “Não o podemos esconder: os resultados são péssimos para não dizer desastrosos. Não me conformo. Rui Rio não tem condições para continuar à frente do partido e devia ter feito o mesmo que Assunção Cristas, não estar à espera que o empurrem”, nota.

Sem surpresa, Bruno Vitorino, líder da distrital e um dos maiores críticos de Rui Rio, subscreve todas as críticas. “Não consigo deixar de sentir vergonha do discurso de ontem [domingo]. Para Rui Rio, a culpa foi de todos menos do próprio. O PSD merece mais e merece que um resultado daqueles não seja encarado com aquela leviandade”. O até agora deputado – não fez parte das listas que Rio levou a voto – desafia ainda o presidente do PSD a ir a votos e sufragar internamente a sua estratégia. “Tem a obrigação de ir a votos. Não o fazer seria uma cobardia política. Que não arranje desculpas”, desafia o social-democrata.

RIO E PUTATIVOS CANDIDATOS EM SILÊNCIO

Apesar das críticas (e de alguns apoios tímidos que foram chegando dos seus mais próximos), Rio vai esconder o jogo nos próximos dias. O discurso na noite de domingo, o de um homem acossado que atirou contra adversários internos e externos até finalmente assumir a sua quota de responsabilidade “para o bem e para o mal”, permitiu a Rio ganhar tempo e ensaiar argumentos para uma futura disputa eleitoral interna. Quem o visse e ouvisse seria capaz de jurar que o líder do PSD quer e vai disputar as próximas eleições, agendadas para o início de 2020. Mas Rio é imprevisível e não está a excluída a hipótese de o presidente do PSD ter apenas adiado o anúncio público de uma decisão que já estará praticamente fechada na sua cabeça: a de deixar a liderança do partido.

Do lado dos putativos candidatos à sucessão de Rui Rio – e são quatro, Luís Montenegro, Miguel Pinto Luz, Jorge Moreira da Silva e Miguel Morgado -, os trunfos vão sendo geridos. E o silêncio também. Estarão todos à espera do que vai fazer Rui Rio e a gerir timings. Os próximos dias serão de definição.


Advertisements

O banho da nojenta hipocrisia!

(Joaquim Vassalo Abreu, 27/09/2019)

Há certas coisas nesta vida que, por muito que não o queira, me causam repulsa e nojo. São os répteis, são certos esquisitos insectos e bichos, são os filmes de terror gratuito, os maus tratos a crianças e mulheres, os abusos sexuais a menores, o aproveitamento da pobreza alheia para beneficio próprio, mais coisas ainda deste género mas, acima de todas, a HIPOCRISIA.

E quando esta pretende fazer de alguém , utilizando a mais suprema demagogia e o desconhecimento e a voluntariedade das pessoas, seres aparentemente perfeitos, pretendendo com tudo isso atingir objectivos que qualquer sentido de ÉTICA nunca permitiria, então ainda com mais Nojo fico.

E esta mesma HIPOCRISIA, principalmente quando alguém a utiliza falando de si próprio como alguém que essa mesma Ética pratica e da qual não prescinde, acabando com ela por demonstrar que Ética não tem nenhuma, então mais Nojo me dá ainda.

Falei acima de répteis, de insectos esquisitos e coisas mais, no fundo seres irracionais que sobrevivem num espaço onde se salva quem puder e é o que estes seres rastejantes parecem na sua hipocrisia: seres irracionais.

Porque a RAZÃO, os princípios civilizacionais pelas sociedades assumidos, o Direito e as regras e a plena aceitação do Homem como ser pleno de direitos e liberdades individuais inalienáveis, são aquilo que nos diferencia desses seres irracionais. E o não precisar de ser predador para viver, nem ter que violentar outrem para sobreviver…A cultura da Ética não pode conviver com a Hipocrisia.

E não pode valer tudo para um qualquer objectivo se alcançar. Eu percebo o quanto difícil é para a nossa Direita, nomeadamente para Rui Rio, nesta fase da nossa vida politica, fazer vincar as suas posições ideológicas nas eleições que se avizinham, ou a sua razão perante um governo e um Primeiro Ministro bem sucedidos, mas nunca é com golpes rasteiros e ignóbeis que tal se pode conseguir.

E, nesse aspecto, Rui Rio demonstrou ser também um ser equiparado aos seres citados e, pior ainda que um camaleão, ele veste a farda bonita, apregoa a ética mas, de repente, qual serpente aparentemente encantada, não resiste à traiçoeira ferroada.

O aparecimento brusco e “oportuno” em plena campanha do caso -Tancos, que aqui não vou dissecar pois também ele desde o seu principio me meteu Nojo, aparecimento esse propiciado por todos esses esgotos a céu aberto que são toda a comunicação social, amplificado por todos esses comentadores arregimentados que por eles pululam, mancomunados com Juizes e outros agentes do Ministério Público às suas ordens e serviço, foi de imediato aproveitado de uma maneira vil e nojenta pelo “puríssimo” Rui Rio. Um Nojo!

A Ética para Rui Rio significa Hipocrisia. E, como disse, a Hipocrisia é para mim o defeito humano pelo qual mais repulsa e nojo eu tenho.

António Costa há imensos anos na Politica e sem mácula muito bem lhe respondeu: “Não é aos cinquenta e oito anos que o Dr. Rui Rio me vai dar lições de Ética”.

Tal como no Brasil e nos EUA onde a utilização de tudo o que é falsidade, de tudo o que é hipocrisia, de tudo o que é mentira e de tudo o que é vil e ignóbil para conseguir convencer muitos incautos votantes acabou por prevalecer, também aqui esses rastejantes seres acham que, utilizando esses mesmos meios, o vão conseguir.

Cabe-nos a todos nós isso derrotarmos e assim devolver todo esse Nojo à sua procedência. Mas com uma dedicatória: “Que lhes faça bom proveito”!

O banho de Ética de Rui Rio foi tomado no lamaçal da Hipocrisia!

Rui Rio perdeu a noção do ridículo

(In Blog O Jumento, 25/09/2019)

Quando se esperava que Rio encerrasse o ciclo de disparates eis que ele decide subir a parada, agora acha que as campanha eleitoral é decidida por uma luta de galos e que ganha o que tiver o melhor galo para a luta das finanças. Todos os dias desata a exigir a Costa um debate entre os dois Centenos, o dele e o do Costa. Mas como já percebeu que colocou o seu em situação de inferioridade, alterou os nomes, agora exige um debate entre o seu Sarmento e o Sarmento do Costa.

Rui Rio não percebeu a mensagem que está passando de forma subliminar aos seus próprios eleitores, sentindo que não está à altura das circunstâncias socorre-se numa tentativa desesperada de usar um dos seus apoiantes num debate contra um apoiante de Costa. É uma medida kamikaze já que é sabido que Mário Centeno não estará disponível para tal espetáculo degradante, o de ser exibido num debate para que o povo decida qual é o melhor economista.

E se o debate correr mal ao Sarmento do Rui Rio? A seguir vai dizer que tem um Eduardo Cabrita e que exige que o Eduardo Cabrita do Costa faça um debate com o seu. Se tudo correr mal é só ir à lista de membros do governo e escolher o seguinte. Por este andar vamos ter uma espécie da Taça Davis da política, em que os tenistas do Rui vão jogando com os tenistas do Costa, para que seja o que somou mais vitórias a levar a taça do governo.

É pena que Rui Rio não tenha a noção da patetice que está sugerindo, é lamentável que com tantas democracias e tantas eleições já realizadas em Portugal não tenha percebido que a ideia só tenha surgido agora não graças ao seu brilhantismo eleitoral, mas sim porque o seu nível de patetice é diretamente proporcional ao seu desespero.

Um dia destes vamos ver o Rio exigir a Costa a mais diversas comparações, quem come mais Big Macs, quem consegue comer mais sardinhas assadas, quem consegue engolir mais cerveja de uma vez, quem consegue mandar uma escarreta mais longe, enfim, são os argumentos que poderão favorecer Rui Rio na sua luta por chegar a primeiro-ministro e evitar a seca de ser deputado num hemiciclo onde o único deputado com classe é ele.


Fonte aqui