Lobo Xavier na aldeia da roupa branca

(Por Estátua de Sal, 02/03/2017, 0 horas)
lobo2
Estive a ver a Quadratura do Círculo. Mais uma vez Lobo Xavier parece uma lavadeira de Caneças, a tentar lavar mais branco a actuação de Paulo Núncio. A gente desculpa-te a solidariedade com o teu colega de escritório. Pareces um advogado a defender um criminoso. Cumpres o teu papel.
Mas a gente não te desculpa que nos queira tomar por parvos e que digas que os Ministros das Finanças são uns tótós, que não sabem nada do dinheiro que sai para os offshores. A gente não te desculpa que elogies o carácter de alguém que só à terceira vez, e forçado, conseguiu assumir a responsabilidade pela decisão que tomou de ocultar do público a fuga enorme de capitais para o estrangeiro durante a governação PSD/CDS. Que o defendas, vá que não vá. Mas que o queiras pôr num pedestal não é só ofensivo para os que te ouvem, é a prova do teu conluio com o visado e com os interesses daqueles que ele quis proteger. Por isso, a tua defesa do Núncio, não vale nada, vale zero.
Se fosses um homenzinho, e por consciência ética, tinhas pedido escusa do programa de hoje por não poderes, por a causa te ser tão próxima, comentar o tema com o mínimo de imparcialidade.
Mas como a procissão ainda vai no adro, como diz o Jorge Coelho, e vai andar na berra durante muitas semanas, o melhor mesmo é demitires-te da Quadratura, ou no mínimo, pedires licença sabática por tempo indeterminado.
Ficava-te bem mas duvido que o faças. Não vais perder essa tribuna de onde asperges o país com pacotes em barda de detergente.

 Nota: quem não assistiu ao programa pode vê-lo no link abaixo:
Advertisements

Lista de lavandaria sobre economia à portuguesa

(Sandro Mendonça, in Expresso Diário, 23/02/2017)

santa-nostalgia-omo-omo_thumb1

Não é Publicidade. Há quem lave mesmo mais branco… 🙂

 

Dizia Umberto Eco que as listagens são a chave do sentido das coisas (a citação é bem lembrada aqui neste blog de economia). As listas dão ordem ao caos, enumeram casos. Eis uma lista possível:

1. Planeadores fiscais lavam mais branco: Muito curiosa a notícia dos 10 mil milhões de “aéreos” que ganharam asas durante o consolado de Paulo Núncio, pródigo secretário dos assuntos fiscais da maquineta CDS-PSD e amanuense-em-chefe da importação de Audis e prometedor-mor da devolução de sobretaxas dos amanhãs que encantam. Este perito de direito fiscal saiu de uma especializada sociedade de advogados para ir para um governo pró-Troika e depois para lá voltou à casa de partida, onde foi encontrar Lobo Xavier. Tudo normal, com um certo estilo e tal. Mas eis que durante esses anos de governo o respeitável jurista nunca respeitou a lei que obrigava à transparência de dados sobre paraísos fiscais.

Daí uma pergunta-corolário: Não é que um inocente e servil pagador de impostos se arrisca a pensar que em Portugal se confunde uma Secretaria de Estado dos “assuntos fiscais” ou com a das “lavagens fiscais”?

2. O Lobo ainda não despiu nenhuma das peles: Ficámos a saber que Lobo Xavier, o ainda Conselheiro em Belém (quê, ainda não foi dispensado?!) fez “Insider trading” com os SMS do seu amigão António Domingues. Como bem notou João Quadros no Jornal de Negócios, Lobo enquanto Administrador do BPI andou a bisbilhotar SMS relevantes de alguém implicado na alta Administração da CGD, que por acaso também havia sido seu ex-colega do BPI. Claro, tudo isto é demasiado confuso ….

Os Lobos dos tempos modernos têm várias peles, variadíssimos papéis, variadérrimos interesses, sei lá. Mas, atenção! Sim, ainda pode haver uma saída airosa deste conto: já que gosta tanto de telecomunicações não poderia já agora também Xavier divulgar os SMS do seu companheiro do CDS e colega fiscalista Paulo Núncio.

Daí uma ansiedade-teorema: Se esta nova divulgação de SMS não for feita não estaremos nós perante um estranho caso de “coleguismo fiscal”?

3. Nem o ministro cai nem a oposição almoça: O demiurgo dominical tinha decretado a queda do Ministro da Economia Caldeira Cabral lá para Novembro último e ainda não aconteceu nada. O mesmo supremo sacerdote das fontes imperscrutáveis também decretou lá do cimo do seu dominical templo de Delfos que a morte política do Ministro das Finanças Centeno tinha acontecido. Mas, e então? O que se passa com a falta de eficácia de Marques Mendes?! É que afinal eles “andem aí”! Eles vivem, e não são zombies! O Ministro da Economia apresenta uma nova política de inovação produtiva esta quinta-feira (acaba de ser anunciada aqui) e o Ministro das Finanças obriga o FMI a render-se aos seus cenários macro-económicos (ver este cuidadoso artigo do Expresso).

Daí uma perplexidade-mitológica: Não deveria Marques Mendes ser despedido por justa-causa e, depois de tantos maus-olhados mal-acertados, não deveria o próprio Zeus perguntar-lhe … ó Marques, Mentes?

O Lobo e o cordeiro

(In Blog O Jumento, 17/02/2017)
lobo-xavier-ricos-paguem-crise
Desculpem voltar ao lobo mas as manobras deste mamífero merecem ampla reflexão e consequente desmontagem. Nunca se deve deixar passar em claro as manobras dos lobos, sobretudo as daqueles que usam e abusam da pele de cordeiro.
Estátua de Sal.

Talvez um dia se venha a saber o que levou um até agora discreto bancário a ficar nas primeiras páginas da forma mais triste. De um administrador de bancos espera-se confiança, lealdade, sigilo e privacidade, tudo qualidades que Antónimo Domingues revela não ter ao violar as mais elementares regras de convivência, dando a conhecer a um conhecido lobista o conteúdo de conversas privadas.
Primeiro foram os e-mails, a seguir os SMS, ninguém se admire que Domingues tenha gravado todas as conversas com membros do governo sem a sua autorização e o Lobo Xavier já as tenha ouvido, para verificar se há matéria para mais calhandrice.
Para um administrador de bancos isto é um suicídio, não há ninguém que esteja no seu pleno juízo, nem mesmo o seu amigo Lobo Xavier, que lhe mande SMS ou se comprometa em conversas telefónicas. António Domingues deixou de ser confiável e duvido que passada esta fase o próprio Lobo Xavier tenha confiança no seu velho amigo. O que poderá ter levado alguém experiente a imolar-se na pira da falta de princípios? O dinheiro que perdeu por não ser administrador, a vaidade ferida? Um dia saberemos.
A Caixa Geral de Depósitos representa milhares de milhões de euros, o seu dinheiro pode alimentar muitas empresas, pode ser multiplicado gerando muitas fortunas generosas na distribuição de comissões. A CGD pode aprovar PER que mantém vivas empresas que já morreram, tem importantes participações no capital de outras empresas, como se viu no caso da PT, tem crédito malparado concedido a importantes empresas e personalidades, adquire muitos milhões em fornecimento dos mais variados serviços, tem milhares de milhões para emprestar, pode favorecer muitas promoções políticas ao nível nacional e em cada uma das autarquias.
É aqui que entra o Lobo, neste caso o Lobo Xavier e nesta matéria temos mais um lobo do que um frade a falar para peixinhos. E se Lobo é mesmo o lobo, o António Domingues acaba por ser o cordeiro. Lobo Xavier, apesar de bom cristão, não é conhecido como administrador do Banco Alimentar ou de muitas das IPSS da Igreja. Antes pelo contrário, Lobo Xavier é administrador de grandes empresas e na sua vida não teve uma única aula de gestão.
Todas as grandes empresas têm interesses directos ou indirectos na CGD, grandes empresários mantêm litígios com a CGD, muitas empresas e personalidades têm crédito malparado para renegociar, tudo matérias em que o gestor, o administrador, o advogado ou o lobista Lobo Xavier pode dar uma preciosa ajuda, tudo dentro da maior das legalidades.
Lobo Xavier é o maior lobista da vida política e económica portuguesa. O seu poder é imenso, principalmente se o governo for da direita. Com os governos da direita todas as reformas fiscais com impacto nas empresas passaram pelas suas mãos, Paulo Núncio nada fez sem consultar Lobo Xavier, era o lobista que sabendo dos desejos de algumas das maiores empresas sabia o que os grandes interesses pretendiam das reformas do IRC ou do património.

Neste caso o Lobo misturou o cordeiro, o CDS, o PSD, o Presidente da República, uma estação de televisão e só Deus sabe quantos jornalistas numa manobra visando derrubar o mais competente ministro das Finanças das últimas décadas e ajudar a repor o governo da direita. Um dia talvez saibamos o que tinha o Lobo a ganhar com a degola do cordeiro e pode ser que se venha a perceber que tipo de Conselheiro de Estado é este Lobo Xavier.


Fonte aqui