OLHA QUEM FALA

(José Gabriel, 26/10/2017)

corno1
O valor da fala ou do texto político são inseparáveis de quem o produz. Não faltam, por estes tempos, as críticas de esquerda ao Governo. Elas têm origem nas pessoas e forças que pertencem ou apoiam os partidos da solução governamental.

Percebe-se a insatisfação quanto aos investimentos públicos, designadamente em áreas especialmente sensíveis a caras à esquerda – saúde, ensino, segurança social, direitos laborais, transportes e obras públicas e tudo o mais. Elas entendem-se e são, na sua maioria, justas. 

Mas ouvir críticas semelhantes vindas de quem toda a vida combateu o Serviço Nacional de Saúde, a Segurança Social e todas as áreas em que as suas propostas não passaram de tentativas de destruição e privatização do serviço e património públicos e empobrecimento de quem trabalha, quando não é cómico, é revoltante.

A direita portuguesa tem-se desdobrado em piedosas lágrimas pela situação do SNS que sempre odiou e, quando foi governo, quase destruiu. O mesmo acontece no que respeita a todas esferas de obrigação social do Estado, as quais deixou exangues. 

Mas agora há mais. Comandados pelo espectro Cavaco, resolveram acometer contra os partidos à esquerda do PS por não serem suficientemente agressivos, por – palavras de Cavaco – baixarem a cabeça. Que não fizeram greves suficientes, que não lutaram, enfim, não fizeram nada. Até-deixaram-passar-o-Orçamento! “Amoixaram”, diz um dos seus palermas de serviço.

Quer dizer: a direita e as suas várias metástases acusam a esquerda de não ser …esquerda. É exótico. Sobretudo porque esse é o papel da própria esquerda.

Ó almas danadas, tende tino e fazei os vossos ataques à vossa maneira e defendendo os vossos interesses para que se evidenciem as vossas pornográficas intenções – agora acalentadas pelo que julgam ser uma tendência internacional.

Não vão as pessoas pensar que o que vos move é apenas uma incomensurável dor de…nas zonas frontais do crânio.

Advertisements

Um pensamento sobre “OLHA QUEM FALA

  1. “A direita portuguesa tem-se desdobrado em piedosas lágrimas pela situação do SNS que sempre odiou e, quando foi governo, quase destruiu. O mesmo acontece no que respeita a todas esferas de obrigação social do Estado, as
    quais deixou exangues”. (José Gabriel-Estátua de Sal-26/10/2018)

    E digo eu : A direita frustrada, raivosa, não só quase destruiu o SNS (tendo primeiro votado contra ele, e tentado privatizá-lo durante a páfia, como quis fazer com o Ensino Público e outros pilares institucionais como a EDP, e até se preparava para, se não fosse corrida a tempo, privatizar a Água…).

    Apoia-se agora no balão de oxigénio dado de tempos a tempos por uma a “múmia” igualmente raivosa, torpe, indigna, juntando-se a ela no grasnar e guinchar histérico e abjecto !

    Pergunto : Não encontram nenhuma semelhança com o que se está a passar agora, num país “além-Atlântico” ?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.