Dos Frasquilhos não reza a História

(João Quadros, in Jornal de Negócios, 26/01/2018)

frasquilho2

(E O MP NÃO INVESTIGA ESTE PASSARÃO?

Recebeu 100000 euros do saco azul do BES, em contas bancárias dos pais. Diz ele que era para pagar à família. Ridículo. O que terá dado em troca ao Ricardo Salgado?. E a Joana Vidal que anda a fazer? Não há nada a investigar? É o costume. Os gajos da direita são todos “sérios” e o único presumível corrompido, em Portugal, desde os tempos do D. Afonso Henriques, é o Sócrates.

Mas este caso ainda é mais estranho. António Costa foge do Sócrates com medo do “contágio”, como o diabo foge da cruz, mas vai reconduzir este cromo como chairman da TAP?! Por receberem bilhetes para a bola, demitiu secretários de Estado e, com tantos milhares de euros no bornal por explicar, este passarão é reconduzido?!

Será que o “bloco central” já está a funcionar – pelo menos nos bastidores -, ou será que nunca deixou de funcionar?

Comentário da Estátua de Sal, 26/01/2018)


O Estado, através da Parpública, vai propor a recondução de Miguel Frasquilho como “chairman” da TAP, o que vai acontecer já a 31 de Janeiro, durante a próxima assembleia-geral da companhia aérea. Sim, é esse Frasquilho, o que está a ser investigado no Besgate e que, alegadamente, recebeu 100 mil euros do “saco azul” do BES, mas distribuídos em depósitos na conta dos pais e irmão. Tanta personalidade à rasca e a pedir dinheiro emprestado à família e eu não tenho coragem para pedir 100 euros ao meu pai.

Resumindo, o “saco azul” do BES pagou cerca de 98 mil euros a Frasquilho, “chairman” da TAP, e aos pais e irmão. Segundo se sabe, os pagamentos a familiares eram frequentes no GES. O GES parece o meu falecido tio Orlando que, no Natal, metia envelopes com dinheiro no bolso da família toda. Uma vez, pôs um no bolso da minha namorada.

Frasquilho alega que o dinheiro era para pagar dívidas que ele tinha aos familiares. Imagina se o Frasquilho estivesse a dever na padaria, no barbeiro ou na casa de artigos de circo onde compra as gravatas. Já estou a ver o contabilista do BES a ter de dividir estes pagamentos todos. Não admira que o contabilista, na altura Machado da Cruz, tenha fugido durante uns tempos. Como é que ele iria justificar ter de passar um cheque de prémio em nome de uma pessoa que nada tem que ver com a empresa? A não ser que seja por causa de a família o aturar.

Frasquilho justificou tudo isto com “acertos de contas entre familiares”. Normalmente, acertos de contas entre familiares é o que vem nos títulos das notícias que envolvem tiros e mortes. Associo “acertos de contas entre familiares” a assassinatos com enxadas e muita berraria, por causa de uma herança. Estes acertos de contas entre familiares são muito silenciosos. Aposto que nunca há discussões na ceia de Natal em casa do Frasquilho.

A verdade é que o governo da suposta transparência vai reconduzir Miguel Frasquilho como “chaiman” da TAP e parece ser, realmente, um acerto de contas de família, porque nem o PSD nem o CDS dizem nada. Não há família mais unida do que o Bloco Central. Acho que temos de mandar este caso do Frasquilho para ser julgado em Angola.

Antigamente, quando havia este tipo de suspeitas e acusações sobre alguém, era logo acautelado o risco de fuga. Neste caso, é o oposto, ele fica na empresa onde mais facilmente pode fugir. Parecendo que não, aquilo ainda tem vários aviões. Eu até já admito que ele fique na TAP, mas não devia poder aproximar-se até menos de 500 metros de um avião, como já aconteceu com o Carrilho em relação à Bárbara Guimarães.


TOP-5

Família feliz

1. Líder da Juventude Popular distinguido pela Forbes como um dos jovens mais influentes da Europa – E a banda revelação: os Beatles.

2. Espanha deixa de pagar às grandes agências de rating – Não podem ver ninguém dizer bem de nós.

3. Ao sábado, as creches dos filhos de trabalhadores da Autoeuropa passarão a ser pagas pela Segurança Social, no âmbito de um compromisso do Governo – Tudo bem, mas eu também quero ir lá almoçar na cantina à segunda.

4. Famílias que participam no “Supernanny” serão chamadas por comissões de protecção – Malta que justifica o execrável “Supernanny” com “quem não quer não vê”: embora fazer um “reality show” com escravos negros? Quem não quer não vê.

5. O presidente da JP, Francisco Rodrigues dos Santos, um dos quatro jovens portugueses distinguidos pela revista Forbes, diz que: “Esta distinção comprova que podemos ter esperança no futuro” – Mas aquilo não era para malta com menos de 30? Este têm 78 anos de mentalidade.

Advertisements

Uma vergonha e casos de (muita) pouca vergonha

(In Blog O Jumento, 13/06/2017)
passos_vergonha
Celebrava-se o Dia 10 de Junho, era feriado nacional, Marcelo e Costa multiplicavam-se em discursos e viagens, Assunção Cristas punha o seu ar mais sério. Todos celebravam o Dia de Portugal. Todos? Não. Passos Coelho precisa de recuperar os votos perdidos, o Expresso deu-lhe uma deixa, e mal se livrou do frete oficial acelerou rumo ao sul. Mas não foi para passar o resto do dia com a esposa e muito menos para celebrações, o tema era um petisco, um amigo de Costa tinha sido nomeado administrador da TAP, a mesma TAP que ele privatizou numa noite e que Costa devolveu ao país.
Era um escândalo entre os nomeados em representação do capital do Estado na transportadora estava quem tinha negociado, em nome do Estado, a reversão da privatização. Um escândalo, uma enorme falta de ética, quem defendera o Estado nas negociações com os privados ia agora defender os mesmos interesses do Estado como administrador não executivo.
O país parou de espanto, uma vergonha, Costa tinha inventado um novo “Catroga”, um amigo ia enriquecer na TAP. Como é sabido o cargo de administrador executivo numa empresa onde apenas os administradores nomeados pelos privados mandam na empresa, não só é um cargo altamente remunerado como tem um grande poder. Até a Catarina Martins juntou a sua à voz de Passos Coelho, estava indignada com tanta pouca vergonha.
Passos Coelho está de parabéns, o país anda há quatro dias a discutir um cargo da treta, remunerado com pouco mais do que gorjetas e sem qualquer poder. Foi este o grande problema nacional que levou Passos Coelho a ignorar tudo e todos e a esquecer que era Dia de Portugal. Depois dele anda meio mundo a perder tempo e até o CDS veio perguntar se a CRESAP tinha sido ouvida.
Passos Coelho tem mesmo razão, é uma vergonha que a sua grande preocupação no Dia de Portugal não tenham sido os problemas familiares ou proporcionar a sua companhia à família, mas sim aproveitar-se de uma notícia da treta para criar um fato político que só merece uma gargalhada e apenas serviu para percebermos as preocupações com que se ocupam os nossos partidos.
Em contraponto:
casos de (muita) pouca vergonha

Pouca vergonha é a Maria Luís ter empregado o seu marido na EDP, pouco depois de ter privatizado esta empresa.

Pouca vergonha é a EDP conseguir que Passos substituísse o secretário de Estado da Energia, gesto que Mexia terá celebrado com champanhe, para pouco tempo depois a EDP empregar o pai do novo secretário de Estado arranjar emprego na …. EDP.

Pouca vergonha é Passos Coelho se ter esquecido de pagar as contribuições `Segurança Social.

Pouca vergonha foi o Catroga ter negociado com a Troika que queria baixar as rendas da EDP e depois aparecer em presidente daquela empresa. Pouca vergonha foi o mesmo Catroga se ter oferecido a António Costa para lhe fazer fretes.

Pouca vergonha foi o último presidente do BES escolhido pela família Espírito Santo ter sido Mota Pinto?

Pouca vergonha foi a escolha de nomeação de Manuel Frexes, presidente dos autarcas sócias-democratas e da Câmara Municipal do Fundão, e Álvaro Castello-Branco, do CDS-PP e vice-presidente da Câmara Municipal do Porto, para administradores da empresa “Águas de Portugal”

Aviões em terra

(Por Dieter Dillinger, in Facebook, 11/05/2017)

AVIÕES

Em mais de 75 anos de existência nunca aconteceu uma interrupção no abastecimento de combustível aos aviões.
Foi preciso o governo de Passos Coelho vender TODOS os aeroportos nacionais aos incompetentes e gananciosos franceses da VINCI para acontecer isto. Eles nunca tinham gerido um aeroporto.

A notícia corre mundo e é uma vergonha para Portugal, precisamente no momento em que o turismo atinge recordes cada vez maiores. Os jornais on line alemães escrevem já que não há combustível para os aviões em Portugal, estando diversas companhias aéreas a cancelar voos para Lisboa.

Quando é que Portugal se convence que os franceses não prestam para gerir os aeroportos da Pátria Portuguesa. Eles têm de pagar uma multa enorme e serem chamados à justiça se a PGR tiver Coragem e for Patriota, o que não acredito.

Para Joana Marques Vidal e para os Rosários tudo o que for mau para Portugal é bom para eles. Para isso é que andam a trabalhar e acusam o atual vice-Presidente de Angola de tudo e mais alguma coisa.

Consta que o presidente Eduardo dos Santos está muito doente ou quase moribundo no estrangeiro, devendo o poder estar na mão do general Manuel Vicente, o Exmo Vice-Presidente de Angola.

Entretanto, a procuradora e o Ministério Público têm um processo contra o agora verdadeiro presidente de Angola e esperam que a justiça angolana responda às cartas rogatórias portuguesas e que o Banco de Angola deixe sair divisas para Portugal após a recente queda do preço do barril de petróleo em mais de 10 dólares.

Como é que gente tão estúpida como a procuradora Joana Marques Vidal, o juiz Carlos Alexandre e outros ocupam posições decisivas para a PÁTRIA de TODOS OS PORTUGUESES, prejudicando-a por causa dos seus mesquinhos interesses e o PR Marcelo deixa a instituição Justiça funcionar contra a PÁTRIA..

Nota: Os meus escritos e opiniões são puramente POLÍTICOS dado que não exerço nem exerci qualquer atividade ligada a aeroportos, aviões ou justiça. Utilizo apenas o DIREITO DE CIDADANIA PATRIÓTICA consignado na ConstituÇião da República Portuguesa e convido todos os patriotas a fazerem o mesmo, partilhando este texto ou escrevendo outros em defesa da PÁTRIA.
VIVA PORTUGAL.