O Juís Carlos Alexandre é vingativo? Tramou o Vara por este não o ter ajudado? … Pois não sei.

(In Blog Um Jeito Manso, 11/12/2018)

O Juís Carlos Alexandre é vingativo? Tramou o Vara por este não o ter ajudado? Queria ir para chefe do SIS o o Vara não facilitou?
Marta Soares é o chefe da claque dos bombeiros?
Theresa May vai do ex-brexit directamente para os Monty Python?
O Macron, ao aparecer a distribuir dinheiro limpinho de impostos à malta, devia era ter aparecido de Santa Claus?

Pois não sei.


Continuar a ler: aqui

Advertisements

Boca calada não entra mosca

(Virgínia da Silva Veiga, 12/11/2018)

virginia

“Quanto mais atenção pública há sobre o caso, mais o juiz deve estar calado” – esta frase é de Manuel Soares, Presidente da Associação sindical dos Magistrados Judiciais, em artigo de opinião, no jornal Público (ver aqui), a propósito do brasileiro Sérgio Moro cujo mediatismo, declarações públicas e recente indigitação para ministro colocam em causa a imagem da justiça.

O caso tem a ver com o Brasil, a preocupação é portuguesa. Em Portugal, um outro, paralelo, anda a percorrer as redes sociais, aproveitado exactamente pelo mesmo tipo de sensibilidades políticas, perante a indiferença do Conselho Superior de Magistratura e, inequivocamente, do próprio que, podendo, nada faz para o evitar.

Carlos Alexandre autoriza haver no Facebook pelo menos três páginas utilizadas não raramente para veicular notícias falsas e críticas que não raro assumem propaganda contra a Constituição e o Estado de Direito, a principal criada em 2015 por um membro do PNR.

O mesmo Magistrado tem, no que começa a ser um hábito, a tendência para dar entrevistas onde se pronuncia sobre o caso mais mediático do país, que lhe esteve entregue e onde, portanto, está directamente envolvido. Em paralelo, foi mesmo anunciado como o principal orador de um forum, onde igualmente figurariam pessoas conhecidas por postarem pondo em causa regras democráticas.

Extremistas do Brasil aproveitaram Sérgio Moro para obter os perfis de pessoas desgostosas com o sistema para, em plena campanha, divulgarem notícias falsas ou falseadas.

Hoje, circulava na internet um post com a fotografia de Carlos Alexandre onde se escrevia fizesse este um favor aos portugueses de desistir da magistratura e ir a eleições. Acrescentava-se “ partilhem por favor, vamos tornar este apelo viral”. É o caso?

Um juiz não pode, evidentemente, evitar posts desta natureza, mas pode e deve impedir páginas com o seu nome, bastando para tal solicitar ao Facebook que a sua pessoa não seja utilizada e pode, querendo, mandar averiguar se está a ser utilizado para fins contrários aos princípios da república em que exerce funções, um deles o que lhe deveria ser mais caro, a presunção de inocência, nas três páginas constantemente violado.

O facto deste Juiz colaborar, ainda que por permissividade e omissão, em violação aos princípios que lhe deviam servir de orientação e de que deve ser exemplo de aplicação, não deve continuar a ser visto como se não existisse e, sobretudo, não pode ser desligado do conjunto do respectivo comportamento social.

Contudo, o que é mais censurável é o facto da autorização, ainda que tácita, de situações desta natureza serem, evidentemente, uma espécie de jurisprudência interpretativa do que seja o comportamento exigível à magistratura em Portugal.

Se o Conselho Superior da Magistratura continuar a autorizar páginas desta natureza, o assunto fará escola num país onde já se fala em legislação para moderar a internet e onde se espera que sejam os moderadores exemplares.

O assunto, que dura há anos na descrita indiferença, está pendente de decisão onde a não pronúncia constituirá objectiva orientação.

Não sabemos ainda o que daí virá.

Sabemos que a essência do artigo de Manuel Soares não se aplica só ao Brasil.

O CORRUPTO

(Por Dieter Dellinger, 30/10/2018)

moro

O juiz Sérgio Moro vai receber uma elevada PROPINA por ter prendido Lula sem esperar pelos recursos, o que no Brasil é permitido por haver mais de 100 mil assassinos no Brasil que mataram mais de meio milhão de pessoas nos últimos dez anos e que nada têm a ver com um ex-Presidente da Republica.

Mas, ninguém paga propina a Sérgio Moro por condenar assassinos, o que nunca lhe interessou muito, nem a muitos dos seus colegas.

Ao contrário disso, Sérgio Moro vai ser premiado com uma elevada PROPINA como é o cargo de ministro da Justiça por prender Lula.

Quem atua com o objetivo de receber uma recompensa muito elevada é, evidentemente, um CORRUPTO.

Era o que queria o juiz de instrução Carlos Alexandre, ou seja, receber uma grande recompensa por prender o ex-PM J. Sócrates logo à chega a Lisboa vindo de Paris quando tinha recebido um email de Sócrates a dizer que ia a Lisboa apresentar-se livremente para saber o que havia contra a sua pessoa.

Se o fizesse no segredo da Justiça como era suposto, Carlos Alexandre não se tornaria na estrela da extrema direita portuguesa e num futuro ministro da Justiça de um governo Cristas/Rio/Santana ou pior.

Carlos Alexandre tinha de fazer de Sócrates o ator com o papel de mau para a sua encenação teatral, a fim de subir muito na vida, até porque esperava nas eleições a seguir que o PS iria cair nos fundos do inferno devido ao seu trabalho.

Sucede que Alexandre não foi convincente e o eleitorado colocou o PS numa posição agradável com um dirigente extremamente hábil que, sem nada fazer contra o juiz, tornou-se no seu desastre, arruinou a sua carreira para as alturas, pelo menos nos próximos ano e fê-lo tornar-se um ser desprezível pela rejeição que recebe nas sondagens..