A desfaçatez não tem limites

(Por Estátua de Sal, 22/05/2017)

passos_discursa

Tinha que escrever sobre a saída do Procedimento de Deficit Excessivo.

Em primeiro lugar deve referir-se como uma ficção tem tanta importância e dá origem a tantos comentários. Sim, porque o deficit de 2% diz respeito ao ano de 2016 que já lá vai há cinco meses e celebramos agora um acontecimento que já é requentado. É ridículo aceitarmos de forma subserviente que a Comissão Europeia tenha o privilégio de carimbar um número, dizendo que dois é menor que três, como se pudesse fazer outra coisa  inventando uma matemática nova.

Em segundo lugar deve dizer-se que a direita e os seus comentadores de serviço estão, no mínimo, em estado de choque, e deveriam escolher um fato negro escuro e gravata preta como se fossem a um funeral.

Para amenizar tentam colar-se ao sucesso do feito alcançado. Foi uma caricatura burlesca ver Passos Coelho entrar nas televisões, ao meio dia em ponto, para saudar o acontecimento como se fosse ele o Primeiro-Ministro em funções, e tentando assim recolher também os louros do evento. Uma desfaçatez de grande gabarito só mesmo ao nível desta personagem que teima em não sair de cena.

Tendo Passos ameaçado com o diabo e previsto as maiores catástrofes decorrentes das políticas deste governo, como pode agora vir dizer que com outras políticas também teria atingido a mesma meta? Se as políticas de Costa, para Passos, sendo más, horríveis e pronunciadoras do cataclismo, conseguiram um resultado que ele aplaude agora, como pode ele querer juntar-se ao sucesso alcançado, se passou meses a criticar o programa económico que permitiu lá chegar?

Só a falta de vergonha de Passos Coelho e de toda a direita, bem acolitada pelo coro dos seus comentadores de serviço leva a que digam que o governo anterior teve um grande papel neste conseguimento.

Eu não duvido que Passos, se não tivesse sido apeado da governação, também teria colocado o deficit abaixo dos 3%. O que tenho a certeza é que não o conseguiria subindo salários e pensões, e baixando impostos sobre os rendimentos do trabalho. Venderia mais umas coisas aos chineses, baixava os impostos sobre o capital, mandava os portugueses emagrecer mais uns furos, em suma, continuaria a política de devastação que prosseguiu nos seus quatro anos de mandato. E também tenho a certeza que não teríamos o crescimento económico que já hoje se verifica e as perspetivas de que ainda se vai acelerar no curto prazo.

É por isso que é de uma hipocrisia lamentável a direita, a Comissão Europeia, e todos os neoliberais de pacotilha que enxameiam no espaço público, congratularem-se com o evento e ao mesmo tempo virem chamar a atenção para a necessidade das reformas estruturais. Ora, as reformas estruturais são exatamente o oposto daquilo que este governo seguiu e que, como a realidade acabou por demonstrar, levou à redução do deficit. Ou seja, apesar dos resultados serem bons, o que se pretende é que se venham de novo a prejudicar os rendimentos do trabalho em detrimento dos rendimentos do capital, diminuindo em simultâneo o efeito redistributivo que decorre da existência de um Estado Social eficaz e atuante.

O que me leva a concluir que o deficit não passa de uma ficção que é usada como vaca sagrada para justificar as políticas da direita, de ataque aos salários e a quem trabalha. Porque agora, estando já o deficit nos eixos, continuam contudo a preconizar essas mesmas políticas e já inventaram outra fábula que é o deficit estrutural, uma nova montanha para trepar.

No fundo, o que está em causa, não é reduzir o deficit nem pagar a dívida. O que é mesmo importante é saber quem paga a fatura. O que dói a Passos e à direita é que, com este governo, os trabalhadores passaram a pagar um pouco menos. É triste, é muito triste que sintam tantas dores. Mas a avareza é a praia deles. E como dizem os Evangelhos, a avareza é um pecado muito, muito feio.

Anúncios

16 pensamentos sobre “A desfaçatez não tem limites

  1. Claro que o objetivo da Direita, onde se incluem a generalidade dos comissários europeus e a generalidade dos governos que contam, é a ‘transformação estrutural’ da Economia Portuguesa. Só que dizer que por isso o défice não interessa é cair na falácia dos argumentos ‘ad hominem’. Claro que o défice interessa, com ou sem troika. O País já faliu várias vezes ao longo da História, com moeda própria, e o resultado que se segue é sempre a perda de soberania e o empobrecimento (quem paga, manda, como bem diz a Dra Ferreira Leite, o objetivo de um credor é cobrar a dívida e o bem-estar do devedor só é relevante na medida em que contribui para isso). Como não vi ninguém ainda explicar como Portugal deve passar sem o financiamento dos malvados mercados, temos mesmo que arranjar maneira de baixar a nossa dívida, mesmo que seja só para podermos mandar passear a Senhora Merkel e o Senhor Draghi. Porque, como estamos, estamos completamente dependentes deles. Por isso é que a política do Doutor Centeno é notável (incluindo o reforço do setor bancário, que foi o principal calcanhar de Aquiles da Grécia em 2015). E não há caminho para fora do garrote que não passe por austeridade, resta saber sobre quem ela é exercida. Quem defende ruturas precisa de explicar primeiro a quem é que vamos a seguir pedir dinheiro, como planeia defender uma nova moeda e com que meios e como controla a inflação, porque acreditem que há muitas maneiras de empobrecer e a receita de Passos-Portas até é capaz de nem ser a pior de todas… Olhem para a Venezuela e digam-me lá onde está a soberania deles…

    Gostar

    • Ah, ah, ah, ah….olhem para a Venezuela…
      Lá bem o papão comunista…
      Dantes comiam crianchinhas e matavam os velhos… Mas como essas já não pegam, sibstituem-nas pelo 《Olhem para a Venezuela》….
      25 de ABRIL SEMPRE!!!!!…
      Fascismo NUNCA MAIS!!!!!!

      Gostar

      • E eu digo fascismo de direita e ditaduras de esquerda que são piores nunca mais.
        Não enganem as pessoas honestas.

        Gostar

  2. Se não são milagres só podem ser bruxedos.
    Eu não creio neles, mas também não acredito em bruxas, mas que las hai, las hai, segundo diz o espanhol.
    Para quem não acredita em milagres nem em bruxedos como explica todos os fenómenos que não sendo naturais, são evidentes. Só pode ser Estratégia, Caráter, Saber, Pensamento, Profissionalismo, Rigor e Inteligência. Tudo começa com Costa que forma uma aliança anti natura na qual ninguém acreditava e muito menos na sua eficácia. Apelidada de Geringonça depreciativamente pela Oposição, nunca imaginou que estava a dar a conhecer ao Mundo uma palavra apreciada por todos. O milagre ou bruxedo não se fica por aqui. Por mais que a Oposição invoque o diabo, este já meteu o rabinho entre as pernas e desapareceu.
    -O diabo nunca disse bem do Céu. As razões porque espuma a direita de raiva.
    -Diz o diabo do Passos, a Branca de Neve e os seus anões que o calor que vem aí é mérito do governo anterior, numa derradeira tentativa de se colar à fotografia e a chuva que não caiu é culpa de Sócrates.
    -Depois que António Costa chega a primeiro ministro.
    -Guterres chega a secretário geral das Nações Unidas.
    –Portugal ganha o campeonato Europeu de Futebol.
    -O Papa vem a Portugal.
    -Dois pastorinhos viram Santos.
    -Portugal ganha o Festival da Eurovisão.
    -O Benfica conquista o Tetra.
    -O Défice em 2016 é de 2%. o menor da Democracia.
    -Criação de mais de 180 mil empregos.
    -Desemprego a baixar. —–
    – Emprego a subir……
    -As exportações a crescer—
    -Aumento dos investimentos. —
    -Estanque da emigração, quadros e licenciados.
    -O País que mais cresceu na UE.
    -PIB cresce 2,8% no primeiro trimestre, o maior da década.
    – Portugal sai do défice excessivo.
    – Juros a baixar. No curto prazo juros negativos.
    – A reposição dos ordenados aos trabalhadores.
    – A reposição das pensões aos reformados.
    – A baixa do IVA na Restauração.
    – A reposição de parte da sobretaxa de IRS.
    – O facto de não ter havido privatizações em 2016.
    -( O presidente já fala na hipótese 2017 o crescimento de 3,2% e o défice de 1,4%.)
    http://viriatoapedrada.blogspot.pt/2017/01/governo-ps-e-geringonca.html

    A Tia Dora mandou os búzios à revisão e limpou o pó à bola de cristal. Foi em peregrinação rezar a Fátima na esperança que chova para agradecer o milagre. http://viriatoapedrada.blogspot.pt/2017/05/fatima-futebol-e-fado.html

    A vitória histórica de Salvador Sobral na Eurovisão, foi consequente da política do governo PSD/CDS, que muito se esforçou a incentivar os portugueses a emigrar o que, uma vez que não se pode votar no próprio país, assim com a ajuda dos milhares de emigrantes portugueses por essa Europa fora tornou possível este resultado. Por: .André Broadway

    Gostar

  3. As mentiras que quase viraram verdade. Mentir à direita já vem de longe.
    Mentiras:
    1 – Sócrates levou o País à bancarrora.
    2 – Sócrates Chamou a Troika.
    3 – Já não havia dinheiro para pagar salários e pensões.

    Verdades:
    1 – Quem levou o País à bancarrota e a Europa, Grécia, Irlanda, Islândia, Chipre etc., foi a crise Internacional e a ganância da Banca, tal como aconteceu na Grande Depressão de 1929. ( Prof. Viriato Soromenho Marques, além de muitos mais.)
    2 – A vinda da Troika foi por pressão do PSD/CDS e banca. ( Palavras de Lobo Xavier e Pacheco Pereira.) (Chumbo do PEC IV, já acordado por Bruxelas). Cito de memória o Sócrates: tinha havido um compromisso para que Portugal e Espanha fossem poupados a resgates.

    3 – O dinheiro da Troika foi para pagar aos Bancos Alemães e Franceses. É mentira que não havia dinheiro para pagar salários e pensões. (Palavras de Prof. Economia Castro Caldas, Paul de Grauwe, Conselheiro económico de Durão Barroso, Harald Schumann, jornalista alemão etc..) ( A dívida passou para a Banca Portuguesa e Segurança Social).
    http://viriatoapedrada.blogspot.pt/2014/05/portugal-e-grecia-bancos-alemaes.html

    Gostar

  4. Na verdade, saber (se não sabe é por pura ignorância) que, défice excessivo é aquele que se situa (UE) acima dos 3%, o qual foi trazido por Passos Coelho dos 11.2% deixado por José Sócrates, para 2.98%, e afirmar, que não há mérito em quem alcançou tão grande descida (8.22%) para a saída por défice excessivo, e que esse mérito está todo em quem se limitou a descer o défice apenas em 1%, só para quem a desfaçatez não tem limites, ou para quem não deve nada à inteligência

    Gostar

    • Estas politicas levaram a que descesse abaixo dos 3. As outras não conseguiram e nada prova que conseguissem. Mas você é um “pastorinho”. Vá a Fátima e ponha uma vela à Nossa Senhora para que venha o diabo…:)

      Gostar

      • Ó amigo Estátua,
        “ensaboar a cabeça a burros pretos é perder tempo e gastar dinheiro em água e sabão!”

        É que aquilo não é sujidade, homem!…

        E não esquecer que o salazar e o caetano, assim como o adolfo, governaram porque tinham o apoio de muita gentalha!….

        Gostar

      • “Estas políticas levaram a que descesse abaixo dos 3”. E, ao contrário do que afirma, o que prova que “as outras” conseguiriam também,é a descida conseguida (com o esforço dos portugueses) de 11,2 para 3, a uma média anual de 2%. Portanto,além da maior falsidade proferida, de que “As outras não conseguiram”, é uma total falta de consideração para todo um povo, que se sacrificou para corrigir as irresponsabilidades de um governante socialista

        Gostar

      • Você não sabe ler. Eu escrevi o seguinte num dos parágrafos: “Eu não duvido que Passos, se não tivesse sido apeado da governação, também teria colocado o deficit abaixo dos 3%.” Não leu?

        Gostar

  5. estatuadesal – “Estas politicas levaram a que descesse abaixo dos 3. As outras não conseguiram e nada prova que conseguissem”, é uma afirmação sua, e é sobre ela que comento. se agora me diz que “Eu não duvido que Passos, se não tivesse sido apeado da governação, também teria colocado o deficit abaixo dos 3%.”, isso significa que, sem o mínimo constrangimento, vc é capaz de dizer uma coisa e imediatamente o seu contrário

    Gostar

    • Mais uma vez não sabe ler. Dizer que “nada prova que o conseguissem” não é contraditório com o facto de eu não ter dúvidas que pudesse conseguir, ok? Veja se lê melhor os textos. E não vou discutir economia consigo, porque não tem formação para tal. Mas olhe, a política do Passos era tão boa que até o seu autor, o Gaspar, se foi embora concluindo que os resultados da sua política estavam a ser maus e não eram os que ele esperava obter. E o Gaspar é insuspeito e sempre sabe mais de economia que você. Você parece-me mais um “religioso” das políticas pafiosas do que alguém que sabe pensar e argumentar sobre economia. E eu, religião não discuto. Só lhe desejo boas rezas e muitos terços.

      Gostar

  6. Vc não entendeu nada do que se passou com o ajustamento da troika, e agora, não entende os resultados económicos favoráveis. O ajustamento da troika não foi (ao contrário do que pensam a maior parte dos socialistas) uma política só p’ra chatear! Foi antes uma política para pôr a economia nos ‘eixos’. A prova é que, em meados de 2013 todos os indicadores económicos começaram a melhorar, embora ainda em período de resgate. A partir de 2016 já depois de uma saída limpa, o que verificamos? Ao contrário daquilo que preconizava o governo PS para um crescimento económico suportado no consumo interno (enganou-se!), foi o turismo e as exportações (que já vinham de trás), secundadas pelo investimento e aumento do emprego a beneficiar das reformas laborais do governo Passos, que catapultaram o crescimento, sobretudo e essencialmente porque toda UE está a crescer como há muitos anos não crescia. Portanto, estão equivocados os que pensam que o mérito (que também o tem) é exclusivo da ‘geringonça’, e que o esforço dos portugueses no período de ajustamento foi em vão… E não esquecer que, se “o diabo ainda não veio” (nem se deseja que venha), isso se deve em grande medida à política económica de Passos que começou cedo a dar os seus frutos, mas especialmente à conjuntura externa e interna extremamente favoráveis para as exportações e o turismo.

    Gostar

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bem vindo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s