Falido por causa de Cavaco

(Dieter Dellinger, 22/11/2018)

barao_cavaco

 

O falido é o dirigente da FNAC (Fábrica Nacional de Ar Condicionado), que foi uma cooperativa e se desenvolveu muito para se tornar numa empresa dos dirigentes iniciais, tendo falido há tempos por causa do então PM Anibal Cavaco.

No início do mandato do inimigo da Pátria, Cavaco, a banca estava ainda toda nacionalizada e, por ordem expressa da besta, não comprou nenhum aparelho de fabrico português para milhares de balcões, mas antes aparelhagem japonesa.

Os aparelhos da FNAC eram fabricados sob licença da grande empresa americana AMANA e a FNAC contava com encomendas do Estado, que dominava não só a banca como muitas empresas e os seus próprios serviços.

Calculava-se que o potencial de compra do Estado ultrapassaria as 20 mil unidades, o que permitia transformar a fábrica também num grande exportador.

Mas, o dirigente da FNAC, Alexandre Alves era considerado comunista, apesar de não haver certezas, e o FdP do Cavaco preferiu retirar trabalho a portugueses a favor dos nipónicos por um facciosismo político verdadeiramente esquizofrénico.

Claro que não foi a única empresa nacional a ser destruída por Cavaco. Muitas outras se seguiram. O gajo só admitia empresas dos amigos do PSD como as do grupo BPN que também faliram e corromperam o Cavaco com a venda de ações baratas e recompradas a preços muito mais altos. Foi algo que os magistrados nunca quiseram investigar.

Agora, Alexandre Alves tem de viver do ordenado mínimo de 580 euros, por ordem judicial, para pagar todos os seus rendimentos e ordenados acima desse valor a outra besta do PSD, a deputada Maria Luís Albuquerque, que nada faz na AR a não ser receber o ordenado, já que como se sabe,  trabalha na empresa recuperadora de créditos “Arrow Global”.