Abrunhosa? Quem é?

(Joaquim de Freitas, in Facebook, 26/07/2022)

Confesso que não sei quem é, nem sei se canta bem ou mal, se diz alguma coisa nos seus textos. Porque no texto duma canção, pode dizer-se muito…ou nada! Pode-se, por exemplo, inflamar um povo com o nome duma terra, morena de preferência!

Não é do meu tempo de artista… Porque também cantei…em público! Era o Zé Povinho… Mas os textos eram censurados antes de passar ao microfone, ali no Jardim Público!

Mas segundo o que li aqui mesmo, o Sr. Abrunhosa é um artista. E tem uma opinião politica, sobre a Ucrânia e não só. E tem todo o seu direito. Tem direito a exprimir-se. Tem direito a apoiar Zelensky e detestar Putin. Sem dúvida.

Tem direito a apoiar os nazis dos batalhões de Azov e do Setor Direito. Tem direito a apoiar os assassinos que durante 14 anos estupraram mulheres e crianças no Donbass, assassinaram sindicalistas na Casa dos Sindicatos de Odessa, à qual pegaram o fogo, queimando vivos algumas dezenas de ucranianos, porque falavam russo… E assassinaram 14 000 outros de todas as maneiras, incluindo tortura. Porque eram separatistas. Porque não aceitaram o golpe de estado de 2014, que os americanos cuidadosamente prepararam de longa data.

O Sr. Abrunhosa é um artista. E os artistas têm uma alta ideia da democracia. E para eles, e outros, a América seria a Democracia.

Mas a democracia, por vezes não está domiciliada onde pensamos. Ele, como muitos portugueses, pensa que é em Kiev que a democracia respira. Que importa se os partidos da oposição foram banidos, a imprensa calada, e mesmo se a Procuradora da Justiça foi “expurgada”, bem como algumas dezenas de colegas ministro? Não compreendeu, Abrunhosa, que não é por os EUA dizerem que representam os altos valores da democracia que estão impedidos de puxar todos os cordelinhos que trouxeram a Ucrânia para o desastre atual. Vimos o Iraque, o Vietname, o Afeganistão, a Síria, a Líbia, etc.. O Chile, o Panamá, a Guatemala, etc.

Ora, por falar de artistas, pensei num, um verdadeiro, cujo nome conheci quando era garoto. O seu talento artístico deu a volta ao planeta. Falo de Charlie Chaplin. Foi um exemplo de combatente da democracia. Os seus textos diziam muito, diziam mesmo tanto que um dia a “pátria da democracia”, onde vivia, “o farol dos direitos humanos”, o considerou suspeito de se posicionar do mau lado da barricada da liberdade. Porque nesse país farol, só se pode pertencer a um campo: o do pensamento único.

Convencido de que Charlie Chaplin estava a soldo de Moscovo, J. Edgar Hoover, o chefão do FBI, nunca deixou de o espiar durante trinta anos na tentativa de revelar as suas atividades “antinacionais”. Durante 50 anos, Charlie Chaplin foi vigiado, a sua vida privada escrutinada, as suas contas desfeitas, os seus filmes analisados nos mínimos detalhes pelo FBI, convencido de que esse estrangeiro, que fizera a sua fortuna nos Estados Unidos, tinha simpatias comunistas.

Após 50 anos de caça obsessiva, o dossiê de Chaplin chegou às 2.000 páginas. O primeiro memorando data de 1922 e a última nota de 1978, um ano após sua morte. Um homem em particular estava convencido de que Chaplin era perigoso para os Estados Unidos: J. Edgar Hoover, diretor do FBI durante 48 anos, racista, sexista, homofóbico, mas acima de tudo visceralmente anticomunista. Ou como hoje se diz, russofóbico.

O duelo entre o jurista e o artista é reflexo das correntes ideológicas que então dilaceravam os Estados Unidos. Como hoje o nazismo nas ruas de Charlotteburg. Ou em Kiev…

O filme “Tempos Modernos” de 1936, uma crítica severa ao capitalismo desumano, irrita particularmente políticos e lobbies conservadores, mas o filme atrai o público e as contas do cineasta são irrepreensíveis: nada indica que ele contribua para a causa comunista.

Se nega ser comunista, Chaplin, no entanto, tem opiniões que ofendem o patriotismo americano, como o monólogo final, humanista e pacifista, em o “Ditador” (1940). Pacifista! Quando tantos preferem a guerra!

Em 1952, em Londres, quando apresentou o seu filme mais autobiográfico, “The Limelights”, ‘Luzes da Ribalta´, o seu sorriso era tenso. Charlie Chaplin acabava de saber do cancelamento de seu visto de regresso aos EUA pelo procurador-geral, James McGranery. E ele então disse: “Se voltarei ou não a esse triste país, pouco importa para mim. Eu quero dizer-lhes que quanto mais cedo me livrasse dessa atmosfera odiosa, melhor me sentiria, pois estou cansado dos insultos e da arrogância moral da América.”

Se ele soubesse o que se passa hoje! Hoje, um pequeno actor insignificante (Zelensky), apoiado pelo mesmo espírito nazi de outrora e pela América, exige na Europa que o Mundo marche para o Apocalipse, para esquartejar a Rússia.

Juntamente com alguns outros, incluindo Orson Welles e a escritora Pearl Buck, Prémio Nobel de Literatura em 1938, Charlie Chaplin acha que a Rússia deve ser aliviada na sua luta contra o nazismo abrindo uma segunda frente. Ele mesmo tornou explicitou isso mesmo em 1941. Convocado para substituir o embaixador dos Estados Unidos na URSS durante uma reunião organizada pelo Comité de Apoio Americano ao Alívio de Guerra na Rússia, Chaplin convocou 10.000 simpatizantes com um vibrante “Camaradas”.

A sua queda de popularidade nos Estados Unidos foi, então, sem precedentes. Só na década de 1960 é que os seus filmes recuperaram os favores do público, e em 1972 veio a ser perdoado por Hollywood que lhe concedeu um Óscar honorário. A ovação de pé durou doze minutos, e foi a mais longa da história da Academia. Chaplin não pisava o solo americano há 21 anos.

O seu combate contra o fascismo e o nazismo fizeram de Charlie Chaplin, a consciência da Humanidade.


Gosta da Estátua de Sal? Click aqui.

16 pensamentos sobre “Abrunhosa? Quem é?

  1. Não tenho palavras para agradecer ao autor este texto sobre Chapelin e em contrapartida dizer o horror, do meu ponto de vista, no pouco tempo que lá estive, em Washington, que senti ao verificar a interacção do povo negro com o branco e verificar as atitudes racistas do branco para com o negro. Querem fazer do mundo o mesmo que lá fazem. Gringos nem vê-los….

      • Não posso abrir a boca nos EUA nem nesta desgraçada UE nazi. Esta nazi, filha e neta de nazis que nos desgoverna vai ter um triste futuro. É uma vergonha esta “democracia”, que nos cortou o direito ao debate e ao contraditório. Eu vou à Rússia e falo, apoiando Putin, contra os criminosos da NATO….

  2. Não sabe quem é Abrunhosa? É pena. Muitos felizmente sabem.
    Zelensky é judeu e não é anti-semita nem nazi. Essa conversa já não convence ninguém.
    E já agora sabe quem é o capitalista Putin? Não deve saber. E mais se o seu vizinho lhe quisesse roubar parte da sua casa, a invadisse e começasse a matar a sua família para prosseguir os seus intentos?

    • Cara Senhora
      Sabe porventura quantos capitalistas como Putin tem a América? Esqueceu-se também que desde a 2 Guerra Mundial a América tem procurado dominar o mundo com bases militares em quase todos países. Tem derrubado Estados democráticos e outros para que sigam a sua política criminosa. Sabe porventura que objectivos visa o imperialismo gringo?
      Aconselhava-a a ler mais sobre o imperialismo americano.
      Cumprimentos

    • Ser capitalista agora é crime? Cuidado, minha senhora, olhe que ainda a arrumam na prateleira do comunismo, ou do putinismo, que no pensamento taxista dominante são hoje uma e a mesma coisa. Quanto ao Abrunhosa, por acaso até sei quem é. É um taxista como Vossa Excelência. Fuck him! And fuck you to!

      Post scriptum — Ora toma que é democrático!

    • Mas conhece ou sabe quem era Stefan Bandeira? Tb era Judeu e matou e mandou matar milhares de Judeus! E Tb sabe que pouco antes da Guerra com apoio dos AZOVS glorificou este “Heroi” Fascista com Estatua para a posteridade ? Tb sabe e finge não saber que este “Heroi” mandou ilegalizar 8 Partidos e Sindicatos? Será e é o seu Heroi,mas creia que mesmo para milhões de Ucranianos não o é …….Pq perseguia com o seu Batalhã Azov, Ucranianos que falavam outras Linguas que receberam em em Herança outra lingua de seus Avós e Pais …….so desejo que ao querer entrar na UE ,não tragam para dentro da Comunidade tais objectivos Raciais,pq a verdadeira Guerra já existia e existe dentro da Ucrania que era e é uma “Guerra Civil” que a UE finge não ver e conhecer …..

      • Isso só revela o tipo de gente que são os judeus. Há muitos exemplos do que essa gente é capaz de fazer…abram os olhos, não sejam tendenciosos e hipócritas….

        • Sim senhor, Senhor Sousa! Com que então, um antisemita! Sejamos claros! Quem começa por ser anti-semita (como, aliás, o Hitler), acaba normalmente a ser só pró-ariano e, naturalmente, racista! Assim se entendem melhor os seus escritos! Assim se entende que chame à Europa, nazi! E pode continuar, porque assim está perfeitamente identificada a sua orientação ideologico- etnica! Parafraseando-o, “Isto só revela o tipo de gente que são os” “racistas”!

    • Quem é este admirador de pedófilos? Sim há vários anos que se sabe que o conhecido banburro gostava de criançinhas… lê pá! Quanto ao Abrunhosa, o homem pode ter a sua opinião?

      Eu ainda o conheço embora não aprecie a sua música. Agora tu?
      Quem és tu?
      Pela tua escrita vales…ZERO!!!

  3. Felizmente existem estrelas que guiam e iluminam de verdade toda a humanidade no sentido verdadeiro do humanismo. Depois existem outras pertenças estrelas que até tem alguma luz ,mas que por falta de moral e humanidade verdadeira se ofuscam e levam também ao ofuscamento de muita gente “cega”. Tenho a dizer ainda que já fui fã de Pedro Abrunhosa …mas no entretanto cresci e amadureci …

  4. Tudo o que foi dito falta só um elemento o mais importante a Nato os Estado Unidos e o loby das armas, 3 organizações TERRORISTAS, que organizam semeiam a discórdia no mundo para proveito próprio.

Leave a Reply to Fernando Pinto Cancel reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.