Mariana Mortágua versus Moniz da Maia

(Por Jovem Conservador de Direita, in Facebook, 03/05/2021)

Corre por aí um vídeo da deputada Mariana Mortágua a humilhar numa comissão um dos melhores empresários deste país. Esse empresário é o Dr. Bernardo Moniz da Maia, uma mente brilhante na qual o BES investiu 500 milhões. Para quê? Para fazer negócios complicados. (Ver vídeo abaixo).

Não me cabe a mim avaliar a qualidade dos negócios do Dr. Moniz da Maia, mas se lhe emprestaram tanto dinheiro foi porque mereceu. Acham mesmo que um banco colocaria tanto dinheiro nas mãos de alguém que não fosse de uma extrema competência? Se lhe deram tanto crédito foi porque mereceu. Era complicado estar aqui a explicar a leigos o que é que leva um banco a colocar tanto dinheiro nas mãos de uma pessoa, mas acreditem que o fez por boas razões.

Provavelmente arrebatou as pessoas do BES com uma excelente apresentação de powerpoint com muitos gráficos.

É muito fácil humilhar um homem destes quando as coisas correm mal no conforto do parlamento. É fácil perguntar-lhe o nome de fundações e de offshores como se o Dr. Moniz da Maia fosse uma pendrive que tivesse de saber de cor as formas que usou para, legitimamente, proteger a fortuna que conquistou através do seu mérito do socialiamo e do totalitarismo da máquina fiscal.

Faltou a Mariana Mortágua a coragem de lhe fazer perguntas verdadeiramente difíceis como “o que é que o apaixona?”, “o que é que pensa sobre a ingratidão das pessoas em relação ao seu excelente trabalho?”, “o que dizem os seus olhos?”, “tem aqui um daqueles microfones pequeninos das TED Talks, pode coloca-lo e inspirar-nos um bocadinho?” ou “gosta de atum?” Isto sim, seria usar bem os recursos de uma comissão parlamentar. Ia permitir-nos conhecer o ser humano e o empreendedor por detrás daquele buraco de 500 milhões.

Porque os empreendedores têm de ser apoiados mesmo quando falham. Nós investimos nas pessoas e no seu potencial. Se os primeiros 500 milhões desaparecem, temos de continuar e emprestar até que o potencial se cumpra. Temos de permitir que o Dr. Moniz da Maia cresça de uma forma segura. Condená-lo por ter queimado os seus primeiros 500 milhões é como bater num bebé por não saber usar talheres. Temos de aceitar que um bebé vai deixar cair muita papa até conseguir comportar-se devidamente num jantar de gala. Se perdermos a esperança num bebé logo da primeira vez que o vemos tentar comer com uma colher de plástico ele nunca vai desenvolver-se. Com os empreendedores é a mesma coisa.

Se chamamos os empreendedores ao parlamento para serem humilhados por deputados estamos a matar a inovação neste país. Temos de apoiar os empreendedores quanto têm sucesso, mas sobretudo quando falham, que é quando mais precisam. Quantos e quantos jovens empreendedores desistiram dos seus sonhos depois de verem a Mariana Mortágua, a assassina da inovação, a humilhar o Dr. Zeinal Bava? Sempre que um jovem empreendedor rasga o seu poster do Dr. Zeinal ou do Dr. Moniz da Maia o nosso PIB per capita morre um bocadinho.

🙂🙂🙂🙂


Gosta da Estátua de Sal? Click aqui.

7 pensamentos sobre “Mariana Mortágua versus Moniz da Maia

  1. Vi o assassinio moral desse grande empresário de sucesso ,um empresário que ganha 3000 euros e tem um carro em leasing ,esse é o seu património então onde estão os 550 milhões ? Esfumaran-se em pó ,estes são os empresários portugueses que vivem a conta do estado e da divida que provocam nos bancos ,porque não investem 1 euro deles pedem emprestado se der deu senão o entalado é quem empresta neste caso o Novo Banco ,assim vamos cantando e rindo com estes empresários de sucesso !

  2. Oh sr. Jornalixo, vá chamar leigos a quem lhe pertence. E isenção é algo que se precisa, mas que o Sr. Jornalixo não tem.

  3. O Sr. Moniz da Maia, não foi humilhado, mas humilhou-se! Para mim, cidadão e homem livre, é-me indiferente saber a história toda, mas tão só a falta de dignidade que este Sr. teve. Aliás, não foi só a deputada Mortágua, foi também a deputada do PSD que lhe fez perguntas às quais o Sr Maia não respondeu. O Dr.Advogado fazia figura de embrulho e o Sr. Maia não queria responder. Uma figura triste e patética. Não quer desvendar nada? Está no seu direito, mas poupe-nos o embaraço da vergonha s.f.f. O Banco emprestou-lhe a quantia, e ele deve, isso é certo. Qual ou quais são os negócios? Não sabemos. (ou se soubéssemos o que saberíamos) Um triste espectáculo que testemunhámos graças à patetice das comissões de inquérito que são incompetentes para apurar a verdade, graças aos deputados da Assembleia da República e à legislação que a acompanha. O Sr. Maia é obrigado a comparecer na Comissão de Inquérito. É tudo mau. Paciência, estamos a ver um filme que não deveríamos ver.

    • O comportamento, a atitude e o semblante do Sr. Moniz Maia é uma vergonha para este desgraçado País que está cheio de gente com este perfil e que se diz empresário… Concordo plenamente com aquilo que mencionou o Alexandre Bastos!

  4. Puxa.

    Estes textos são uma lufada de ar fresco depois da podridão da campanha de vómito da estátua a favor dos corruptos Sócrates e Salgado.

    Claro que ao bandido Maia não vai acontecer nada graças ao sistema safa-corruptos que a estátua defende.

    Mas ao menos não está a fazer deste um mártir como fez com os outros corruptos.

    Parece que para a estátua criticar está bem, desde que não haja consequências para os seus queridos corruptos de estimação.

    Cá para mim, nestas coisas sou esquerdista e defendo a solução de Fidel, Che e do partido comunista chinês para a corrupção.

    Se estivéssemos na republica popular da China este animal já tinha sido despachado e a despesa da munição apresentada à família.

  5. Mas que porcaria de artigo! O autor, com toda a certeza, enfiou uns medronhos pela goela abaixo e, indisposto, vomitou toda a sorte de porcaria que lhe ia na alma. E isto sem sequer se dar ao trabalho de fazer sentido. Então, esse fdp dá um calote de mais de 500 milhões e o autor desta defecação ainda tem o desplante de lhe passar a mão pelo pelo e, como se não bastasse, ainda vem instar os incautos que, como eu, aqui vieram parar a fazer o mesmo?! Haja paciência…

Leave a Reply to Alexandre Ereira Bastos Cancel reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.