Porque é que o Corona Vírus não é comunista (nem socialista, vá)

(Valdemar Cruz, in Expresso Diário, 01/04/2020)

Ao que parece, na Índia, onde 1,3 mil milhões de pessoas estão a ser obrigadas ao confinamento, o Corona Vírus passou a ser apelidado de “Comuna Vírus”. A lógica é na aparência inatacável. É um vírus difundido a partir de um país que se diz comunista, na sua voragem infeciosa não distingue ricos de pobres e, de alguma forma, tem vindo a forçar alguns laços comunitários, não obstante o confinamento a que todos estamos submetidos.

Andei uns dias a matutar na bondade deste argumento, reforçado com as atitudes de Donald Trump e Jair Bolsonaro, dois aguerridos apóstolos do combate a tudo quanto possa ter o mais leve odor socializante. Ambos têm sido inultrapassáveis nas manifestações de desprezo e amesquinhamento do vírus e da sua hipotética importância. O problema é que, quando se trata destas duas excrescências, tudo quanto possa ser ditado pelo esboço de uma ideia ou por um qualquer arremedo de posicionamento ideológico, não o é. É mesmo só ignorância e boçalidade.

A pandemia é democrática, dizem outros, por afetar a todos por igual. Falta o contexto de cada um. O meu confinamento num apartamento na baixa do Porto, equipado com tudo quanto necessito para me distrair e comunicar, não é bem o mesmo que viver em precárias condições no apartamento minúsculo e sobrelotado de um bairro camarário, ou pior, na barraca de uma ilha, ou, extremo absoluto, ter a rua como dormitório. Não há fantasia de igualdade que resista, nem comparação possível com quem deambula numa casa pornograficamente recheada de assoalhadas e com jardim à vista e a perder de vista.

Até podemos estar todos a viver numa espécie de prisão domiciliária, mas o modo como sente, a pode ou consegue vivenciar o operário da construção civil, o pescador de Matosinhos, a empregada de limpeza ou o precário a recibos verdes é bem diversa da de um banqueiro com espírito, mesmo se santo.

O Corona é até anticonstitucional, se estabelecermos um paralelismo com o postulado na nossa Constituição, segundo o qual a trabalho igual deve corresponder salário igual. Então, a doença igual deveria corresponder padecimento igual.

Não vemos nada disso. Pelo contrário, vemos a estrutura de classes em todo o seu esplendor, escancarada nas consequência de um vírus que, se algo socializa, é apenas a doença. Tudo isto somado parece evidente que o Corona Vírus nem eurocomunista é, e está longe de mostrar pergaminhos para se reclamar de socialista.


Advertisements

Um pensamento sobre “Porque é que o Corona Vírus não é comunista (nem socialista, vá)

  1. Por falar em excrescências, socialismo e comunismo, conhecem maiores excrescências do que os socialistas e comunistas que nos transportaram para o atoleiro económico e social em que estamos, sem a mínima capacidade de resposta eficaz a esta pandemia, em virtude da destruição da economia nacional e do comportamento euro-pedinte? Agradeçam às sinistras figuras MSoares e ACunhal e seus camaradas.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.