Costa e a competência!

(Joaquim Vassalo Abreu, 03/08/2019)

Aquilo que eu converso com os meus Amigos de Direita é tudo menos a menorização das suas fidelidades porque, muito embora eu ao fim destes anos todos insista em não as compreender, nem elas nem os seus propósitos que eu entendo como os mais contraditórios que em relação a eles há mas, isso sim, os méritos de quem eu apoio! E porque entendo que assim é que deve ser!

Porque sei, e todos deveríamos saber, que a Direita tem muitos recursos e até demasiados recursos para o meu gosto! E quando acusa de “nepotismo” este Governo liderado pelo PS, ela nada mais está a fazer do que manifestar o seu desagrado por outrém, o PS, neste caso, pisar, nem que por uma simples unha, aquilo que lhes comete, que é propriedade sua, sempre foi, e só neste momento não rege porque o Povo é estúpido, ingrato até, e até esquece essa coisa tão comezinha que é quem lhe dá o emprego…

São inúmeros e palpáveis os recursos da Direita, não só porque, pese esta ínfima e desinteressante intromissão de alguns indiciados nomes de familiares de membros do Governo como Fornecedores do Estado, e era bom saber quem são a parte preponderante, aquela fornada dos anos de ouro do inteligente Portas, que não dava fio sem nó, todos sabemos e o Álvaro Santos Pereira, “former” Ministro da Economia de Passos, em livro contou, que nada assinava sem contrapartidas palpáveis…mostram um pouco do que a Direita é capaz!

No caso citado em sua defesa própria, isto é dos seus privilégios, mas em não sendo Governo, por simples ingratidão das pessoas, pelos meios de que dispõe, utilizando sempre pessoas e serviços da sua laia e dependência, para afrontarem o Estado e, à falta de outros meios, legais e escrutináveis, exercerem sobre ele um autêntico terrorismo!

Tudo isso se vai manifestando alegremente nestes dias por entre a confusão de pré guerra civil no PPD, por falta de rumo ideológico e no retiro espiritual da D. Cristas, para reflexão sobre o futuro e preparação do mesmo (mas o futuro não é daqui a dois meses?) onde, para já, conseguiu ser iluminada por uma enorme graça e que logo veio anunciar: por causa deste Governo a Democracia em Portugal corre sérios riscos! Era para ficarmos todos de cabelos em pé mas…ninguém ligou!

Também parece que essa coisa tão difusa como “as falhas do Estado nos incêndios”, é que pelos vistos os Estados vão todos falhando e já nem falo nos recorrentes casos dos EUA e da Austrália, agora até a insuspeita França, também já não colhe e a questão das golas ou gravatas ou lá o que são dos Bombeiros de tão surreal também não.

As TV’s, os Comentadores e todos os representantes da oposição de direita com cadeiras em tudo o que é meio de comunicação social bem que se esforçam mas não param de enfrentar a fria realidade, cada vez mais firme e impiedosa: a falta de audiência! A grande maioria já não os ouve nem lê…e vão pregando no deserto…

As sondagens vão sugerindo a questão essencial: a falta de votos e a sua incompetência versus a competência de Costa, de Centeno e do seu Governo! Desta vez Marques Mendes já não disse que era brincadeira do 1 de Abril a hipótese de Centeno poder rumar a chefe do FMI, coisa que agora declinou. Não, já não ousou fazê-lo e não o ousou porque já não quis enfrentar o ridículo!

Porque, como se diz, o ridículo “mata” e ninguém quer “morrer” pelo ridículo, a não ser que se chamem Rio ou Cristas e as cenas da composição das listas, não pela competência que lhes assiste e pela liberdade de escolha de que dispõem e nenhuma destas está em causa, mas pela degenerescência de comportamentos vindos a público que nada abonam sobre as suas capacidades de serem oposições responsáveis.

De nada disso Costa tem culpa e se alguma culpa lhe posso assacar é um certo temor em denunciar o autêntico “terrorismo” que são estas greves selvagens que ousam afrontar a estabilidade da sociedade e da nossa economia, apesar das medidas já tomadas, deixando que o silêncio da direita seja para isso uma condicionante.

O Povo já não aceita titubeações, está mais que visto, e por isso a Direita cobardemente se cala ( também acho ensurdecedor o silêncio da CGTP,  já agora) e exige medidas concretas e adequadas. Medidas que deixem essa gente sem brio e sentido pátrios presos à sua irresponsabilidade e a Direita refém do seu silêncio!

A competência também se vê aqui e é proibido ser-se timorato, não é COSTA?

16 pensamentos sobre “Costa e a competência!

  1. «Porque sei, e todos deveríamos saber, que a Direita tem muitos recursos e até demasiados recursos para o meu gosto! E quando acusa de “nepotismo” este Governo liderado pelo PS, ela nada mais está a fazer do que manifestar o seu desagrado por outrém, o PS, neste caso, pisar, nem que por uma simples unha, aquilo que lhes comete [hum?????????????], que é propriedade sua, sempre foi, e só neste momento não rege porque o Povo é estúpido, ingrato até, e até esquece essa coisa tão comezinha que é quem lhe dá o emprego…», ui?

    Nota. Epá, ó Vassalo, vai deitá-la que de Política e de seriedade intelectual percebes nadinha!

  2. Mais um artigo que subscrevo na íntegra… O dedo nas feridas de que uma direita enferma sem encontrar o norte, sem que um único cientista das suas fileiras, encontre as formas de cura.
    A direita, nunca conseguiu ocupar o seu espaço na oposição. Depois de vaticínios de horrores, com o diabo pelo meio, hibernou à sobra do laranjal, esperando que o diabo fizesse o seu trabalhinho e a geringonça não chegaria muito longe, se é que conseguiria alguma vez, arrancar sem se desconjuntar logo ao primeiro metro percorrido… Quando acordou, deparou-se com uma realidade bem diferente. Ainda estremunhada, esfregou os olhos feridos pelo efeito da intensidade da luz e sentiu-se perdida num mundo que já não era o seu… Aturdida com o andamento de uma geringonça, que afinal era bem mais que uma geringonça. Era uma máquina consistente e com bom desempenho que conseguiu chegar ao destino.
    Como diz o povo na sua sabedoria imensa: “quem muito dorme pouco aprende”, a direita dormiu de mais. Sem qualquer programa engendrado que lhe permitisse ocupar o seu novo espaço, deita mãos ao que lhe aparece. Sentou-se ao soalheiro, e como qualquer coscuvilheira que se prese, entrega-se aos pequenos casos do “diz que disse” e até hoje nunca se libertou da sua condição de coscuvilheiro do soalheiro.
    Entretanto, Costa e o seu governo prosseguem serenamente o seu cominho, indiferentes a todas as coscuvilheirisses da direita, seja do espectro partidário, seja do fiel servidor ao seu senhor, manipulando toda a informação escandalosamente comprometida com a desnorteada direita, convencidos que a sua mãozinha os ajudará a encontrar o norte. Nem se dão conta que quem se desconjuntou foi a direita, já reduzida a sucata….

    • Gostei, por ser um texto simples e limpo.! Não obstante de uma coisinha ou outra, porque na política não existe a »Perfeição«.

  3. Concordo em 90% excepto no facto de o autor deixar o PS de fora da direita a que pertence.

    Temos é muita sorte de ter a geringonça…

  4. A mim parece-me que o articulista resolveu, a martelo, meter a CGTP na embrulhada. Tinha mais por onde se espraiar, mas, prontus, encalhou na CGTP.

  5. Se o governo espera pelo último momento para marcar os serviços mínimos, das duas uma: ou é incompetente, ou não quer estragar a ideologia de que o mercado tudo resolve e o estado nada pode, aproveitando também para ganhar mandato popular para vir a limitar o direito à greve.

  6. Em estéreo.

    Nota. Envia ao Sancho ó da Estátua, antes de. Vassalo, my fellow citizen, obrigado pelo teu generoso post sobre o Mário Centeno e não sei o quê mas, em troca, aprende também qualquer coisa com o Vasco Pulido Valente. O Vasco nunca lidou com a malta do aparelho do PS apesar de ter feito parte da candidatura de Mário Soares, lê-se e percebe-se.

    […]

    https://estatuadesal.com/2019/07/31/o-efeito-do-centeno/comment-page-1/#comment-15489

    • Não, não se percebe como não se percebe, ninguém percebe nada do que escreve; nem quem me conhece nem quem não me conhece…

      Quanto ao VPV o Coronel de Abril Carlos Matos Gomes, distinto colunista e pensador, escreve hoje no Facebook um simples artigo em que faz o “elogio fúnebre”’de VPV e, note, não é nada abonatório!

      Fazendo das palavras dele minhas dó lhe posso dizer: se VPV é sua referência só por aí posso concluir do que vai pela sua cabeça…

      Atestado fiel das idiotices que teima em escrever…

      • Ui?

        Nota. Vassalo, pá, tem calma pá! Sobre o Carlos Matos Gomes e outros demiolados da A25A como ele, como um tal major que anda a esvoaçar pelo Twitter e pela merda do Facebook, já tratei do senhor por aqui. Sobre ti, tal como o Dieter e a Virgínia da Silva Veiga, entras ou entram na categoria dispersos dos dispersos d’A Estátua de Sal num volume das minhas eventuais Obras Completas. Eu também acho que o tipo é dis-TINTO, aliás acho que uma parte importante do problema reside ai…

        _____

        RFC diz:
        Junho 11, 2019 às 2:12 pm

        Nota, prévia

        Carlos Matos Gomes ontem, tal como o Rodrigo Sousa e Castro que aparece às vezes, pelo Twitter, e por aqui n’A Estátua de Sal, em especial, permitam-me que vos pergunte uma coisinha.

        Eu ainda não percebi exactamente em nome de quê, ou de quem?, é que alguns destacados membros da A25A passam uma parte importante das suas vidas a flanar pelo infra-espaço público plasmado nas redes sociais, com a merda do Facebook em destaque, exibindo perante os seus concidadãos os seus galões e uma pretensa auctoritas que vem, alegadamente, da institucionalização do Conselho da Revolução. Mais, e pior: peleando contra os ímpios como o JMT no caso vertente, o PR, o sempiterno Salazar, anteontem o Cavaco Silva, o Pedro Passos Coelho ou, ontem, os líderes do PSD/CDS, sei lá quem mais!, como se vossas senhorias fossem eternamente donos da história contemporânea portuguesa. Nada de muito original ou estranhamente português, se pensar bem, pois, na verdade, sei que foram protagonistas do 25 de Abril. Ainda assim, para além de considerar que há bons motivos para argumentar que esse deve ser o papel destinado a terceiros, considero também que deveria ser-vos exigido que, pelo menos, o fizessem em voz própria sempre com lisura, inteligentemente, e não ao estilo de conversa de clã de oficiais, com o copo de whisky e gelo prazerosamente servido na selva ou nas messes, do despertar para os assuntos ao som do cornetim ou dos, subsequentes, berros nas camaratas, com o respeito imposto pelo bater dos tacões, ou pelo ranger das botas impecavelmente ensebadas pelos soldados.

        Aliás, o resultado está à vista, note-se, seja na existência de comentários mais cabeludos ou no destilamento de ódio próprio da penumbra das caixas dos comentários.

        Dito isto, se o Carlos Matos Gomes, ou o Rodrigo Sousa e Castro, ou alguém da A25A, quiser/em descer do Olimpo da Pátria em que se acham alcandorados e explicar/em aos jovens e menos jovens, democratas ou não, que vivem aqui neste pedaço de terra o que realmente os move, por mim, estejam na vossa casa.

        ______

        https://www.rtp.pt/play/p5722/e403203/assembleia-selvagem

        Em resposta a XXXXXXXXX

        Nota. Apesar disso, ficaram pontas soltas na RTP, digamos que convenientemente por esclarecer, naquilo que poderia beliscar o MFA. Quem disse o quê, o MRPP tem costas largas!, exibiu-se apenas o escalpe do Diniz de Almeida mas sabe-se, há anos, que o tipo se retirou para a sua datcha.

        […]

        «Quem agora compreenderia que uma assembleia […] decidisse a nacionalização da banca e dos seguros e, pior do que isso, a institucionalização do MFA como poder de Estado?» – Vasco Pulido Valente,

        https://pbs.twimg.com/media/D5LRBqOWkAEU0Z-.jpg

        Entretanto, fica por aqui a mais aproximada razão do meu relambório anterior (o documentário da RTP 2 e, assertivo, artigo do VPV tiveram consequências. Eu não leio o Tornado, acho que se entende.

        https://estatuadesal.com/2019/06/10/o-portugal-da-mini-um-discurso-salazarista-em-portalegre/#comment-14720

            • Não, Sr. Joaquim Vassalo Abreu !

              Eu com o Mosca (RFC), não sou condescendente !

              Como “boa” Mosca que é, esse insecto, é admirador do vasquinho pulido valente (olha que admiração !!!), um tipo ressaibiado e frustrado, que está “técnicamente morto”, mas não sabe, porque ainda ninguém lhe disse…

              Está morto e fede…razão única e suficiente para o Mosca zumbir à sua volta, deleitado com o “perfume”…

              Um tipo repelente, este Mosca, que se dá tanta importância, (a “importância” de uma mosca frente a qualquer “shelltox”…) que escreve… “ISTO” :

              “Vassalo, pá, tem calma pá! Sobre o Carlos Matos Gomes e outros demiolados da A25A como ele, como um tal major que anda a esvoaçar pelo Twitter e pela merda do Facebook, já tratei do senhor por aqui. Sobre ti, tal como o Dieter e a Virgínia da Silva Veiga, entras ou entram na categoria dispersos dos dispersos d’A Estátua de Sal num volume das minhas eventuais Obras Completas”

              “Já tratou do senhor por aqui” diz o Mosca com incomensurável “modéstia” ! E até vai ter “Obras Completas”pá, vejam só…pá !
              `
              Pois claro ! É um Mosca português a “esvoaçar” por aqui…pá !

              E lá dizia António Aleixo

              Uma mosca sem valor
              Poisa com a mesma alegria
              Na careca de um doutor
              Como em qualquer porcaria

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.