As desventuras do Ventura

(Por Estátua de Sal, 18/07/2017)

ventura

Passos Coelho não acerta uma. Com alguma pompa e circunstância escolheu como cabeça da lista de candidatos à câmara de Loures para as próximas eleições autárquicas, um tal Ventura, de seu nome André, acreditando que o ungido seria uma mais-valia eleitoral de peso.

Sendo o Ventura comentador residente da CMTV, onde discorre lesto sobre bola, política e justiça, e fazendo parte da seita dos especialistas em Sócrates no caso Marquês; sendo o Ventura um jurista poliglota, de pena fácil, tão fácil que até consegue escrever livros em parceria com essa sumidade da CMTV que é a taróloga Maya (Ver aqui), Passos deve ter achado que o reinado do camarada Bernardino em Loures estaria próximo do fim.

Ora, o Ventura, não desiludiu e começou a campanha em grande força e estilo. Veio dizer, alto e bom som, que não gosta de ciganos. Que as comunidades ciganas são um problema para os municípios, mormente para Loures, e que os ciganos vivem essencialmente à custa do Estado. Foi sucesso imediato. O Ventura, que só era conhecido no grupo dos fiéis da CMTV passou a ser conhecido do país, ainda que o seja pelos piores motivos. É a escola do Correio da Manhã a funcionar: todos os motivos são bons, mesmo os mais torpes, desde que vendam ou façam vender.

Ficámos a saber que, o PSD de Passos Coelho, agora também patrocina candidatos racistas e xenófobos. A sociedade portuguesa, onde o único partido de extrema-direita, o PNR, não tem qualquer expressão, ficou agora a saber que o principal partido da oposição também perfilha os valores da extrema-direita.

Passos Coelho conseguiu ultrapassar Assunção Cristas pela direita, pois o CDS já retirou o seu apoio ao personagem (Ver aqui).

É esta a gente de Passos e na qual ele vê mais-valias. Diz então o Ventura que os ciganos vivem essencialmente à custa do Estado, e apresenta isso como algo censurável e que convém discutir.

Pois é, ó Ventura, se forem os ciganos a viver à custa do Estado é mau. Mas se forem os bancos a viver à custa do Estado e dos contribuintes já é bom, não é? Será que os banqueiros também serão ciganos?! E se forem as sociedades de advogados que vivem à custa da consultoria e pareceres que dão ao Estado também já é bom, não é? E se for a EDP a viver das rendas excessivas à custa do Estado, também já é bom, não é? E se forem as empresas que têm PPP’s com o Estado e que vivem à custa dele também já é bom, não é?

Para o Ventura, para Passos Coelho e para outra canalha do mesma estirpe, o Estado deve deixar de apoiar os ciganos e todos os que vivem à custa do Estado, como os velhos, os pensionistas, os desempregados, os deficientes, as crianças e os doentes.

Mas vê lá se és coerente, ó Ventura, também vives à custa do Estado. Se o dono do Correio da Manhã pagasse o que deve ao Estado (Ver aqui) se calhar não teria dinheiro para te pagar a ti pela verborreia que debitas na CMTV.

 

Anúncios

2 pensamentos sobre “As desventuras do Ventura

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bem vindo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s