Pobres amarelinhos, foram abandonados

(In Blog O Jumento, 13/06/2016)

 

amarelos

Que coisa tão estranha, os amarelinhos desapareceram! O cardeal esqueceu-se da sua evangelização da liberdade de escolha, a Cristas parece ter metido férias e os seus deputados jé nem se vestem de amarelo, até o traste de Massamá, que foi o primeiro a abandoná-los, anda a pular de causa em causa, a esperança de o país escorregar nalgum buraco.

O que é feito da preocupação pelos novos projectos educativos, com os professores que iam ficar desempregados, com o futuro das criancinhas, com os direitos contratuais? De um dia para o outro desapareceram, ainda apareceram disfarçados de branco, armados em fascistas à porta de um congresso partidário, mas bastou uma sondagem da Aximage para que tivessem desaparecido.

Como a causa não rende votos os líderes da direita que andaram tão empertigados calaram-se, parece que o próprio cardeal deverá ter percebido que não ia ganhar almas para o seu rebanho e fez-se silêncio, o próprio Marcelo parece ter optado por não mostrar o seu optimismo irritante. A luta terá passado para os bastidores, já que a arruaça estava a dar maus resultados há que negociar e conseguir o que se pode.

Para a história ficou um bom exemplo de como se faz política em Portugal, de como as grandes causas podem não valer nada se não renderem votos, de como a coerência e os valores dão facilmente lugar ao puro oportunismo político. Se a sondagem da Aximage tivesse dado um apoio a causa por parte de 50% dos eleitores a Cristas não teria calado, o Passos tudo faria para chamar a si a liderança desta gloriosa luta e o cardeal já teria dedicado a homilia da cerimónia do casamento das noivas de Santo António ao tema, ainda que na sua diocese a questão nem se coloque.

Mas como a causa não rende nem almas nem votos os colégios ficaram a falar sozinhos, os papás que paguem os colégios, as ovelhas tresmalhadas que procurem o rebanho porque os nossos líderes políticos e religiosos têm mais do que fazer.

Até porque em  nome da austeridade o melhor é deixar cair os colégios pois não se pode exigir que se mantenham os cortes dos professores do ensino público para que o governo pague os ordenados dos professores dos colégios.

Enfim, são assim as causas desta direita da treta que se apoderou do CDS e do PSD.

Advertisements

2 pensamentos sobre “Pobres amarelinhos, foram abandonados

  1. Pois é maus amigos, quem quer “rancho melhorado”, diferenciado da “cambada” tem de ir comer fora e abrir os cordões à bolsa com os cobres da família, digamos que isto é o que o bom senso nos diz!
    No entanto e parafraseando alguns dos responsáveis que têm vindo a suportar esta “luta” dos amarelos, e que afirmam que aos olhos do criador somos todos iguais!…….como podemos ser todos iguais quando à partida pretendemos criar condições privilegiadas no acesso ao ensino?
    Meus amigos até já se ouviu defender que se pode “nivelar” o ensino por cima. É mentiroso e oportunista quem pretende desta forma ser beneficiado suportado a partir dos dinheiros da maioria dos contribuintes que para comer e dormir sabe-se lá os sacrifícios que têm de passar!
    Vou ainda mais longe. Sabemos que até com o mesmo acesso, não existem garantias de igualdade na selação ao trabalho! O recrutamento quer na privada quer no estado continua a privilegiar nomes de berço, o apelido! São diárias as informações que nos chegam dos filhos, mulheres, parentes, amigos que de forma oportunista entram diretamente sem qualquer curriculum ou competência para lugares bem pagos como “paga” de favores particulares e que no público é pago com o dinheiro de todos nós!
    No entanto fiquei satisfeito em verificar que aparentemente aqui se criou uma pequena ilhota de justiça. É certo que não vou poder dar três passos que saio logo de pé!
    Esta nossa sociedade que todos contestamos, mas que depois na prática quando devíamos participar para que se pudessem criar condições para mudar aquilo em que acreditamos, acabamos por não fazemos nada, sendo mais cómodo culpabilizar o “sistema”!
    Pois nós fazemos parte do sistema, fazemos parte da massa amorfa e acrítica que os que vêm controlando o sistema conhecem bem como nos comportamos, e assim vão jogando e controlando a situação!
    Tentamos ignorar o problema dos outros, e fundamentando-nos em egoísmos pessoais, pretendendo alicerçar lutas pela defesa das 35 horas baseadas em “direitos adquiridos”!
    Mas estamos perante uma luta e direitos de todos os trabalhadores ou só de uma parte restrita da sociedade?
    Então e a restante e maioritária população que trabalha 40 , 45 e mais horas não têm direitos?
    Esta “gentalha” nem lhes é permitido pensar que estão de acordo com medidas renvindicativas. Caso o seu patrãozinho sonhe que esse funcionário pensa diferente, metê-o na rua no dia seguinte!…..sem quaisquer “direitos adquiridos”!
    Esta é uma questão de justiça geral na nossa sociedade. Não podem uns terem certas regalias e os outros não!
    Será que estes responsáveis sindicais, leaderes e indutores de opinião, não percebem que estão a criar uma divisão na sociedade, antagónico à justa melhoria das condições laborais da população em geral, ou será que estas posições que assumem não passam de forma oportunista continuarem a garantir as suas posições de privilégio, no seu sindicato? Infelizmente na globalidade estes pseudo sindicalistas não passam de burocratas que lutam pela sua posição de privilégio, aproveitando também a reles negociatas de emprego para alguns familiares e amigos, e esperando pela breve reforma!
    É evidente que estes sindicalistas que defendem as 35h como direito adquirido, sabem que ao consegui-la, nunca mais na vida vão colocar em cima da mesa ou intervir a qualquer nivel na defesa desta causa para os outros que são a maioria. Note-se que esta postura mudou, depois de serem confrontados com cada vez mais gente indignada obrigado-os a mudar o seu discurso, e a dizer entre dentes, que esta medida deveria ser “para todos”!
    É evidente que só acredita quem quer, e que cada vez mais estas pessoas caem no descrédito!
    As grandes causas passam pela pela justeza de sua luta! Dividir sempre existiu como forma de reinar para quem usa e abusa do poder.
    Além destas duas situações que atrás descrevo penso que o maior empecilho para que existam melhores condições e maior justiça na nossa sociedade, radicam no domínio por uma elite que tem consciência que não devem ser criados mecanismos práticos que permitam de forma eficaz a partir da denúncia se possa proceder de forma expedita, a poder penalizar os infratores das ações ilegais e oportunistas.
    Que interessa afirmar à boca cheia que somos um país com as leis mais evoluídas do mundo se não funcionam?
    Dos operadores de telecomunicações, energia,entidades reguladoras, organismos de estado, finanças, câmaras municipais, etc, todos sabem que isto não funciona e eles mesmo são os maiores prevaricadores. Os sites e mecanismos que promovem, afirmando que devem ser utilizados para a denúncia e resolução das questões, esses mesmos não funcionam!
    As pessoas estão amarradas amordaçadas, enganando-as afirmando que mecanismos para a sua contestação e resolução! Não passa de outra forma de nos controlar e enganar fazendo-nos crer que existe justiça!
    Devemos lutar para que existam organismos independentes do poder que possam ter capacidade para permitir que haja maior clareza e justeza no nosso dia a dia. Enquanto tal não acontecer vamos continuar a ser enganados por este emaranhado de esquemas e mentiras que o “sistema” cria, e que continua a permitir que os mesmos continuem a usufruir de maiores privilégios,direitos e regalias da sociedade que os outros constroem
    Verifico que isto que eu digo é aceite pela generalidade das pessoas. No entanto não aparecem estruturas que pretendam levar para frente estas lutas, o que me deixa um pouco desmotivado.
    Estou interessado em participar em movimentos cívicos em que estas situações sejam a sua bandeira.
    1 Luta pela igualdade de condições laborais no trabalho nº igual de horas para todos 40, 39, 38 o que se decidir.
    2 Não aos previlégios de parte da sociedade. Ex. Ensino igual para todos
    3 Criação de entidades que controlem e fiscalizem quer as instituições financeiras, privadas, organismos de estado, e que a partir da denúncia e processos céleres permita à justiça atuar, Assim criaremos alicerces para uma sociedade mais justa, e possamos acreditar numa sociedade mais justa que se está a construir.

    Gostar

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bem vindo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s