Repressão brutal contra democratas ucranianos

(Autor ocultado por razões de segurança, in Resistir, 12/04/2022)

(É esta gente e este regime que andamos a defender?! Inacreditável. É por esta gente que nos querem fazer passar fome e imolar os nossos filhos e netos numa guerra absurda? A quem acha que tais sacrifícios valem a pena deixo um repto: Acordem! Acordem mesmo enquanto é tempo!

Estátua de Sal, 12/04/2022)


Este artigo apresenta uma visão geral de uma tendência profundamente perturbadora na Ucrânia, iniciada em 2014 e que se acelerou e intensificou desde 24 de Fevereiro de 2022. Assassínios extrajudiciais, assédio, detenções arbitrárias por homens em uniformes camuflados, espancamentos e desaparecimentos continuam a acontecer regularmente na Ucrânia. A maioria das detenções e desaparecimentos são frequentemente executados pela polícia política ucraniana (SBU), sob uma repressão generalizada…


Continuar a ler no link abaixo.

Repressão brutal contra democratas ucranianos


Gosta da Estátua de Sal? Click aqui.

13 pensamentos sobre “Repressão brutal contra democratas ucranianos

  1. Continuamos a aguardar notícias da repressão da democracia na Rússia. Tendo o estátua de sal feito questão de se demarcar do regime de putin, estranha-se a demora, tanto mais que não existe motivo válido impeditivo desse gesto elementar de coerência.

    • Você aguarda há 1 mês e meio, por uma coisa que já tantos textos fizeram na EstátuaDeSal. Ou é analfabeto, ou nos textos em que leu “condenamos a invasão e condenamos todo o contexto que tornou a invasão inevitável” e coisas do género, passou essa parte à frente e de forma Pavloviana começou logo a espumar a propaganda da NATO de que “contextualizar é ser Putinista”.

      Nós, os democratas e pacifistas, aguardamos desde 2014 que vocês condenem o golpe de Estado na Ucrânia e tudo o que se tem passado desde então, tudo detalhadamente descrito nestes relatórios bem documentados e factuais sobre o regime que agora querem dentro da UE. E aguardamos há muitos mais anos, décadas, que condene todas as outras pouca-vergonhas feitas pelo Ocidente contra países mais pequenos e sem capacidade de defender os seus povos. Custa-lhe contar +1500 mortos nesta invasão? A mim custaram todos os MILHÕES de mortos, e ainda mais sofredores indirectos dos crimes contra a humanidade levados a cabo por Clinton, Bush, Obama, Trump, Biden, e seus vassalos Atlantistas/OTANachos.

      Eu nunca na vida apoiei nazis. Você já não pode dizer o mesmo… É, antes de tudo o mais, isso que nos separa. Não é uma questão de se apoiar este ou aquele regime. Caso contrário, explique como vai comprar mais gás liquefeito para financiar a máquina de guerra mais mortal e recordista de invasões e bombardeamentos, que tem gulags em Guantánamo e nas fronteiras para crianças de cor escura, persegue e prende denunciantes (Manning, Snowden, Assange) dos crimes do regime, e mata pessoas no próprio país tendo por base um mero “profiling” racial/étnico, já para não falar da supressão de voto dessas minorias, do gerrymandering, e da corrupção que permite a bilionários comprarem resultados eleitorais das primárias e assim deixar o povo numa ilusão de “escolha” num regime não-proporcional, não-representativo, não-plural, e não-democrático (já declarado regime autoritário oligárquico por vários estudos sérios sobre o assunto).

      Explique o voto da Ucrânia na ONU a favor da glorificação do NAZIsmo, a elevação de Stepan Bandera (que participou na mortantade do holocausto de Judeus e de outros) a herói nacional, a integração do Batalhão Azov (cujo nazismo está mais do que documentado, até pelo FBI) na Guarda Nacional, a proibição de uma língua falada por milhões, a ilegalização de partidos/movimentos democráticos mas não do Sector Direito e outros, o constante uso de símbolos nazis nos equipamentos até dos carniceiros do SBU, a política de “descomunização” proibindo até a celebração do Dia da Vitória (contra os NAZI) a 9-Maio, uma data que não é só da Rússia/URSS, mas de todo o leste e até de Israel. Explique o amarrar de pessoas em postes, os desaparecimentos, a lei que condena a décadas de prisão todo o civil homem adulto (18 a 60 anos) que tentar fugir da guerra, e as ordens para matar de imediato sem julgamento quem tentou sobreviver durante este mês usando braçadeiras brancas nas zonas ocupadas (bastando para isso um “diz que disse” dos vizinhos que preferiam não usar braçadeiras ou usar só as azuis). Não explica, porque não tem explicação!

      E depois tente também justificar como é que a Polónia de Duda e a Turquia de Erdogan, uma a perseguir LGBT e a destruir Estado de Direito, outra a a prender quase cem mil opositores e a matar Curdos (ou seja, a matar os que combateram contra o ISIS no terreno) e a negar o genocídio Arménio (e a armar o Azerbaijão na guerra de há 2 anos para matar ainda mais Arménios), defendem os seus “valores europeus”?
      Ou como é que o regime Ucraniano acima descrito é convidado para a UE? Já não há vergonha nenhuma na cara? Ou a UE mostra que de facto não tem nada a ver com democracia e liberdade, mas é apenas um protectorado, vassalo dos EUA, e máquina de financiamento da NATO?

      Explique também como é que se defende a liberdade e a democracia, ao aumentar as compras de petróleo às ditaduras árabes, como da da Arábia Saudita, onde o ditador mandou executar 81 opositores no mês passado e não há registo de uma única manifestação (é como a corrupção sistémica no tempo da outra senhora, como o lápis azul da censura, perseguição, e tortura, passava por cima da notícia e da vontade de investigar ou protestar, era como se não existisse corrupção…).

      E por fim, elabore a sua justificação para a declaração nojenta da UE há poucos meses atrás de que Israel tem “direito à defesa” referindo-se ao bombardeamento de zonas civis, hospitais, escolas, prédios da comunicação social, num território ilegalmente ocupado, que é de facto um Apartheid (ditadura xenófoba/racista), e onde há ZERO corredores humanitários sempre que o conflito aquece. Pelo contrário, há bloqueio e tentativa de matar à fome todos os que estão encurralados na estreita Faixa de Gaza e nas muralhadas e cada vez mais encolhidas zonas da Cisjordânia.
      Onde é que estão as armas a ser enviadas para os Palestinianos se defenderem do seu próprio holocausto? Onde estão a video-chamadas dos líderes Palestinianos para os Parlamentos Europeus?
      E isto é um regime e invasão defendidos por Zelensky! QUE LATA!!

      Eu digo-o com todas as palavras, preto no branco: Putin é um animal, o seu regime não é democrático, é o oposto de mim na ideologia económica (ele NeoLiberal, eu Social-Democrata Nórdico), e na ideologia social (ele Ultra-Conservador, eu Libertário). Gosto de viver num país onde a manifestação é um Direito adquirido consagrado na Constituição aprovada em 1976 por PCP, UDP (BE), PS e PSD, sem ser sequer preciso pedir permissão, enquanto Putin detém para identificação (ou algo pior) quem se manifesta contra a sua política ou se torna um opositor demasiado ruidoso.

      Agora é a tua vez de fazeres isto sobre a Ucrânia nazificada, sobre os genocidas EUA, sobre o Apartheid de Israel, a guerra no Iémen, Mali, Afeganistão, Iraque, Síria, Líbia, os golpes de Estado da Bolívia, na Ucrânia, no Chile, etc, sobre todas as ditaduras sanguinárias que são aliados ou parceiros de negócio preferenciais do Ocidente, e sobre a própria arquitectura da UE, em que tu pagas impostos, mas quem manda e te impõe Tratados não-referendados e austeridade sem justificação, são NÃO-eleitos e defensores/participantes em todos os offshore e esquemas do Capitalismo pós-democrático nesta 4º fase NeoLiberal deste sistema económico iniciada, lá está, no golpe contra a Democracia Chilena e sua substituição por uma ditadura fascista NeoLiberal, com apoio dos EUA e elogio dos “mercados”.

      Fico à espera sentado. À espera de ti, e de todos como tu, que nestas 3 décadas de crimes de guerra, financiam a máquina de guerra da NATO/EUA, e apoiam sanções mortais (de facto guerra económica) contra países que não invadiram ninguém: Cuba e Venezuela. Repara, antes que digas mais asneiras, que isto não é um apoio a esses regimes. É uma crítica ao terrorismo económico NeoColonial do Ocidente: a tal “comunidade internacional” que na realidade são só 13% da população Mundial.

      Dizer isto, não me impede de conhecer o contexto e justificações desta invasão. Já a condenei, porque condeno sempre a guerra. E defendi tudo o que levaria à paz mais depressa, como por exemplo o não envio de armas, e a UE a posicionar-se como neutral e agora sim garante de que a Ucrânia cumpriria acordos de paz de Minsk, e nunca entraria na NATO (a exemplo da Finlândia e o seu acordo com a URSS, que não lhes custou nada a fazer, mas deu mais de meio século de paz e desenvolvimento a essa região). Mas agora que se interromperam negociações, e há escalada da guerra e do nível de lunático de Zelensky e dos vassalos da NATO, só espero uma vitória rápida da Rússia. Que a desNAZIficação seja um sucesso total e duradouro, que a guerra do Donbass termine ao fim de 8 anos, e que pare a limpeza étnica de russófonos levada a cabo por NAZIs do SBU e de Azov. Putin pode passar a eternidade no Inferno, ,mas quem apoiou este nojo na Ucrânia, passará essa eternidade ao seu lado!

      Agora, condenar a Rússia por esta invasão, é coisa que não volto a fazer. Pois sei qual seria a alternativa: mais limpeza étnica de ucranianos russófonos, proibidos de falar própria língua, com seus partidos ilegalizados (ao mesmo tempo que os nazi continuam legais), a continuação do desastre no Donbass (onde entre 2014 e 2021 tinham morrido +13 mil, mas esses nunca te vi, nem à “imprensa livre”, a chorar), provável alastramento da guerra à Crimeia em violação da autodeterminação democrática e pacífica de 97% dos seus habitantes (o que compara com a integração europeia onde só votam 20% das pessoas, ou se repetem referendos, ou não têm sequer a possibilidade de votar).
      E no final, a Rússia de calças na mão, rodeada de todos os lados, com tropas cada vez melhor preparadas e equipadas, e com mísseis nucleares (e 26 laboratórios de armas biológicas financiados pelo Pentágono) cada vez mais próximos, pronta a ser a próxima Jugoslávia, e só para abrir caminho à guerra final da oligarquia do offshore do Dellaware contra o povo da China. Não! Não posso continuar a condenar quem se defendeu e tenta evitar isto!

  2. A Estátua de Sal passou a ser um infame pasquim de propaganda pró-Russa. Por mim, passou, vou á vida e espero que a Estátua de Sal se transforme numa verdadeira estátua de sal e merda !!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Tem razão com o seu desapontamento com o blogue Estátua de Sal. É incompreensível e revoltante que haja tanta falta de rigor, de isenção e de respeito pela inteligência alheia. É estranho que em momento algum o seu responsável se questione sobre o desconchavo moral que é atacar sistematicamente o Ocidente e defender um regime político iníquo e repressor. Quando o argumento-força no debate sobre esta guerra devia ser a condenação do agressor nesta guerra, este blogue oculta e silencia os atropelos à democracia e aos valores da civilização cometidos pelo regime de Putin.

      • Minha senhora. Veja se acorda. A senhora é contra o Putin devido aos atropelos que ele comete à democracia (seria de questionar qual “democracia” mas isso é outra conversa), e eu também sou. Mas então, sendo contra atropelos à democracia como pode defender com unhas e dentes o Zelensky e companhia que cometem não “pequenos atropelos” mas crimes de morte e sangue contra opositores como se revela no texto? Então agora já é legítimo cometer tais atrocidades? Veja se acorda porque anda metida dentro do Matrix, pois até me parece alguém com bom fundo e por isso é decidi responder-lhe.

  3. “Resistir”: assim se chama o site onde o estátua de sal vai beber verdades. Atento o teor do que ali é publicado, chega-se à conclusão de que o nome “Resistir” é publicidade enganosa. O nome adequado seria “Colaborar”. Porque de colaboração se trata, quando é posta em prática com tamanha diligência uma linha de pensamento sintonizada com os interesses do regime de putin e da sua guerra imperialista de agressão.

    • Lamentável que ES tenha transformado aquilo que era um blogue interessante num vil veículo de propaganda.

  4. «”It was clear that Ukraine had become something like Germany around 1936-1937»

    «Here is a recent news agency video of officials of the Ukrainian Security Service SBU in front of a destroyed house seemingly praying with a priest for the deceased. Note the fascist Right Sector patch the official carries on his arm and back. The SBU has become a kind of Gestapo tasked with eliminating opposition elements in Ukraine. The UN’s OHCHR, the OSCE, Human Rights Watch, Amnesty International have all reported about the SBU’s many crimes.
    There is also an ‘SS Galizien’ patch on the officers back which refers to the 14th Waffen Grenadier Division of the SS (1st Galician) which fought with Nazi-Germany against the Soviet Union. Like many other SS division the 1st Galician was involved in serious war-crimes but later mostly whitewashed. After the war many of its surviving officers fled to Canada and to the United States.»

    «On a warm October day in 2019, the eminent Russia studies professor Stephen F. Cohen and I sat down in Manhattan for what would be our last in-person interview (Cohen passed away in September 2020 at the age of 81). “Zelensky ran as a peace candidate,” Cohen explained. “He won an enormous mandate to make peace. So, that means he has to negotiate with Vladimir Putin.” But there was a major obstacle. Ukrainian fascists, Cohen warned, “have said that they will remove and kill Zelensky if he continues along this line of negotiating with Putin… His life is being threatened literally by a quasi-fascist movement in Ukraine.”»

    «I had earlier quoted an interview with Dmytro Yarosh, then the leader of the fascist Right Sector, who just a week after Zelenski had become president threatened him with death should he try to make peace with the eastern Ukrainian rebels. Yarosh later became an advisor to the chief general staff of the Ukrainian military. He is the main person behind the ongoing nazification of the Ukrainian military.»

    «It is also what the Canadian Russia expert Patrick Armstrong had mentioned: “Had I been at home I would have read Putin’s speech earlier and understood sooner. What he is talking about is what the Soviet Union tried to do from 1933 onwards: namely to stop Hitler before he got started. This time Russia is able to do it by itself. In other words, Putin feels that he is making a pre-emptive attack to stop June 1941. This is very serious indeed and indicates that the Russians are going to keep going until they feel that they can safely stop.”»

    (https://www.moonofalabama.org/2022/04/sane-voices-explaining-the-reasons-for-and-dangers-behind-the-war-in-ukraine.html)

  5. Apresentar uma página de propaganda pró russa, como se fossem factos … e ainda criticam os media por darem notícias sem corroboração!!!!
    Há jornalistas de múltiplos países e órgãos de comunicação social a acompanhar a situação quase em tempo real e não há um que ponha a boca no trombone!?
    É mais fiável a televisão russa controlada por um estado totalitário …
    Fica apenas o lamento pelas causas nobres que são aqui muitas vezes defendidas e que, com isto, vão ser colocadas no mesmo saco.
    Adeus estátua, pelo menos por algum tempo, a bem da minha saúde mental.

  6. Lamentável são estes comentadores ‘trolls’ que sem argumentos vem para aqui insultar os outros a torto e a direito, achincalhando e aviltadando quem se recusa a ver a realidade com as palas nos olhos que nos querem vender. Pah, se não gostam do que aqui que se escreve, vão ler para outro lado, vão à vossa vida, vão combater para a Ucrânia, vão à merda.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.