As múltiplas singularidades de Cavaco Silva

(Carlos Esperança, 30/03/2019)

Cavaco, político singular, que transformou o órgão de soberania unipessoal – PR –, em órgão matrimonial, e o Palácio de Belém em domicílio de três gerações, foi à Covilhã (UBI) proferir uma conferência sobre “A singularidade da construção europeia e o futuro do euro”, na companhia da singular prótese conjugal, D. Maria.

Do mérito da conferência não houve notícias. Houve da censura ao Governo onde não precisa das quintas-feiras, e quaisquer outros dias lhe servem para fustigar a Geringonça cujo fracasso previu com a certeza da solidez do BES, de Ricardo Salgado, em cuja vivenda se preparou, com a presença conjugal, a sua candidatura a PR.

Com o habitual rancor e falta de memória, quem engendrou escutas do PM e esqueceu o cartório notarial onde fez a permuta da vivenda Mariani pela Gaivota Azul, quem logrou comprar ações da SLN, não cotadas em bolsa, e arranjar comprador, com elevadas mais-valias, referiu-se às relações familiares do atual governo. O homem, que não lia jornais, afirmou: “segundo li também na comunicação social, parece que não há comparação em nenhum outro país democrático desenvolvido”.

Com as jugulares externas intumescidas pela raiva, a atingirem o calibre das internas, mais turbado pelo rancor do que pela senilidade, esqueceu-se de que, em 2015, foi ele a dar posse aos governantes com relações familiares, que continuam no atual executivo, e que, desde o primeiro dia, se sentam no Conselho de Ministros: os ministros Eduardo Cabrita e Ana Paula Vitorino, marido e mulher, e José Vieira da Silva e Mariana Vieira da Silva (pai e filha), ele como ministro e ela então como secretária de Estado adjunta do PM e hoje ministra da Presidência, já estão com assento no Conselho de ministros.

Esqueceu-se. Já, em tempos, se havia esquecido de ter preenchido a ficha na Pide onde a ortografia revelou impreparação cultural e as considerações sobre a madrasta da mulher, a despropósito, definiam o carácter. Quis agora ser a vuvuzela da direita que, após três anos, descobriu a arma de arremesso que todos os órgãos da central de intoxicação da direita disparam diariamente, enquanto aguardam que o País arda.

A primavera acordou da hibernação o homem singular que mantém o ódio e a falta de memória de quem precisa de que alguém nasça duas vezes para ser tão sério como ele.
Compreende-se a preocupação com os laços familiares de membros do atual governo. Os membros dos seus governos não precisaram disso para fazerem bons negócios, nem ele próprio, ou os do governo Passos/Portas e Maria Luís por que tanto se bateu. Ele mesmo, há três anos com a pensão de PR, cujo vencimento foi proibido de acumular, não precisou de nomear o genro para qualquer cargo. Os negócios vieram ter com ele.

Espera-se que a pala de Siza Vieira, na Expo, não lhes caia em cima.

Apostila – A escritura de Cavaco omitiu a vivenda em construção há nove meses, e a permuta realizou-se sem tornas, com a curiosa coincidência de 135 mil euros (isenta de sisa), sendo posteriormente obrigado a pagar 8.133,44 euros de Imposto de Sisa (taxa de 10%), em resultado da diferença entre os valores patrimoniais dos bens permutados, definidos pela própria Administração Fiscal.


Advertisements

10 pensamentos sobre “As múltiplas singularidades de Cavaco Silva

  1. Dado que fora do vernáculo mais truculento não consigo expressar-me sobre a execrável figura do aborígene do Poço de Boliqueime, prefiro calar-me por questão de respeito por mim.

  2. É bom que alguém avive a memória ao sr. Cavaco, pois parece que teve ums amnésia!
    Na verdade “destila” ódio por todos os poros, tem muita coisa mal resolvida.

  3. A memória de Cavaco não é a melhor certamente, mas que se cuidem aqueles q continuam a votar nos rosinhas q levam constantemente o país à desgraça. Pois esses para além de memória precisam de bom físico para voltarem a sair deste país q constantemente depenam!

  4. Lembram-se a vontade com ele comia o bola-rei algures numa campanha eleitoral? É a mesma vontade com que ele sempre fez política.Foi governante durante 20 anos neste país, um dia ainda havemos de perceber como isto foi possível. Na minha opinião o povo não estava ainda preparado para a democracia, pois não encontro outra explicação para uma pessoa tão mesquinha possa ser tido eleita pelo eleitor português tantas vezes.

    • Meu Caro , parece-me que se esqueceu de que cavaco mandou construir uma marquise em lisboa por uma empresa de boliqueime esquecendo-se do iva . Deu bronca e desculpou-se com a professora D.. Maria que não percebia nada dessas coisas (aliás , como ele) . Como se define um Parolo?

  5. Espero que publique com a mesma isenção um artigo sobre a fortuna e escrituras das propriedades da família de Mario Soares, assim como a escritura e todos os apensos da célebre Quinta do Couco situada Ribatejo, pertencente à família Barreirinhas Cunhal.

  6. O pior PR do período democrático do país, que abre a boca ou saí asneira ou de bolo de rei, devia remeter-se ao silêncio. Para seu bem e para alguns saudosistas. Ó homem, você é uma nulidade!!!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.