Macedo, amigo, o povo está contigo!

(Por Estátua de Sal, 04/01/2019)

macedo visa

Imagem in Blog 77 Colinas

Ó Miguel Macedo, como tu bem disseste à saída do tribunal, a Justiça “deu resposta às canalhices que te fizeram”. E quando se faz JUSTIÇA ficamos todos satisfeitos, nós os que assistimos à peça, e tu, por maioria de razões que eras o actor principal e o cabeça de cartaz.

Eu, se fosse a ti, não deixava passar em claro tanta prosápia e tanta bagunça acusatória do Ministério Público, chefiado por essa bruxa de Salém, a Joana Marques Vidal, que te queria esturrar em lume pouco brando. Tudo, para nos convencer que a impunidade já tinha acabado.

Vê lá tu que, com tanto corrupto e bandido que anda por aí à solta, foram logo escolher-te a ti para sacrificar no altar da tese do fim da impunidade. Não sei que raio de malfeitoria é que fizeste à Joana mas ela queria mesmo fazer-te a folha. Bem podes agradecer ao Costa e ao Marcelo terem-na chutado para canto tornando a vida mais fácil ao juiz que te absolveu. Sim, porque a Joana é vingativa  e quem se mete com o Ministério Público leva. Parece que são mesmo do piorio, muito mais maus que o Augusto Santos Silva a castigar os mais afoitos que se metem com o PS, como ele declarou em tempos idos.

Homem, mas agora que saíste limpinho por dentro e por fora, que se provou que nada tiveste a ver com os vistos Gold, que nunca favoreceste os chineses ricos que cá assentam arraiais, que eras amigo do Figueiredo dos Registos e Notariado mas que era uma amizade pura e desinteressada, eu se fosse a ti, ia-me a ela, à Joana. Era já processo por difamação em cima dela e do Procurador Niza que te andou a enxovalhar na praça pública e diz que ainda vai recorrer. Não os poupes e pede uma indemnização choruda, tão choruda que ponha o Centeno a refazer as contas do déficit e a Dra. Teodora a mandar cartões amarelos ao Governo pela subida da despesa pública.

É que estes Procuradores andam mesmo em roda livre e a passar das marcas, como tu bem sentiste na pele, e se alguém se propõe pô-los na ordem saltam logo o Ventinhas e a Gago a ameaçar com greves e represálias.

É que, se a acusação não tinha pés nem cabeça, por que carga de água andámos meses a fio a desfiar uma novela de mau enredo, que até nas televisões eles puseram a passar?! Já viste a porrada de massa que os tipos gastaram ao erário público? São mesmo uma cambada de irresponsáveis a malbaratar o dinheiro dos contribuintes, já que não conseguem condenar ninguém, persistindo em investigar e acusar gente honrada como é o teu caso para, dessa forma, ganharem protagonismo político e mediático.

Estás a ver, só conseguiram até ao momento condenar o Vara, mas esse saltava aos olhos de todos que se alambazava à grande e à francesa com robalos dos mais graúdos, e era um fartar vilanagem a empurrar sucata para os bolsos do amigo de Ovar. Quem tem sucateiros por amigos bem merece cinco anos de xilindró, o que não é o teu caso que só tens amigos distintos, decentes e bem formados, a ajudarem o país a sair do aperto fazendo entrar milhares de euros nos cofres dos nossos depauperados bancos.

Por isso, agora desforra-te, vai-te a eles e não os poupes. Reúne com os teus advogados e prepara o ataque. E agora, que já te safaste, manda um SMS à Lucília Gago e pergunta-lhe se essa coisa do “acabou a impunidade” – que tu, como cidadão amante da Justiça subscreves na íntegra -, é mesmo para valer ou se não passa de um slogan da Joana Vidal para te tramar, fazendo de ti o bode expiatório de uma operação de promoção do Ministério Público.

Anúncios

6 pensamentos sobre “Macedo, amigo, o povo está contigo!

  1. «É que estes Procuradores andam mesmo em roda livre e a passar das marcas, como tu bem sentiste na pele, e se alguém se propõe pô-los na ordem saltam logo o Ventinhas e a Gago a ameaçar com greves e represálias.», hum, a partir daqui é uma categoria já conhecida.

    #lixo

    Nota, 4U. Ou não leste a sentença, o que é provável, ou não leste o corpo das notícias a sério e ficaste pelos títulos, o que é apenas desculpável se tens míopia, se sofres de um déficit de atenção ou mediante atestado médico, ou, então, achas que isto é mesmo tudo uma reinação para a malta dos blogues e para a turba qu’anda à solta na selva do FB continuar a disparatar e a rir-se bué, apalermadas/os, sem saberem exactamente o porquê. Ora, cito de memória, o que estava em causa nomeadamente no caso do Cavalo Russo era que o tipo, sendo ministro da Justiça, passou o .pdf do draft do caderno de encargos sobre os Kamov (coisas que metem russo do Putin, imagine-se…) antes de ele ter sido publicado num mail a um amigalhaço com o post-it… «sempre a facturar!». Numa quinta, presumo, a seguir a um conselho de ministros. E que, sendo ministro, ele e altos funcionários do Estado português (directores do SEF e do Instituto dos Registos e do Noratiado, a secretária-geral do MAI ao que me lembro) mantinham conversas picarescas para facilitar a vida às máquinas de lavar exportadas pelos chineses. É crime, isto? Não sei, mas define um tipo perante a comunidade (e bem andou o MP, deverás saber que o assunto está em recurso).

    Nota, 4ela. Vi as dificildades intelectuais, hãhhhh, hãhmmmmm, hãmmmm e e lá voltamos ao hãmmmm, hãmmmm e nada mais saía dali, que uma das senhoras-raparigas quarentonas de base piramidal, cujos encantos enfeitam o velhinho Ferreira Fernandes exibiu pela primeira vez publicamente no Expresso da Meia Noite, na SIC N. É diretora executiva do DN, chama-se Catarina Carvalho, antes medrava na casa-mãe e tem para apresentar o pujante curriculumdo site «Delas.pt [?] e das publicações Notícias Magazine, Volta ao Mundo e Evasões, revistas do grupo Global Notícias – Media Group», cito do DN online. Para além da humilhação que sem anestesia a Impresa praticou, por intermédio do Ricardo Costa, porque no dia seguinte aquela coisa desgraçada que agora é de uns chineses desconhecidos que têm o Proença de Carvalho como testa de ferro (olá, aqui há gato!), chamada Diário de Notícias-em-papel que, até agora, saía ao domingo e passará a fazê-lo ao sábado concorrendo, digamos, com o Expresso (ah! ah! ah!) e com o angolano Sol, ia a dizer, estava mortinha por puxar o assunto dos casos Vistos Gold. Ora, cito de memória também, claro que atacou o MP seguindo a agenda empunhada pela generalidade das #socratetes e pela firma Valupi, Tangas & C.ª, Limitada pelo facto, imagine-se, de não terem ficado provados os crimes de… corrupção. A sério, meninos de azul e meninas de rosa?

    [Felizmente que eu não leio o frenesim do DN online e das suas amigáveis coquetes, Manuel G., quando estiveres com dúvidas pede-me que eu dou-te umas dicas de… locais a evitar. Safa, como dizia o outro!]

    Gostar

    • Nota, prévia.

      Toma lá, Manuel G., qu’isto é do teu querido João Miguel Tavares. É como os queijinho frescos, é de hoje, e diz o essencial sobre o Miguel Macedo. Vê lá como andas as coisas, concordo bastante com a sua leitura dos factos (está, no fundamental, nestes dois parágrafos de que fiz copy) e sobre a tese sobre a responsabilidade da classe política… pouco ou nada populista, imagina!

      Opinião
      Miguel Macedo e as “canalhices”

      À Justiça o que é da Justiça mais não é do que um truque habilidoso que os políticos arranjaram para fugir a responsabilidades que são suas, e só suas.

      8 de Janeiro de 2019, 6:20

      Há muita coisa para reflectir sobre a absolvição de Miguel Macedo no processo dos Vistos Gold, que não pode certamente ser resumido à frase que Macedo proferiu após a leitura do acórdão: “O tribunal deu hoje respostas às canalhices que me fizeram ao longo de quatro anos.” Era bom que fosse assim tão simples. Não é. O ex-ministro foi inocentando de responsabilidades criminais, com certeza, e o Ministério Público (MP) não fica bem na fotografia quando apenas sete dos 47 crimes do processo foram dados como provados. Contudo, a leitura do acórdão de forma alguma isenta Miguel Macedo das suas responsabilidades políticas – bem pelo contrário.

      Relativamente ao concurso público internacional para manutenção de helicópteros Kamov, o acórdão dá como provado que Macedo enviou o caderno de encargos ao seu amigo e empresário Jaime Gomes. Simplesmente, conforme explicou o juiz Francisco Henriques, para que se verificasse o crime de prevaricação imputado a Macedo seria necessário provar a intenção de “beneficiar alguém”. “O que foi feito foi mal feito”, afirmou o juiz, “mas se foi para prejudicar ou beneficiar o tribunal não apurou qual foi a intenção”. Ou seja, o acórdão deu como provado que Miguel Macedo entregou o caderno de encargos do concurso a Jaime Gomes, mas como não se provou que o amigo do ex-ministro entregou o caderno de encargos a algum dos concorrentes, então não há crime. Evidentemente, isto não pode ser classificado como uma “canalhice” do MP – diria que é mais escapar à tangente de uma condenação devido à formulação da lei e às garantias da presunção de inocência.

      […]

      Aqui, online: https://www.publico.pt/2019/01/08/politica/opiniao/miguel-macedo-canalhices-1856900

      Gostar

    • Ah, e sobre as leituras de locais evitáveis (no caso po DN nesta fase desgraçada dos chineses misteriosos do Proença diabólico, do Ferreira Fernandes, das quarentonas de base piramidal e restantes coquetes) tens um artigo completo sobre os factos são factos. É um pouco ou bastante, adulador para o ex-ministro Miguel Macedo (repara na construção das frases destacadas a negrito…) mas… consegue mastigar-se se se fôr adulto.

      Caso Vistos Gold
      Vistos Gold. Miguel Macedo absolvido de todos os crimes; António Figueiredo condenado por dois crimes de corrupção

      Ex-ministro estava acusado de prevaricação e tráfico de influências. Ex-presidente dos Registos e Notariado condenado a quatro anos e sete meses de pena suspensa. MP pondera recorrer.

      Aqui, online também: https://observador.pt/2019/01/04/vistos-gold-antonio-figueiredo-condenado-por-dois-crimes-de-corrupcao/

      Gostar

  2. Entretanto, num ´país distante os bandidos do MP voltam a atacar
    (um gajinho oficial da Força Aérea, a elite!, imagine-se).

    Justiça
    Major da Força Aérea confessa corrupção: “Depois de receber os primeiros 550 euros senti-me preso”

    Maioria dos arguidos da Operação Zeus remeteu-se ao silêncio no primeiro dia de julgamento. Caso conta com 68 arguidos e está relacionado com esquema que terá lesado Estado em mais de 2,5 milhões.

    Ana Henriques

    7 de Janeiro de 2019, 16:44

    Aqui, não se magina como acabará mas a coisa promete: https://www.publico.pt/2019/01/07/sociedade/noticia/major-forca-aerea-confessa-corrupcao-receber-550-euros-sentime-preso-1856927

    Gostar

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bem vindo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.