Turismo

(Dieter Dellinger, 22/12/2018)

lisboa2

Foto: A imponência de uma das cidades mais belas do Mundo.

A galinha dos ovos de ouro de Portugal é, sem dúvida, o Turismo que proporciona uma receita nacional este ano da ordem dos 53 milhões de euros diários ou mais 17 mil milhões por ano que, por sua vez, representam 13,7% do PIB. Desde que o “diabo” se instalou em Portugal de acordo com a ideias idiotas de Passos Coelho, o turismo cresceu “apenas” 71%.

Se a situação foi ótima até hoje, o futuro próximo não é brilhante devido à falta de capacidade dos aeroportos nacionais para receberem mais aviões, entregues a um monopólio francês que se contenta em ganhar a 100% e não lhe interessa investir no Montijo e, menos ainda, num novo aeroporto.

Este ano, o número de passageiros desembarcados nos aeroportos portugueses foi de 27,4 milhões de pessoas, mais 7% que no ano anterior. Claro que não são todos turistas, mas a maioria é certamente, pois os hotéis registaram 21 milhões de turistas que dormiram 57 milhões de noites e não há conta certa quanto o alojamento local.

No Expresso um tal J. Vieira Pereira diz que o crescimento do PIB se deve aos empresários, mas o peso do turismo é tal que significa que a Geringonça com a sua política financeira certa à Mário Centeno criou um tal estado de confiança em Portugal que o país ficou na Moda. Aos empresários franceses da Vinci, Portugal não deve nada porque nem planearam algo para o futuro e estão à espera que o alargamento da capacidade aeroportuária nacional para eles explorarem seja paga pelos contribuintes nacionais.

A televisão SIC e as outras dos empresários como Balsemão e companhia fizeram mesmo o contrário de incentivar o turismo, tentando indispor a população contra o “excesso” de turistas e contra a renovação do imobiliário. Há empresários que exportam mais e há os que procuram criar obstáculos e não vislumbram no turismo uma atividade que fez diminuir o desemprego e aumentar o Valor Acrescentado Nacional, pois o turismo é a atividade com mais VAB a par da indústria do papel de alta qualidade tipo Navigator que tem o contra de implicar muito eucalipto que é presa fácil dos empresários do fogo posto de que Pereira não fala por ser da extrema direita.

A comunicação social tem sido crítica do turismo como se os portugueses devessem viver de algo caído do céu ou dos investimentos públicos de que tanto fala a direita e que estão a ser feitos sem aquilo que Oliveira Martins designava de “obsessão pelas obras públicas” no seu “Portugal Contemporâneo” e que não era correto.

O turismo equivale a 22% das exportações nacionais e se não tivesse crescido tanto estávamos em más condições financeiras porque parte da receita turística é IVA e outros impostos.

O economista da extrema direita Vitor Bento criticou na Antena 1 a descida do IVA da restauração dos 23% para os 13%,dizendo que isso iria favorecer apenas a classe rica que frequenta restaurantes de luxo quando há 100 vezes mais restaurantes baratos com doses a 6 euros que caros e o preço mais baixo das refeições é um dos atrativos do turismo, levando muita gente a dizer que só vem turistas com baixo poder de compra que há anos eram designados por turistas de pé descalço quando toda a atividade económica só é rentável desde que abranja um vasto mercado.

O aumento do turismo em Portugal e no Mundo deve-se em grande parte aos voos “low cost” que permitiram centenas de milhões de casais de todas as idades viajarem para as mais diversas cidades, alargando o turismo das praias para o das cidades menos conhecidas anteriormente, como Lisboa e Porto, e agora já vão para o interior do País.

Em 2017, o turismo dava emprego a 20,4% da mão de obra nacional e deverá ter aumentado em 2018 em concomitância com os aumentos salariais na hotelaria dada a falta de pessoal que se começa a sentir.

Portugal é competitivo em hotéis de luxo, médios e até baixos de uma a duas estrelas, além dessa coisa notável que é o alojamento local que muita gente quer obstaculizar.

Enfim, mais de 250 mil empresas e empresários singulares ganham com o turismo, proporcionando um crescimento do nível de vida português.

Advertisements

8 pensamentos sobre “Turismo

  1. Nota, prévia.

    Olha quem ele é, hoje é mais Turismo!!! Então, ó Dieter, continuas a exibir essa arte literária sem par, essa visão política também insuperável e essa inteligência pujante que tanto encanta por aqui os leitores d’A Estátua de Sal? O Manuel G. informou-te daquilo ali em baixo, ele que se fartou-se de postar-postar-postar (eheheh!) ou meteu-te uma semanita na jarra a ver se passava e “esqueceu-se” de te dizer para não prejudicar a tua auto-estima?… Olha só, os elogios são do melhor: «Ainda há gente idiota a este ponto???? Pensei que em pleno século XXI já não houvesse este tipo de pensamento idiota, não acerta numa daquilo que diz…amigo, procure ajuda rapidamente, é só o que lhe digo….», desculpa mas este tipo veio depois da minha súmula que é bastante simpática para 4U.

    Boas festas, para ti e p’ró Vassalo, Esperança e e e, e já sabes, vivó Doutor José Sócrates 4ever!

    RFC diz:
    Dezembro 19, 2018 às 6:30 pm
    Ó Manuel G., a começar por ti e a acabar no Dieter, os corajosos da blogosfera (além do desmiolado que abanca na taberna do ladex que é inteligentérrimo, benza-o Deus!, os corajosos, não repondem e meteram o rabinho entre as pernas face a quem se diverte à grande e à francesa com as figuras que os teus MC’s fazem por aqui?

    Estás a ver, olha só antes de corares de vergonha.

    Que é ignorante, dado a fumos de substâncias ilícitas (ui!), uma vergonha, vergonhoso e vergonha dois ou três ou quatro, a precisar de ir ao psiquiatra, iem de tomar as pílulas, VERGONHOSO, ignorante, idiota (a sério?), uma figura mesmo cómica (ai!), um post que é um balde do lixo, um tipo mal-formado, bué de cómico, com falta de inteligência (burro?), uma estrela emergente de stand up comedy nacional, aberrante, ignorante, ignorante e ignorante três ou quatro ou cinco, a acabar no grito famoso do Vai estudar, ó Dieter!

    Enfim, mais um ou dois dias passados n’A Estátua de Sal, perdão!, a da Burrice… [está lá, eu não invento nada!]

    [É obra, isto!]

    Dezembro 16, 2018 estatuadesal
    Enfermeiros, Greves, Politica Nacional, PSD 54 Comentários

    https://estatuadesalnova.com/2018/12/16/morrer-sem-querer/

      • Epá, ligou-me agora o José Neves a dizer que estavam ali dois erros na mesma frase … assim é que está bem, livra!

        Nota. Se o Cardinali passasse por aqui, o Manuel G. com aquele jeito para o negócio rifava-o, ou alugava-o?, para aguentar o negócio sem leões, IlEfantes e macaquinhos (e o Pai Natal dali também ia, que as coisas andam uma desgraça).», sem o -se e sem os alifes portanto.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.