Automotoras com 50 anos? Comissões à Vista

(Dieter Dellinger, 02/09/2018)

comboio

O jornal “dinheiro vivo ou morto?” diz que a CP funciona com automotoras com 50 anos e que eu saiba ninguém protestou quando tinham 40 ou 45 anos.

Um amigo entendido nestas coisas diz que as 57 unidades amarelas aqui retratadas datam de 2003 e as verdades são um pouco mais recentes, adquiridas pelo governo Sócrates e as com 50 anos de idade já há muito que foram para a sucata.

Este combate da direita pelos comboios tem uma razão que nenhum jornalista televisivo disse ainda. É que a partir de 1 de Janeiro de 2019 as linhas de comboio serão abertas a qualquer operador certificado, quer dizer, privatizáveis na base de um contrato de serviço público com o governo para que mantenha a atividade comercial corrente.

Esta linguagem tem de ser traduzida para português corrente e quer dizer: Os privados podem aparecer com comboios e cobrarem as viagens ao valor que entenderem e, naturalmente muito mais alto, devendo o Estado (Contribuintes) pagar a diferença. Será uma espécie de Swaps impostos por Bruxelas.

No imediato, a abertura não será total, podendo o Estado realizar com a CP contratos iguais ao que realizaria com empresas privadas, mas só entre 2019 e 2023.
O ou os contratos serão feitos com a AMT-Autoridade da Mobilidade e dos Transportes que vai ganhar novas competências e terão de realizar contratos como se a CP fosse já privada.

Trata-se pois do 4º Pacote Ferroviário da União Europeia em que a Cristas e o Rui Rio esfregam as mãos de contentes porque esperam que dos contratos com privados venham boas comissões para as suas contas secretas no Panamá ou em qualquer offshore.

A inscrições estão abertas, mas apenas a empresa Arriva, cujo capital pertence ao “Deutsche Bank”, mundialmente conhecido pela sua desonestidade e pelas multas astronómicas que tem de pagar nos EUA e noutros países, é que mostrou interesse na ligação entre o Porto e a Galiza.

A direita não dá ponto sem nó. O falatório sobre os comboios surge para meterem dinheiro ao bolso e favorecerem a entrega de mais um ativo estratégico da PÁTRIA a estrangeiros porque esses é que podem transferir facilmente dinheiros para as contas secretas de Rui Rio, Cristas e sei lá quem mais.

Se Rui Rio fosse um homem honesto já deveria ter dito que não quer a exploração ferroviária entregue a estrangeiros, mas sim à CP como sempre foi. Mas, o gajo escondeu essa da entrada em vigor do 4º Pacote Ferroviário de Bruxelas. Devemos divulgar isto o mais possível.

Claro que o BE e o PCP também nada dizem porque querem conquistar com dinheiro um eleitorado de professores e funcionários públicos, pelo que devem estar dispostos a aceitar em troca a privatização da PÁTRIA.

NADA mais deve ser entregue a ESTRANGEIROS. A PÁTRIA em Primeiro LUGAR. Viva PORTUGAL, fora Rui Rio e Cristas e outros traidores..

Anúncios

11 pensamentos sobre “Automotoras com 50 anos? Comissões à Vista

  1. A administração do Estado Português só concessiona o serviço de comboios se quiser.
    A União Europria não o exige.
    O que a Comissao Europeia, sempre neo-liberal aceita, o termo é este, é que o serviço de comboios seja concessionado, essencialmente o TGV. Não são as nossas linhas que são todas do século passado. Do tempo do pós-guerra.
    O que a UE aprova é a concessão de serviços no caso dia TGV ao nível entre países.
    Fala-se de Milão – Londres…
    Nada tem a ver com a nossa pobreza franciscano ferroviária.

    Liked by 1 person

  2. Apesar da demagogia daqueles que sempre quiseram saber muito pouco da ferrovia, há aqui algumas imprecisões.

    As unidades retratadas, da série 2240, resultam da modernização das automotoras elétricas das 4ª,5ª e 6ª fases dos projetos da Groupement 50Hz, tendo sido originalmente introduzidas em 1970, 77 e 84. Foram profundamente modernizadas, entre 2003 e 2005, contando com uma cadeia de tração totalmente nova, pelo que não constitui qualquer problema o facto da estrutura ser mais antiga. Têm porém dois defeitos: o facto de se ter mantido a velocidade máxima em 120 km/h por uma questão de “royalties” (foram construídas sob licença da Budd, hoje pretença do grupo Thyssen), já que não há impedimentos técnicos pelo menos para 140 km/h, e as espartanas cadeiras de comboio suburbano, excetuando-se, desde 2011, as 3 automotoras (2295-97) afetas aos IC da Beira Baixa que possuem o conforto que deveriam possuír desde o primeiro dia.
    Relativamente às automotoras com 50 anos e 60 anos, estamos a falar das unidades Diesel das séries 0350 e 0450, que andam pelas nas Linhas do Oeste, Algarve, Alentejo (Casa Branca Beja) e Leste (série 0350, 1 circulação/sentido diária Entroncamento Badajoz).
    As unidades simples da Série 0350 resultam da remodelação, entre 2001 e 2003, das míticas automotoras ALLAN (série 0300, também existiram em versão de Via Estreita (VE), série 9300, e reboques para Via Larga e VE), com vista a prolongar-lhes a vida por 15 anos. Estas automotoras nunca deveriam ter sido remodeladas, pois já contavam com mais de 40 anos de serviço, além disso combinam tecnologia atual com velhos motores diesel (atualmente com 36-38 anos de serviço) e elétricos (de origem, 1954-55).
    As unidades da Série 0450 são o resultado da modernização da Série 0400, famosa por utilizar mecânica Rolls Royce, material que circulou sempre pelo Norte do país até 2004, quando começam a efetuar serviços no Oeste. Os motores e transmissão hidraulica datam da modernização, mas as caixas de transmissão não se dão lá muito bem e percursos mais acidentados, como é o caso da região a Norte de Lisboa na Linha do Oeste, pelo que acabaram por desgastar os motores e terem começado a dar problemas sérios bem antes do fim de vida útil previsto – 20 anos, que se cumprirão entre 2019 e 2021.
    Ambas as séries de automotoras diesel também ficaram muito penalizadas a nível de conforto, apenas se tendo feito justiça a duas unidades da série 0450 para operarem no IC Casa Branca Beja (que estranhamente circulam há 3-4 anos na Linha do Oeste).
    Este material circulante consitui um problema importante pois a sua fiabilidade tem se vido a degradar e tem justificado as famosas supressões no Oeste ou Algarve.
    Outro câncro que nem vale a pena falar são as automotoras da Linha de Cascais…

    O caminho-de-ferro em Portugal foi-se tornando no parente pobre da mobilidade desde a década de 1930, quando se abandonaram diversos projetos que teriam constituído uma verdadeira rede ferroviária, coisa que não se pode dizer que alguma vez tenha havido por cá, é por isso que os diversos becos ferroviários acabaram encerrados.
    A modernização da infraestrutura existente também tem sido, na generalidade, mal planeada – mais uma vez, desde o tempo em que Portugal era governado por uma figura de má memória, nascida em Santa Comba Dão.

    PS: A CP acaba de alugar mais 4 automotoras diesel a Espanha. Bem precisas são!

    Gostar

  3. Gosto sempre do momento de comédia que são os textos deste avençado Rosa.

    “Este combate da direita pelos comboios tem uma razão (…) linhas de comboio serão (…) privatizáveis na base de um contrato de serviço público com o governo”
    — Diz isto como suposto ataque à direita, e como alegada defesa do PS. Do PS? Do recordista de privatizações em Portugal? Do partido que está a deixar definhar o que resta do SNS, que recusa acabar com as PPP na saúde, e que perante o pedido da Esquerda para reforçar o orçamento do SNS, desbaratou tudo no reforço dos lucros do privado, que COMPETE contra o SNS Público!

    “Trata-se pois do 4º Pacote Ferroviário da União Europeia em que a Cristas e o Rui Rio esfregam as mãos de contentes porque esperam que dos contratos com privados venham boas comissões para as suas contas secretas no Panamá ou em qualquer offshore.”
    — Diz isto em defesa do PS, o mais Euro-CEGO de todos os partidos em Portugal, para não dizer EURO-acéfalo… e depois acusa os outros de usarem off-shores, quando o PS votou sempre a favor de manter o off-shore da Madeira, e de não controlar os capitais que vão de e para os off-shores internacionais, sempre contra as propostas de transparência e justiça fiscal da Esquerda. É preciso lata… que é como quem diz, é preciso uma avença depositada na conta do DD, para pagar tamanha lata.

    “A direita (…) para meterem dinheiro ao bolso e favorecerem a entrega de mais um ativo estratégico da PÁTRIA a estrangeiros”
    — 1, 2, 3, diga lá outra vez: PS chumbou nacionalização do SIRESP. PS chumbou re-nacionalização dos CTT. PS chumbou manter o Novo Banco nas suas mãos, preferindo pagar para vender (!) a especuladores estrangeiros. PS fez parte do desmantelamento da CP/EMEF, e agora faz contratos de aluguer a Espanha para compensar. PS mantém concessão da ANA a franceses. PS mantém concessão da REN a chineses. PS mantém contrato ruinoso (e há quem diga que tem matéria criminal) da exploração de petréleo. PS mantém contrato com clara gestão da nosa para o Estado na ponte 25 de Abril. PS anda a fechar balcões da CGD, porque é o que a UE manda, mesmo sabendo-se que vai contra o interesse de Portugal, e mesmo sabendo-se que o objetivo (do BCE) é acabar de vez com a banca Portuguesa e deixar apenas a Espanhola na Península Ibérica. PS não trava privatização da água nas autarquias. Etc.

    “podem transferir facilmente dinheiros para as contas secretas de Rui Rio, Cristas e sei lá quem mais.”
    — óh faz favor, sai uma entrada para o hospital psiquiátrico, seguida do prato principal na cadeia por difamação. A coima a aplicar pode ser igual à avença recebida na conta secreta do DD, militante do PS defensor dos off-shores.

    “o BE e o PCP também nada dizem porque querem conquistar com dinheiro um eleitorado de professores e funcionários públicos, pelo que devem estar dispostos a aceitar em troca a privatização da PÁTRIA.”
    — peço desculpa, enganei-me. Isto não é caso para a psiquiatria, é mesmo um caso perdido para uma sala de chuto… o excesso dá nisto, ou overdose, ou alucinação. O PS Euro-fanático e globalista-radical, que com ajuda do PSD e CDS, violou a Constituição Portuguesa ao votar Maastricht e Lisboa, tirando soberania ao país e democracia ao eleitorado, sem fazer o necessário debate público e os essenciais referendos de revisão Constitucional, agora faz de conta que é patriótico… o PS, que abdicou da Geringonça, só para poder dar tacho a Centeno em Bruxelas, e com isso um argumento propagandístico que valeu o quê? Ganhos marginais sobre 1% do eleitorado indecido (erradamente chamado de “centro”, algo que não existe) durante 1 mês?

    Haja paciência para este IDIOTA. Não é insulto. É constatação de um facto. Mas enfim, de quem acusou PSD e CDS de andarem a mandar incendiar o país só para poderem atacar o governo nos telejornais, já não se pode esperar um pingo de seriedade nem honestidade intelectual. Hoje acusa-os de corrupção e contas secretas… e acusa a Esquerda (da qual o PS não faz parte) de serem os grandes privatizadores, por alegadamente o patriotismo ser exclusivo do PS…

    Só tenho pena que tal verborreia continue a manchar, pela mera proximidade, os restantes textos e autores aqui re-publicados, todos de outro nível bem diferente, quer se concorde, quer se discorde deles. Minha cara Estatua de Sal, uma coisa é abrir o debate de forma polémica com pontos de vista diferentes mas intelectualmente honestos, outra bem diferente é abrir a sarjeta por completo… Dieter Dellinger está ao nível do Correio da Manha (sem til). Deixar de o publicar aqui é seria senso, nunca censura, pois quem quiser (e não for bom da cabeça) pode continuar a lê-lo na “fonte”, que é como quem diz, na sarjeta original.

    Gostar

      • A questão não é o alvo preferencial. Eu leio gente de todos os sectores, assim os seus textos o justifiquem, caso contrário como se poderia saber o que o lado de lá da barricada anda a engendrar? A questão é a desonestidade intelectual, vigarice, verborreia, e mesmo violação da lei (as acusações da Rio e Cristas são matéria criminal, como já tinham sido as acusações de piromania) com que o faz.

        Por exemplo, e já que aqui voltei, ele diz que na Esquerda (BE, PCP) só querem dinheiro para ganhar votos dos professores e enfermeiros. Mas o facto é que BE e PCP não querem mais dinheiro, querem simplesmente que se cumpra a lei (pois é nesse cumprimento que se baseia o Estado de Direito), quer a lei das carreiras quer a lei do orçamento de Estado do ano passado. Já agora, ironicamente a lei das carreiras é uma que foi votada pelo PS. Quando o fez, sabendo-se que o PS a considera agora insustentável, e sabendo que a matemática é a mesma, foi só para desbaratar dinheiro a comprar votos?

        Mais, acha sequer tolerável que um partido “socialista” faça uma ameça a do género: “ou recebem só uma parte do que a lei vos dá por direito (2 anos em vez de 9), e renunciam ao restante, ou não recebem nada sequer”.
        Em que ponto do último parágrafo é que o DD referiu esta manobra negocial, de fazer lembrar a direita-radical fora-da-lei (fora até da Constituição) de Passos Coelho?

        Finalmente, para a nódoa cair no pano, era preciso existir pano. O DD não tem pano, está todo roto, ou mesmo nu, e já só tem nódoa. Uma intervenção do João Galamba, deputado do PS, e conhecido “animal feroz” do comentário na TV, tem muito menos propaganda, e muito mais honestidade intelectual, que isto que o DD escrevinha. Já o DD está ao nível do PCTP/MRPP, de um Duarte Marques, ou de uma “Fox-News do PS”…

        Repito, quem quiser ler o lunático do DD, pode fazê-lo na sarjeta original. Quem quiser propaganda do PS, pede para receber a newsletter. E quem quiser verborreia, vai à tasca mais próxima. Portanto, para quê re-publicá-lo aqui, aí sim deitando nódoa sobre o restante pano de qualidade do Estátua de Sal?

        Gostar

  4. Saliento penas a afirmação pidesca e chantagista sobre matéria criminal. Ó Jorge Alves, eu fui jornalista no Republica e não tinha medo da Pide nem da Censura e agora vou ter medo de um merdas qualquer. Nem respondo.

    Gostar

  5. «Saliento penas», hum, isto deve ser um grande momento de solidariedade internacionalista com os artefactos indigenas que arderam no Museu de História Natural, no Rio de Janeiro.

    Estou contigo, Dieter.

    Gostar

  6. Queria escrever “apenas” e qualquer pessoa inteligente percebe que foi erro de teclagem. O meus princípios nas redes sociais é nunca atacar um cidadão que escreve. Só ataco políticas, políticos e magistrados porque esses possuem verdadeiros megafones que são o acesso às televisões e outros órgãos da comunicação social. Os escribas quando atacam opiniões diversas de outros escreventes são o equivalente aos pides dos tempos passados ou agentes da censura.
    Eu tive um imenso prazer em assaltar os escritórios da censura no 25 de Abril e depois abrir à força as portas do Serviço de Censura aos Espetáculos em S. Pedro de Alcântara que depois se tornou sede do PS.
    Os comunistas, coitados, são uma esquerda inimiga de toda a gente, mesmos dos seus aliados fundadores do Conselho Português para a Paz. Não suportam que possa haver algo de positivo num país da União Europeia e membro da Nato. Nem sabem que o comunismo acabou na URSS que também se desfez.

    Gostar

  7. Dieter, calma, não te erices nem fiques amofinado.

    Mas, que queres?, essa frase complexa em que incluis uma expressão sobre o “erro de teclagem” não si usá aqui no Portugáu, não!, e até dá ares de ser mais uma homenagem, ou um trauma?, contra os capitalistas chinamarqueses que deixaram queimar os artefactos indígenas, lá looooonge!!, no Rio de Janeiro.

    Gostar

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bem vindo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.