A direita, os escândalos e a memória

(Por Carlos Esperança, in Facebook, 14/12/2017)

tecno1

A direita portuguesa, órfã de pessoas pouco recomendáveis e sem memória de governos que a desviaram da matriz fundadora, dos programas e do sentido de Estado, prisioneira do ressentimento, e sem rumo, procura nos escândalos o caminho do regresso ao poder.

Confortavelmente instalada no aparelho de Estado, nos órgãos de comunicação social e no poder económico, não tem programa, ideias ou projetos, vive dos cadáveres dos incêndios, das insinuações e dos julgamentos da comunicação social.

Esquece que votou contra o SNS e a despenalização da IVG, e que apoiou a invasão do Iraque. Esquece que Cavaco, Durão Barroso e Portas eram dos seus, que o governador do BP nomeou, por convite, um filho de Durão Barroso para um alto cargo que exigia concurso, que a última ministra das Finanças levou diretamente para um fundo abutre de Londres os conhecimentos do ministério, enquanto mantém o lugar de deputada.

Nunca se preocupou com a falta dos documentos dos submarinos cujos subornos foram provados na Alemanha, e improváveis em Portugal; com a prescrição dos desvios dos fundos europeus para a Tecnoforma, cuja devolução é reclamada, e que envolvem os nomes de Passos Coelho e Miguel Relvas; com a afirmação da PGR, que admitia reabrir esse processo, sem que haja conhecimento de o ter feito; com as falências fraudulentas dos bancos onde pereceram as estrelas da constelação cavaquista; com o condomínio da praia da Coelha; com a humilhação da demissão de Durão Barroso da Universidade de Genebra e do Instituto de Estudos Internacionais, onde dava aulas, e das restrições à sua entrada na Comissão Europeia, pelas promíscuas relações com o banco Goldman Sachs; com os vistos Gold; com o silêncio sobre investigações de corrupção a câmaras do PSD, da região do Porto, denunciadas em 20 páginas da Visão, e de que se ignora qualquer averiguação do Ministério Público.

Esta direita esqueceu a primeira candidatura vitoriosa de Cavaco Silva a PR, nascida na vivenda de Ricardo Salgado, o caso Moderna, a empresa de sondagens Amostra e os problemas com a Segurança Social e as Finanças, de Paulo Portas e Passos Coelho.

As acusações permanentes aos adversários escondem as nódoas próprias.

Anúncios

9 pensamentos sobre “A direita, os escândalos e a memória

  1. A ideia do conluio entre a justiça e a imprensa é mesmo essa, imolar Sócrates no altar da pátria dos corruptos repugantes como Durão, Passos, Portas, Duarte Lima e outros como Cavaco e o cavaquismo representado em manada no BPN como trasladação exorcística da intrínseca peçonhenta corrupção escolástica pàfiana para o corpo de quem, precisamente, não só não lhes foi ao beija-mão como se atreveu a combater a infernal corrupção e parasitismo dos poderes justícialistas e empresariais amparados por lacaios servis colocados nos media para manipular e orientar a opinião pública na direcção dos seus donos.
    A miserável e implacável perseguição e caça ao homem feita há anos a Sócrates e o tratamento inalterável de arquivar tudo, tudo até os casos de flagrante dos pàfiosos como os casos referidos, só isso, para quem ainda sabe pensar com lógica é prova provada de que se trata de uma procura a todo o custo de é um bode expiatório nacional que carregue a culpa incomensurável dos nacional-corruptos e este possam circular em liberdade.
    Qual Europa qual quê, quem aponta quem é corrupto por cá é aquela senhora que mete medo à luz.

    Liked by 1 person

  2. Excelente ! De uma forma concisa e contundente , aqui descreve, sumariza bem a direita cuja podridão e putrefacção não têm direito de antena ,nem “investigações” , nem “recordaçãoes ” – uns media al – ta – mente tendenciosos e persecutórios que mais se parecem baseadas na nossa triste herança inquisitorial do que numa democracia europeia e , portanto, supostamente , moderna .
    É bom existir esta liberdade de comunicação hoje em dia porque , o que os media tradicionais supracitados que embalam a opinião pública, ou parte dela , facilmente enterram , aqueles que só alguém lobotomizado não percebe perfeitamente quem é que os solta , tais cães esganados à procura do mais pequeno alimento que seja deixado para trás nos obrigatórios ” pic nics governativos ” da esquerda , esta última que deve gostar mais de gatinhos domesticados, uma vez que estes caninos raivosos , cheios de ressentimentos e a espumar dos cantos da boca têm todos coleira Laranja .

    Gostar

  3. os jornaleiros de serviço estão mong’s ao pensarem que conseguem convencer a populaça que o que para uns é cadastro para outros é curriculum. vamos ver aonde conseguem chegar com esta palhaçada, tenho muitas dúvidas que seja a um bom porto. ( de abrigo para eles, porque quando a coisa der pró torto vai haver tempestade)

    Gostar

  4. blá blá blá blá blá blá
    Quanto mais se mexe na caca mais ela cheira e parece-me que há muita agente que não tem interesse em agitá-la.
    Enfim continuamos a ser o país (escrevo de propósito com letra minúscula) das bananinhas.
    Não há gente que os tenha no devido lugar. É pena!

    Gostar

  5. Uma desolação! Para qualquer lado que nos viremos ė mais do mesmo, um país putrefato politicamente falando. Por isso a postura clubistica é pura demência e o esquerda direita, foi remetido aos quartéis. A abstenção ė a única saída e os portugueses teimam no papelinho. A exigência de uma nova Constituição ė imperativa, ou acabamos todos como os sem abrigo
    O face hoje ė calamitoso, o inīcio foi a senhora 24h no hospital à espera sem uma sopa. Tem 78 anos.

    Gostar

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bem vindo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s