O mestre da perfídia

(Por Estátua de Sal, 30/08/2017)

Mumia

Cartoon in Blog 77 Colinas

Confesso que nunca percebi muito bem esse acontecimento que dá pelo nome pomposo de “Universidade de Verão do PSD”. Fico na dúvida se será uma fábrica de doutores que conseguem um canudo apenas a estudar durante um verão – na senda dos feitos doutorais do famigerado Miguel Relvas, esse doutor de alta prestação -, ou se será apenas uma reciclagem de doutores já feitos, jotinhas fresquinhos a precisar de actualizar o seu parco e anquilosado software.

Em qualquer dos casos, como as “aulas” não ocupam o verão inteiro e não duram mais que uma semana, são necessários mestres de grande qualidade e eloquência para em tão pouco tempo dar conta do recado. E assim tem sido. Por lá tem passado todas as pequenas e grandes sumidades da direita, desde Durão a Moedas, desde Passos a Maria Luís, tendo cabido desta vez a tarefa ao ressuscitado Cavaco Silva. A palestra foi triste e deprimente e,  como sempre ao bom estilo de Cavaco, uma peça de insidiosos recados. (Ver aqui)

A esquerda – nomeadamente o PS -, está encarniçada contra Cavaco. Pensa ela que a maioria dos recados de Cavaco lhe foram dirigidos. Talvez em parte. Cavaco, ressabiado como é, ainda não engoliu totalmente o sapo que foi ter que dar posse ao governo actual, ao qual vaticinou as maiores agruras e insucessos,  e que apesar de todas as pragas que lhe rogou, está a apresentar os melhores resultados económicos deste século. Quando um político fundamenta os seus discursos nos seus pequenos ódios em vez de os fundar na realidade, só podemos – para sermos magnânimos – receitar-lhe a aposentação. Eu sei que Cavaco já está aposentado – e bem -, mas seria bom que se convencesse disso em definitivo, o que parece que ainda não sucedeu.

Mas Cavaco não se ficou pelos recados ao Governo a quem ele continua a rogar pragas. Marcelo também não foi poupado. É o “presidente da verborreia”. Comparar Marcelo a Macron, pela negativa, não lembra ao diabo, mas foi o que Cavaco fez para, de forma sibilina, se comparar ele próprio a Macron. Ora Macron é uma construção artificial em plástico dos meios de comunicação social franceses, a soldo dos grandes interesses financeiros internacionais, que o venderam ao eleitorado,  santificado, e ungido pelos deuses, uma espécie de reizinho gaulês descido dos céus. Pois bem, ficámos a saber que é nesse papel celestial que Cavaco sempre se reviu enquanto Presidente. O rei Cavaco era parco em palavras e distante da povo porque, para Cavaco, os reis não falam com a plebe, apenas a mandam ajoelhar quando esta se apresenta ao beija-mão real.

Mas a parte mais pérfida e oculta dos recados não foi em grande parte descodificada à esquerda. Tratou-se de uma mensagem para os jotinhas, e directamente dirigida para o interior do PSD. E a mensagem é simples: não alinhem nos cantos das sereias que vos querem vender propondo-vos nova liderança, meus jovens: eu sou grande, eu sou o vosso líder até à eternidade e Passos Coelho é o meu profeta.

E é nesse contexto que deve ser entendido o ataque de Cavaco à comunicação social, aos jornalistas, aos comentadores. Sim, porque os comentadores são praticamente todos de direita, e a orientação das televisões é empolar as falhas e limitações do actual governo e, ao mesmo tempo, minimizar ou ocultar mesmo,  os seus sucessos, e por isso Cavaco devia colocá-los no altar em vez de os denegrir. Mas não. A razão é simples: a direita já iniciou o processo de destituição de Passos Coelho, porque não quer apostar de novo num cavalo perdedor. Desde o Expresso/SIC, passando pelo Observador, até ao pequenote Marques Mendes, todos estão a trabalhar com denodo para acelerar a queda de Passos Coelho a curto prazo. E é por isso que Cavaco zurze nos comentadores e nos jornalistas. Estão a atacar o seu prosélito, dilecto filho e obediente seguidor.

Se isto foi uma aula, foi uma aula de perfídia e de insensatez. Nada que os jotinhas não admirem, mas que não mereceu mais do que sorrisos amarelos e aplausos tíbios.

Porque, para encerrar com pompa, Cavaco tirou da cartola, a segunda edição da sua célebre máxima da “asfixia democrática”. Incentivou os jotas a lutar contra a censura que, segundo ele, está instalada em Portugal. Perante esta tirada, ocorreu-me de imediato a pergunta: o que é que ele anda a tomar? Alguma droga que lhe provoque alucinações? Cocaína adulterada porque o dinheiro da reforma não chega para comprar da pura?

Depois reflectir cheguei à conclusão seguinte: Se o governo tem sucessos e Cavaco não gosta é porque existe “censura” que oculta os insucessos da governação pois os supostos sucessos que vem nos jornais não podem ser reais.

Eu pensava que apenas Passos Coelho é que padecia de esquizofrenia grave, tendo continuado durante muitos meses a julgar que ainda era primeiro-ministro e a comportar-se como tal. Afinal, Passos está semi-perdoado. Apenas seguiu as instruções e as práticas do seu querido e dilecto mestre, o qual continua a achar que ainda é Presidente da República, e sobretudo que a forma como exerceu o cargo ficará para os anais da história como tendo sido exemplar.

Um personagem que não consegue ainda interiorizar que, fosse ele rei como gostaria ter sido, ficaria na história com o cognome de Cavaco, o de triste memória, como mostram os níveis de popularidade que tinha quando se retirou, não tem da realidade mais do que uma distorcida visão. Visão com que insensatamente persiste em incomodar o país, sempre que sai do seu refúgio dourado que todos pagamos.

Era bom que Cavaco se convencesse de uma vez por todas que se deve apenas dedicar a escrever as suas memórias. Mas que as guarde para si e para os seus descendentes e não as publique nem as partilhe com a Nação. Porque as memórias de Cavaco são tristes memórias que Portugal se esforça por esquecer, um pecadilho e uma falha dos portugueses que elegeram mais que uma vez para os governar  um personagem de tão limitadas qualidades e de tão mesquinho e provinciano ideário.

Anúncios

10 pensamentos sobre “O mestre da perfídia

  1. Os Gauleses não tinham e nunca tiveram Reis, Vercingetorix era chefe dos Arvénios.
    Os franceses não teem nada a ver com os Gauleses, pois estes foram derrotados por Julio Cesar, assimilados pelos Império Romano e quando este se desintegrou os Francos ocuparam a actual França.
    Porque é que as pessoas insistem em chamar aos Franceses Gauleses? Será por causa do Astérix?
    Para que vos esclareça os povos mais aproximados com os Gauleses são os Irlandeses, Galeses e Escoceses.

    Gostar

  2. Venho reclamar. Eis senão, quando ligo o rádio do meu carro ouço uma voz vinda do Além. A Comissão de Ética tem que ter mão nestes cientistas que, sabe-se lá porquê, ressuscitam personagens tenebrosas que enquanto vivas atormentaram a vida das pessoas. Era um pesadelo, mas que fazer, mas depois de mortas voltarem ao mundo dos vivos é obra. É que pode dar o badagaio a uma pessoa desprevenida voltar a ouvir semelhante verborreia eivada de ódio, de sarcasmo, de rancor, de vingança mesquinha, torpe, que não dignifica a personagem de um ex-presidente da república. Este sr. deveria remeter-se ao um silencio fúnebre, mas não, pensa, certamente, que deve ter sido o melhor presidente que a democracia teve. Daí que venha a terreiro dar lições aos imberbes dos jotinhas, disparando disparates no intuito de provocar os partidos que apoiam o Governo, numa altura em que estão à porta as eleições autárquicas de modo a provocar o máximo de instabilidade. Esgotados que estão os fogos, os roubos, eu sei lá, vem agora esta alma penada dar lições de democracia, sentindo-se extremamente incomodado, extremamente inconformado por este governo ter demonstrado que havia outro caminho, outra maneira de dar a volta ao texto, que ele jamais poderia sonhar. Herdeiro do velho estilo salazarengo, limitado, poucochinho, a ousadia do Governo e a descontracção do actual Presidente devem ser, para ele, facadas lancinantes. Recomenda-se pois à Comissão de Ética que faça voltar a personagem à tumba!

    Gostar

  3. Cavaco fala, logo existe. Cavaco pensa, logo é único. Cavaco ressuscitou, logo é deus. Cavaco é assim.
    Macron usa Versailles para comparar-se A Luis XIV que se intitulou de “Rei Sol” e Cavaco compara-se a Macron por que se crê o “Iluminado” que “nunca erra e raramente se engana”
    Ora Cavaco é, precisamente, de todo, o inverso do que julga ser. Nunca leu e muito menos estudou história ou filosofia para entender o passado logo é um zero de compreensão para projectar e fazer algo que seja futuro. Sendo uma nulidade no plano intelectual é concomitantemente uma nulidade no plano do pensamento racional das ligações, comparações, analogias, extrapolações entre passado e futuro de modo a ter poder conceptual. Mas é manhoso à farta o suficiente para dessa fraqueza e incapacidade de pensar fundamentado em conhecimento usar de ronha e sebentas de economia para debicar academicamente um linguajar que deixe os papalvos de boca aberta e ganhar eleições lançado pelos Salgados e embalado pelos jornaleiros avençados de serviço.
    Passo Coelho é, exactamente, o mesmo caso de nulidade de pensamento e conseguiu, pela mesma técnica, enganar milhões de portugueses também levado pelas mentiras que os mesmos jornaleiros avençados de serviço levaram ao colo. Este, sendo ainda mais e maior mentecapto que o mestre, foi mais rapidamente detectado e detestado.
    Ele, segundo ouvi nos telejornais, até disse que “ninguém espere gratidão da política” ou algo de igual sentido. Pois isso quer dizer que o pobre auto-convencido “iluminado” já se auto-convenceu que u futuro lhe vai dedicar umas notas de roda-pé nas páginas negras da História.
    Deixem o homem esperniar que se isso o alivia ainda mais nos alivia a nós.

    Gostar

  4. CONCORDO. DEDIQUE-SE A ESCREVER AS SUAS MEMÓRIAS, E BASTA QUE TIRE DOIS EXEMPLARES: UM PARA ELE SE RECORDAR A SI PRÓPIO E O OUTRO PARA A SUA ILUSTRE CARA METADE.

    Gostar

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bem vindo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s