Obrigado Rui Rio

(In Blog O Jumento, 11/11/2020)

O argumento de Rui Rio para justificar a aliança de um partido que se diz social-democrata com um partido da extrema-direita é um atentado à inteligência. Usando uma linguagem vulgar o Rui Rio diz que ainda não se tornou num gigolô, o que fez foi o que toda a gente faz, perdeu a virgindade e não vê qual o inconveniente em tê-lo feito com o Chega. 

Segundo esta lógica o PAN, que é tido como um partido de esquerda, seria um forte aliado dos nazis pois é sabido que Hitler era vegetariano e adotou leis de proteção dos animais que fariam inveja a muitos países ditos muito civilizados. O líder do PAN poderia muito bem explicar que não apoiava o extermínio dos judeus, dos opositores do nazismo, dos ciganos ou dos republicanos espanhóis, apenas tinha feito um acordo no domínio da proteção do ambiente e dos animais. 

A explicação do Rui Rio de que o Chega apoia as suas bandeiras é ridícula, o líder do PSD sabe que quando fala em reduzir deputados ou cortar nos malditos apoios sociais está a fazer suas duas bandeiras da extrema-direita. Por mais pacóvio que seja ele sabe que a redução de alguns deputados e o corte nos subsídios não passam de medidas sem qualquer impacto na sociedade ou economia, são apenas idiotices para ganhar votos de idiotas que acham que é capando, cortando subsídios e dando facadas no parlamento que se atinge a democracia. 

Mas há uma coisa que devemos agradecer a Rui Rio, finalmente um líder do PSD assumiu a matriz ideológica que todos eles defendem em privado, ainda que em público venham com a pantomina do partido de esquerda ou do centro direita. O PSD é um partido da direita e é natural que entre o PSD e o CHEGA o denominador comum sejam estas duas bandeiras que os uniu nos Açores. 

Agora está tudo claro e a Catarina Martins fica a saber que governo está a escolher quando decidir derrubar um governo de esquerda só porque quer subir dois pontos na votações, comportando-se como um especulador da bolsa que de vez em quando vende as ações para realizar os ganhos. 

Nunca tivemos tão bons motivos para agradecer ao Rui Rio, nunca a política portuguesa ficou tão clara.


11 pensamentos sobre “Obrigado Rui Rio

  1. «O argumento de Rui Rio para justificar a aliança [?!] de um partido que se diz social-democrata com um partido da extrema-direita é um atentado à inteligência.», tang (a e faz juz ao nome do (é focar tranquilamente à espera, como diz o outro, que o frenesim dos tempos do Socratismo é (quase) o mesmo que agora se desunha na fase decadente do Costismo-e-mais-o-seu-governo-de-merda!)

    Uff!

    4.11.2020
    Nota. Jumento,burrico, asno: a forma como foi desenhada a #geringonça de direita nos #Açores, uma coligação de três partidos com o apoio parlamentar do Chega e da IL, é moderada para os que não têm medo do bicho-papão (e tem mais em que pensar).

    #frenesim
    #spin, sempre!

    • Idem, ibidem com um extra no link.

      RFC diz:
      Novembro 3, 2020 às 5:02 pm

      Ui?

      Nota. Epá, tudo o que dizes está errado… Conviria abrires um bocado a pestana quando sais à rua, faz como antigamente e pára em frente a um quiosque pois talvez percebas o que se passa. Se quiseres uma ajudinha prévia aqui vai: este governo de merda do António Costa não tem maioria absoluta no parlamento, ponto, e foi o tipo, o Augusto Santos Silva e o Carlos César quem deram os golpes mortais ao inviabilizarem um acordo parlamentar da gerigonça. Devem estar arrependidos os três, de supetão a verem a vida a andar para trás (olha o que se passou nos Açores e ao clã César, pá!), mas é assim a vida em Democracia. Aliás, a tristeza deve ser maior quando percebem que o que lhes sobra na tralha das novas e velhas apaixonadas do Costismo: nela se destaca uma personagem como a Ana Catarina Mendes, cujos discursos de há muito eu próprio artisticamente os pintei como serviços sexuais explícitos que deveriam surgir nas TV’s acompanhados bolinha vermelha. Se quiseres uma leitura política para estes tempos sombrios aqui vai, de repente: perante uma eventual e perigosa mexicanização do regime partidário português, em que em vez do Partido Revolucionário Institucional (PRI) azteca terias o Partido Socialista indígena com/sem maioria mas sendo hegemónico durante décadas, o Povo, ou os seus eleitos partidários, impediram em tempo os sonhos húmidos das sanguessugas socialistas quando, em momentos diferentes, impediram a almejada maioria absoluta nas passadas legislativas e, por fim, nas regionais. Ou seja, a posição do BE e mesmo a equilibrada solução da “geringonça de direita” nos Açores que foi desenhada a partir de uma coligação a três, com apoio parlamentar do Chega e da IL, são exemplares esforços no sentido de quem sabe honrar os seus eleitores.. Por isso, thinka!

      E, ainda:

      Outubro 26, 2020

      Nota. Não li, mas o título não me parece apropriado para um dia como hoje (pois há outras palavras que servem, e muito)

      Vasco Cordeiro e Carlos César deveriam ter-se interrogado sobre o que aconteceu nos Açores, ontem.

      – Tu não achas que já chulámos demasiadamente a autonomia?

      PS perde maioria absoluta. Direita tem mais mandatos do que a esquerda

      PS perdeu cinco deputados e falha a maioria absoluta. Chega tem dois mandatos e é a quarta força política. CDU perdeu o único assento no parlamento regional. No conjunto, a direita tem mais mandatos do que a esquerda e o PSD não fecha a porta a uma coligação de governo alargada.

      […]

      No DN, online.

      Fernando Medina, António Costa, e o seu governo de merda, &etc., é que é já a seguir.

      Novembro 10, 2020

      Solidários, e tranquilos.

      https://pbs.twimg.com/media/EmJtbagX0AMPAX5?format=jpg&name=medium

    • Mas o mistério é o PS
      12 Novembro 2020 às 9:02 por Valupi

      Na semana em que vimos Rui Rio, Manuela Ferreira Leite e Nuno Morais Sarmento a selarem a aliança [?!] com André Ventura, e outra merda do estilo.

      _______

      Nota. Eu não dizia, pá? Apanham-se mais depressa um-dois-dez-cem-mil mentirosos do que os utentes dos últimos dez anos que estiveram em reabilitação no Alcoitão.

  2. é pena, mas afinal, sempre é verdade, a única diferença, entre os queridos do bloco central, é o D A MAis, de resto, é Sempre a mesma filosofia saloia mafiosa brincalhona a engonhar. :P:D

  3. Ganhar votos a qualquer custo, a começar por por cobrar a quem os coloca, é mais com o teu clube, ó Jumento. Como se nota pelo RFC residente, o PSD sempre é mais transparente.

  4. «Agora está tudo claro e a Catarina Martins fica a saber que governo está a escolher quando decidir derrubar um governo de esquerda só porque quer subir dois pontos na votações, comportando-se como um especulador da bolsa que de vez em quando vende as ações para realizar os ganhos.»

    Quantas vezes é preciso repetir? Foi o PS que rejeitou acordo escrito, aliás foi o PS que rejeitou sequer começar a negociação com o BE em 2019 porque o BE exigia “demasiado”: reverter a lei laboral da troika e da Direita-Radical.

    Portugal é que fica a saber que o PS prefere uma crise política a meio de uma pandemia, e um investimento público (SNS incluído) em mínimos históricos, do que acabar com os cheques em branco passados ao off-shore da Lone Star.

    O BE tem tanto dever de aprovar um orçamento do PS, como o PS tem o dever de aprovar as propostas do BE. Portanto só há uma solução: negociar. Mas não, em vez disso o Costa rosna no parlamento e os avençados, jumentos ou não, rosnam nos blogs e redes sociais… tudo com o objetivo programado (mas falhado graças à pandemia) de criar uma crise virtual só para ir novamente a eleições e tentar a maioria absoluta. Para quê? Exatamente para não terem de ceder o que quer que seja ao 1 milhão de eleitores da Esquerda, fora as pessoas que são de Centro-Esquerda e ainda vão ao engano votar no PS.

    E se há alguém que se porta como um especulador de bolsa que vende ações para realizar ganhos, de certeza que não é um dos partidos de Esquerda que todos os dias está ao lado dos trabalhadores, mas sim o partido de governo (que não é de Direita, nem de Esquerda, e a única convicção que tem é a do EXTREMO-€uropeísmo) que recusa acabar com as negociatas das PPP na saúde, nos CTT, na REN, na ANA, no off-shore da Madeira, na caducidade dos contratos coletivos e restantes alarvidades da lei laboral da troika, etc.

    Já não há paciência
    Para tanta insistência
    De um lado o inquilino de São Bento
    Do outro lado o Jumento
    Ora mente e rosna um
    Ora dobra a mentira e rosna o outro
    Um diz que dois mais dois são um
    Outro abana a cabeça e escreve cagalhoto
    Eles queriam mandar sem a Catarina
    Mas para tal precisam de maioria
    Queriam só deles a concertina
    Mas depois o povo é que se fod…

  5. Não percebo tanta agitação.

    Estava na cara que isto ia acontecer. O PSD nunca foi social democrata mas sim líder da direita, extrema direita liberal incluída. Aliás, de onde veio o Ventura ? E o Passos não o tinha já apoiado quando ele se iniciou no populismo de direita ?

    O chega é apenas a ala conservadora do PSD.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.