Quo vadis, democracia?

(Carlos Esperança, 22/02/2020)

Temos de perguntar como foi possível legalizar um partido racista e xenófobo, quando a CRP expressamente proíbe a difusão da ideologia de quem se está nas tintas [sic] para a Constituição, normaliza a violência racista e subverte a democracia na AR.

A memória dos povos perde-se, ao contrário da ambição das pessoas a quem qualquer desculpa serve para ascenderem ao poder, como o vereador que Passos Coelho escolheu liderar a lista do PSD às eleições autárquicas de Loures. Ele é o íman que atrai nazis, marginais, cadastrados e intelectuais extremistas, que canalizam medos e ressentimentos contra a democracia e a moldura jurídica que a define.

É o deputado que diariamente ocupa a comunicação social que segue a velha máxima: notícia não é o cão que morde um homem, mas o homem que morde um cão. Mitómano, narcisista e incoerente, alimenta as notícias com o medo que infunde, a violência verbal que verte e o carácter amoral de quem não tem moral nem carácter.

É inútil acusar o invertebrado que defendeu uma tese humanista para efeitos académicos e a contraria para fins eleitorais. Ele viu o filão fascista que, à semelhança da década de 30 do século passado, vulgarizou os ideólogos do nazi/fascismo. Basta-lhe a falta de escrúpulos.

Engana-se quem pensa que 48 anos de ditadura, 5 de ditadura militar e 43 de fascismo, podem constituir uma vacina contra novas aventuras, quando a própria Alemanha, onde a pedagogia e repressão antinazi foram exercidas, não conseguiu impedir a ressurreição dos demónios que atormentaram o mundo e levaram a tragédia ao seu próprio povo.

Não conheço uma receita para evitar a deriva fascista que, tudo leva a crer, já entrou no aparelho de Estado, nas polícias, nos órgãos de soberania e na mentalidade de quem não sabe o que foi a tragédia da guerra de 1939/45.

O que hoje é visto com leviandade por quem julga o país imune ao regresso ao passado, passará a ser uma preocupação antes de acabar em tragédia.

Não é preciso ser bruxo.


3 pensamentos sobre “Quo vadis, democracia?

  1. Antes de mais o Chega não é um partido fascista nem racista.

    É um partido liberal-conservador que defende limites á imigração e mão pesada em questões sociais, o que inclui as questões das minorias raciais, mas isso não faz necessariamente um partido fascista.

    Agora que atrai fascistas é verdade. Apenas porque não dispõem de verdadeiras plataformas fascistas eficientes.

    Os verdadeiros grupos fascistas nunca conseguem reunir mais do que umas dezenas de pessoas, então alguns fascistas tentam a sore em outras plataformas de direita. Vimos o mesmo no CDS, antes de aparecer o Chega e ninguém vai dizer que o CDS é nazi…,

    – A razão da subida do fascismo nos inícios do século passado explica-se facilmente pelos crimes do comunismo.

    Na URSS o mundo assistiu boquiaberto ao massacre de dezenas de milhões de pessoas pelo próprio regime, mataram pela fome, campo de concentração, até crianças fuzilaram.

    A demência assassina foi tal que os comunistas rapidamente se começaram a assassinar uns aos outros.

    O mundo assistiu espantado ao PCUS assassinar os seus próprios militantes ás dezenas de milhar, depois exterminou a maior parte dos seus próprios dirigentes partidários, todos os autores da revolução de 1917 companheiros de Lenine, os dirigentes do exército vermelho.

    Os próprios organizadores dos extermínios, os chefes das secretas, eram regularmente exterminados pelos “camaradas”. Yagoda, Yehzov, Béria a sucessão de líderes das secretas, todos assassinados.

    Qual é o grande espanto que esta orgia demente de sangue tenha a aberto caminho ao extremo oposto?

    Aliás, os partidos comunistas assassinaram mais comunistas que o próprio Hitler.

    Hoje em dia a esquerda já não tem poder para estes espectáculos sangrentos, mas faz o que pode.

    E o que pode?

    Bem, todo aqueles exterminios dementes, que incluíam os próprios camaradas, tinham base numa demência especifica, chama-se PARANÓIA

    Os comunistas exterminaram milhões de pessoas, incluindo a maior parte dos próprios comunistas com base num estado histérico de permanente teoria da conspiração. Uma verdadeira fábrica de acusações fake.

    É assim que vimos estarrecidos serem assassinados sob a acusação de “fascistas” homens como Trotski, o operacional da revolução de 17, criador do exército vermelho e ganhador da guerra civil para a causa comunista. Kamenev e Zonoviez, outros companheiros de lenine, Thukacheskie o renovador do exército vermelho, a maioria dos oficiais do dito, quase todo o comité central, os líderes das secretas que referi, milhões de outros incluindo grupos sociais inteiros.

    Toda esta gente era assassinada com base em acusações fake e teorias da conspiração mirabolantes.

    Eram todos “fascistas”.

    – E a esquerda hoje faz o que pode,

    Hoje não pode matar milhões com base em acusações fake.

    Mas faz acusações fake na mesma, acusando toda a gente de RACISTA,

    Que a população se começa a fartar e a olhar com bons olhos o esterco oposto?

    Com este tratamento é natural.

    Muita gente começa a dizer que o ventura é uma besta mas que até tem razão naquela coisa de contrariar a palhaçada da esquerda andar a chamar racista a toda a gente.

    Que a clase trabalhadora branca que hoje trabalha lado a lado e exatamente com as mesmas condições sociais das pessoas de cor, comece a ficar farta de ser insultada todos os dias com acusações fake de “racista” e “privilegiada” só por ser da raça errada”, neste caso a branca?

    Estão á espera de quê?

    Se querem saber porque o Chega está a subir, perguntem ao pessoal do bloco, livre, SOS etc, porque andam a denegrir as policias e instituições e se põem ao lado e promovem a herói perseguido qualquer criminoso não branco só para alimentar a teoria da conspiração de que a nossa sociedade é racista.

    Os trabalhadores começam a ficar verdadeiramente incomodados.

    É a tal “conversa de café” que a esquerda tanto despreza embora diga que ama muito o povo – que acusa de racista a torto e a direito e que, precisamente, o povo cujo fórum de discussão se situa nos cafés. precisamente…

    Porque o povo não tem a cesso a colunas de jornais nem é convidado para debates na TV.

    E o povo começa a ficar inquieto.

    Os dos transportes já têm medo de pedir o passe a pessoas de raça negra, não vão ser acusados de racismo…

    Os das policias e empresas privadas de segurança sabem que qualquer problema com meliantes de outras raças tem 99% de probabilidades de lhes granjear acusações fake de racismo por tudo e por nada.

    Os das lojas de retalho idem… São milhões de pessoas que começam a ficar com medo das teorias da conspiração esquerdistas – milhões de votos potenciais para o Chega e quem sabe um dia para verdadeiros fascistas como os do NOS.

    Parabéns á esquerda demente, estão a conseguir recriar as condições de 1933…

  2. Perguntar como se repetem erros do passado, como se foi desvalorizando, ou sequer analisado as causas da cultura e opções da burguesia por políticas fascistas e nazis que outras em que perdem privilégios de casta “superior” ou de controlo do comando dos destinos do povo é revelador de, no mínimo algum cinismo político ou inconsciência de opções e/ou atitudes de políticos que conhecedores de factos do passado, em nome da “liberdade” (individual sem limites de alguns), se optar pelo liberalismo intelectual e económico em detrimento de se privilegiar os interesses de uma população maioritária.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.