O Serviço Nacional de Lucro

(Marisa Matias, in Diário de Notícias, 

No país mais rico do mundo, há dezenas de milhões de pessoas que não têm acesso a cuidados de saúde. Essas pessoas têm a liberdade de escolher qual o hospital que não vão conseguir pagar. No mesmo país, famílias remediadas arruínam-se em batalhas ganhas ou perdidas contra a doença de um familiar. Essas famílias têm a liberdade de escolher entre a casa ou a saúde de um dos seus. É esta a realidade por trás da liberdade de escolha. Os Estados Unidos da América, o país em que as ideias da direita sobre a saúde foram mais longe, são o país que gasta mais em saúde.

Quando comparados com outras nações ricas, os EUA gastam mais 25% per capitaem paridades de poder de compra do que a Suíça e quase o dobro da Alemanha. E esta diferença tem aumentado desde os anos 1980. Um sistema que gerou a maior e mais lucrativa indústria de saúde do mundo.

Qual o resultado deste investimento massivo? Um estudo recente da Organização Mundial da Saúde dá a resposta: com base num painel de indicadores de saúde, os Estados Unidos eram classificados como o 37.º sistema de saúde do mundo, a seguir à Costa Rica. Portugal era o 12.º. Não admira que a indústria da saúde norte-americana gaste uma fortuna em lobbying, “investigação” paga a peso de ouro ou no suborno mais ou menos descarado.

Cada um, cada família, faz as escolhas individuais que o seu rendimento permite, escolhas frequentemente trágicas. Escolhas necessárias porque uma outra escolha coletiva continua por fazer: a escolha de uma comunidade por um Serviço Nacional de Saúde que proteja a todos, orientado por prioridades de saúde pública e não pelo lucro.

Foi essa a escolha que fizeram muitos países europeus no pós-guerra. Foi essa a nossa escolha, ou melhor, a escolha da esmagadora maioria e de toda a esquerda portuguesa. Nunca foi a escolha da direita e não passa um governo, um mandato, uma liderança, em que não sejamos recordados desse facto.

O PSD apresentou a sua proposta de reformulação do SNS. Na prática, trata-se de uma extinção. A proposta é simples: o Estado deve pagar a provisão de serviços privados de saúde. Um negócio feito à medida da nossa elite económica. O privado gasta, assegura a sua margem, o Estado paga. Risco privado? Nenhum. Controlo público? Também nenhum. Os privados concentram-se nos serviços rentáveis, o Estado fica com os outros. Não é muito diferente do que o CDS anda a propor para a ferrovia. Só que aqui o negócio é a vida das pessoas.

Resta saber qual será a resposta da maioria. O grupo de trabalho do governo começou da pior maneira com a nomeação de Maria de Belém, consultora do grupo privado Luz Saúde. Continuou com o apelo do ministro da Saúde ao PSD: “O país ganharia muito com um acordo que fosse alargado.”

Talvez o maior ativo político da história do Partido Socialista seja a criação do SNS. Em 1979, o PS não teve problemas em avançar com essa proposta, mesmo sem direita, alargando o consenso à esquerda e, sobretudo, à esmagadora maioria das pessoas que continuam a ver o SNS como uma das mais belas e importantes construções da nossa democracia. Conseguiremos fazê-lo outra vez?


Eurodeputada do BE

Anúncios

5 pensamentos sobre “O Serviço Nacional de Lucro

  1. Onde está o BE, há tanto, uma eternidade de anos que ocupa a senhora esse lugar lá longe dos “Lusitanos”-porque não resolve definitivamente os problemas de décadas na terra de Viriato? . Porra calem-se e sejam povo, vivam como o povo.
    E calem-se com a esquerda e direita, estamos um pouco fartos de tanta demagogia. Onde está hoje a esquerda? Só vejo novos ricos envernizados, confundem-se no meio da “CORTE” de tanto emburguesamento.
    Vejam o que está já acontecer nas nossas escolas, ainda não começámos e já chegaram, as ameaças do Nogueira. Sou Professor há 36 anos e nos últimos 15- uma tirania , nunca mais existiu paz. É um terror, um sofrimento constante uma desumanização. Agora só nos faltava termos que arrumar as botas aos 60 anos, vamos para o largo da aldeia assobiar??
    Na saúde bem livrem-se de adoecerem…
    Que texto lindo (?) não passam de palavras estudadas. De quem percebe das manhas.

    Gostar

    • Mas, digo-lhe mais e em de uma forma revoltante. Se estivessem por perto ouviriam os gritos nos meus neurónios.
      O que terá a ver o ensino com o assunto em questão. Muito, pois é uma questão de doença “neurológica”. acompanham com muita atenção todos os artigos deste espaço. Concordo com uns e discordo de outros…comento ainda outros como este, porque sinto (algum) pluralismo no conteúdo do blogue. Há personagens que já me afligem pois a bota não bate com a perdigota. Louçã, a menina Moreira ou esta dama e outros intelectuais de esquerda, riquinhos e com nobre estatuto, o que não liga com a cor vermelha. Quem daqui fala, é filho de pedreiro. Referi-me ao ensino como uma pouca vergonha, porque existem profissionais que querem começar os seus anos lectivos em harmonia e respeito. Respeito pelos alunos e o salário que lhes transferem todos os meses, no meu caso é muito mais do que necessito. Quando falam que a classe docente está envelhecida, Terão que dialogar com os professores com mais de 50 anos, se, ainda estão aptos para continuarem tão prestigiante profissão. É um caso de saúde, porque existem grupos e interesses que destruíram nesta última década e pouco, a harmonia E INDEPENDÊNCIA existentes nas escolas. As lutas são constantes e desestabilizadoras. Vamos então colocar estes Professores, a coçarem as costas dos directores (?) ou outros locais mais íntimos. Sabeis vós, a violência que é colocarem esta gente a tapar buracos(?!).
      Esta interminável luta das “esquerdas”é diabólica, porque nada está melhor no que respeita às necessidades do POVO>(PAZ-SEGURANÇA E A MAIOR DE TODAS ESPERANÇA). OBSERVEM A VENEZUELA CAMARADAS-E SE RECUAREM UM POUCO MAIS-A GUERRA CIVIL DE ESPANHA, SOU UM HOMEM DA FRONTEIRA- E O QUE ME CONTARAM ALGUNS DOS MEUS ANTEPASSADOS. OS NOSSOS HERMANOS COMO COELHOS ESCONDIDOS NOS BURACOS, CLAMAVAM PELAS CASCAS DE MELANCIAS QUE OS CEIFEIROS DEITAVAM PARA O CHÃO, ALI PARA OS LADOS DE ELVAS.
      NÃO ESQUEÇAM INTELECTUAIS DAS ESQUERDAS, AQUI FALA O POVO-FILHO DE PEDREIRO-PROFESSOR POR AMOR> (QUEREMOS PAZ, SEGURANÇA E ESPERANÇA) NA SAÚDE, NA JUSTIÇA E NA EDUCAÇÃO, tempo e lugares para continuarmos a alimentar as nossas famílias-para isso terão que existirem ricos, gestores e gente brilhante da direita e da esquerda já que é assim que caracterizam a sociedade.
      E RESPEITO PELO OXIGÉNIO QUE RESPIRAMOS. NÃO É INESGOTÁVEL.
      O RESTO É RETÓRICA.
      E contas bancárias muito recheadas de zeros à direita. Não sei para q? se um dia como na Venezuela um frango podre custar 10 kg de notas em papel mal-cheiroso.
      Viva então a família do Zeca, e a alma do Zeca que não quer qualquer louvor ou dissipar-se em pó num lugar de “porto covo” da Graça.

      Gostar

  2. como é que querem fazer-nos acreditar num sistema público em que os que lá trabalham não acreditam e vão tratar-se no privado.adse para todos sem restrições.

    Gostar

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bem vindo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.