Qualidade Governativa

(Dieter Dellinger, 29/06/2018)

merkelx

Olhando bem para os governos dos 28 países da União Europeia estou convencido que o Governo Português deve ser o melhor de todos ou estará entre os primeiros.

O Senhor Macron é uma porcaria gémea da Frau Merkel. A Alemanha ainda não tem um Serviço Nacional de Saúde, tem apenas Caixas Locais de Doença e uma confusão entre hospitais. Na Hungria, Polónia, Eslováquia e outros temos governos fascizantes que limitam as liberdades e até acabaram com a comunicação social livre.

Os belgas não conseguem entender-se entre flamengos e francófonos. A Áustria já meteu um nazi na chefia, a Itália tem vergonha do líder Matteo Salvini, um fascista total, pelo que arranjou um descolorido Primeiro Ministro que não manda nada, mas faz de conta. A senhora do Reino Unido anda a querer gerir um Brexit arrependido e a ver se consegue sair apenas nominalmente e tem as suas estruturas sociais em degradação profunda.

A Suécia perde as suas melhores empresas e está com a Finlândia num processo de acelerada desindustrialização que vai levar a uma queda do nível de vida. A Roménia, dizem todos os romenos com que falei, tem uma desgraça corrupta de governo.A Bulgária parece que é ainda pior. A Holanda com o Luxemburgo têm como política económica essencial roubar os impostos que deviam ser cobrados por Portugal, Grécia e outros países, cujas empresas instalaram falsas sedes nesses países.

Enfim quem é melhor que o António Costa, o Mário Centeno e até Marcelo Rebelo de Sousa no âmbito das suas atribuições de monarca eleito. Qual o país pequeno que tem tantas figuras em destaque mundial por 10 milhões de habitantes?

As diferenças entre os países da Europa resultam muito mais do passado do que dos governos agora em exercício.

Advertisements

3 pensamentos sobre “Qualidade Governativa

  1. Gostei do artigo como um todo, mas confesso que não entendi bem o alcance do último parágrafo… Limitação minha, claro – «As diferenças entre os países da Europa resultam muito mais do passado do que dos governos agora em exercício».

    • Entendi assim: as diferenças actuais entre os níveis de desenvolvimento dos vários países da Europa, resultam do processo histórico onde pontificaram líderes do passado, já que os actuais são muito maus e não tiveram qualquer papel nessas diferenças: herdaram-nas apenas. 🙂

  2. Quando dizemos que temos uma boa carroça e não falamos dos tavões, tendo em conta os terrenos inquelinados, se não fossem o travões!… Cumprimentos, José Laranjo

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.