O da Joana

(João Quadros, in Jornal de Negócios, 05/05/2017)

quadros

Um terço gigante, da autoria de Joana Vasconcelos, foi inaugurado esta semana à entrada da Igreja da Santíssima Trindade, no Santuário de Fátima. Tenho a opinião de que Portugal só fica realmente completo quando a Joana Vasconcelos fizer uma padaria portuguesa gigante.

Acho uma ideia parva. Segundo ouvi dizer, Nossa Senhora tinha previsto aparecer outra vez em Fátima para festejar os 100 anos, mas puseram um terço gigante no local da aterragem.

Estou oficialmente cansado do centenário de Fátima e totalmente farto da Joana Vasconcelos. Lá está ela em todo o lado, sempre com as suas obras gigantescas. A Joana Vasconcelos deve festejar o 39 de Maio. Ela deve ser fixe é a fazer um charro. Deve ser um canhão.

A Joana Vasconcelos tornou-se a artista do regime, ainda que a frase pareça uma contradição. Mas desta vez temos um problema mais complicado porque, após ser conhecida a instalação, de seu nome “Suspensão”, começaram a circular, nas redes sociais, fotografias de um terço igual ao que foi erguido entre duas palmeiras em 2013, em Vila Velha, no estado de Espírito Santo, aquando da visita de João Paulo II ao Brasil. Aleluia! Isto foi o Milagre da multiplicação!!!

Joana Vasconcelos já se justiçou e diz que o terço brasileiro “não tem nada a ver” com o de Fátima. E a justificação, de que não têm nada a ver um com o outro, é, e cito: “Aquilo é um terço pequenérrimo feito de esferovite.” Fazendo uma comparação, o terço brasileiro tem 19 metros de comprimento e cerca de 60 contas, o da Joana tem 26 metros e 60 contas brancas. Ou seja, nunca se ponham nus em frente à Joana Vasconcelos. Resumindo, a única coisa que a Joana Vasconcelos inventou foi a palavra: pequenérrimo. Gostava de saber qual seria a reacção da Joana Vasconcelos se fizessem um sapato de mulher com tachos de brincar.

Diz ela que o efeito do terço que fez, à noite, tem um efeito que só existe em Fátima. E na Póvoa de Santo Adrião. Pelo menos, o outro é sustentado por duas palmeiras, o dela é sustentado por uma espécie de duas colunas de som gigantes, em vez de duas azinheiras.

Mesmo assim, a Joana Vasconcelos consegue ter menos lata a explicar o plágio do que a razão porque passou a olhar para Fátima com outros olhos.

O bom disto é ver que Fátima comprou gato por lebre. A Joana Vasconcelos arranjou uma fraude para comemorar os cem anos das aparições. Finalmente, fez-se justiça.


TOP5O

Suspensão

1. Infraestruturas de Portugal recomenda caminhos alternativos aos peregrinos – vão por cima de azinheiras.

2. Vereador do PCP em Cascais foi detido – por não tratar o filho por você.

3. Bloco de Esquerda quer prevenir consumo excessivo de Ritalina – é tomar ritalina em homeopático que, ao menos, não faz nada.

4. Líder parlamentar do CDS-PP diz que Portugal vive numa “democracia simulada” – o que os chateia é ser democracia.

5. Dois terços dos eleitores de Melénchon vão votar em branco ou nulo – o outro terço é o da Joana Vasconcelos.

Anúncios

Um pensamento sobre “O da Joana

  1. A Joana Vasconcelos tornou-se na artists do regime? Que quer isso dizer?
    E o Almada Negreiros? Também era ou foi o artista do regime?
    Porque não escreve um ensaio sobre A obra de arte e a estética nas suas várias dimensões e perspectivas? Não consegue, ou não percebe nada disso?

    Gostar

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bem vindo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s