«Há indícios crescentes de que o Canadá treinou extremistas ucranianos»

(In AbrilAbril, 02/05/2022)

Nas redes socias de Kyrylo Berkal, líder de um destacamento do batalhão Azov, estão várias publicações em apoio ao Exército Insurgente da Ucrânia (UPA), que colaborou com os nazis durante a segunda guerra mundial e participou no massacre de milhares de judeus na Polónia. Por entre saudações a colaboradores como Taras Dmytrovych Borovets, memórias da sua participação em marchas da UPA e apologia ao nazismo, está uma foto tirada com oficiais do exército do Canadá, em 2019.

A denúncia partiu da CTV National News, um dos maiores órgãos de comunicação do Canadá. Reportagens publicadas ao longo dos últimos anos demonstram o apoio dado aos neonazis do batalhão Azov…


Continuar a ler no link abaixo:

«Há indícios crescentes de que o Canadá treinou extremistas ucranianos» | AbrilAbril


Gosta da Estátua de Sal? Click aqui.

2 pensamentos sobre “«Há indícios crescentes de que o Canadá treinou extremistas ucranianos»

  1. Vamos agora esperar sentados pela “revolução da dignidade” que o Ocidente vai patrocinar no Canadá em nome da “democracia liberal” que, segundo dizem, não é compatível com o apoio a nazis…

    Ou melhor, e que tal se for uma AsiaMaidan em Ottawa que troque a oligarquia pro-NATO de Trudeau por um “herói anti-corrupção” muito amigo da China e cheio de vontade de ter uma aliança militar com a Rússia?

    A vingança serve-se fria. Está mais do que na hora da Asia (Rússia incluída) sair da defesa e passar ao ataque preemptivo, para usar o palio dos “pacifistas” que aplaudiram a destruição de meio Médio Oriente.

    Ah, e fazer 30 sessões via zoom com o líder da Autoridade Palestiniana e começar já a preparar o envio de armas letais para que eles resistam contra o invasor do Apartheid israelita.
    E chovam armas para os Catalães e os Escoceses.
    E já agora mísseis para Cipriotas e Cubanos…
    E porque não uma bombita nuclear para a Arménia?
    Ou uns laboratórios de armas biológicas para a Venezuela.
    Ou uns tanques novos para os resistentes da Síria e do Iraque.
    E mais não sei quantos lança rockets para o Afeganistão!
    É assim que se fazem as coisas melhorar, não é?

    É assim que os 87% do Mundo fora do Ocidente estão a pensar, e por isso estão contra as sanções do Império das Mentiras contra outros países. Sabem bem quem é o agressor/provocador e quem são as vítimas. Os lunáticos do Ocidente nem sabem a tempestade que estão a semear neste Mundo Multipolar que agora nasce.
    Pensam mesmo que podem brincar com as vidas dos outros sem nunca terem a resposta?

    Se a França fez os Haitianos passarem fome de forma a pagarem a “indemnização” pela sua autodeterminação, eu estou ansioso para ver que tipo de cheques serão exigidos aos Europeus e Estado-Unidenses, para indemnizar tantos países pelas suas atrocidades NeoColoniais, agora que o seu império tem os dias contados.
    E isto partindo do princípio que não haverá guerra nuclear, e que a decadência final será “só” económica.

    Vai uma aposta (ou série de apostas)? Nem Macron, nem Scholz, nem Costa, chegam ao fim dos respetivos mandatos.
    Mais depressa há uma queda do governo Finlandês, do que o fim da sua neutralidade à revelia dos eleitores.
    Os EUA vão ter guerra civil ou independências mais cedo do que a Rússia se vê livre de Putin.
    A OAS (quintal onde Washington faz os golpes) vai acabar durante o mandato de Lula, que será obviamente eleito.
    O grupo de Shangai (praticamente toda a Ásia, excepto o sudeste/ASEAN) vai continuar a colaborar com a Rússia, e a crescer, provavelmente com a adesão da Turquia (e nessa altura será ela a rejeitar o convite da UE).
    E a UE será dissolvida mais depressa do que a finalização da adesão da ditadura Banderista de Kiev.

    E essa mesma Ucrânia, enquanto país, ACABOU, após as recentes declarações de um responsável seu a dizer que não haverá fim da guerra com acordos de paz, mas apenas com a divisão da Rússia ou um golpe contra os actuais inquilinos fo Kremlin.
    Já se consome alucinogénicos em Kiev… Isto é um nível de alucinação que nem eu acreditava ser possível, mesmo sabendo que estamos a falar dos lunáticos que recusaram acordos de paz de Minsk.

    Quem fala assim, quer o quê? Paz não é de certeza. Isso está mais que provado. Os nacos de carne todos no triturador, e estes cabrões a gozarem as contas de milhões em offshore, com os agradecimentos da Lockeed Martin, Victoria Nuland, e companhia. Isso é que é a tal de “democracia liberal”. É isso e é a cantiga qie já enjoa: *Offshore para mim, pobreza para ti. Eu faço as regras, tu obedeces. Eu como vichiçoise em Versailles, tu entregas comida numa biciclete durante um nevão. A bala do Putin mata, a minha bala espalha arco-íris e unicórnios. O PCP é muito mau, os Banderistas são muito bons. O Assange é criminoso, a CNN só diz verdades. Lei laboral da troika é linda, querer trabalhar 35h/semana é Estalinismo.*

    Agora venha de lá a acusação de “putinista”. Eu, pelo menos e ao contrário de quem aponta o dedo com essa cartilha do Pentágono disseminada pela “imprensa livre”, nunca poderei ser acusado de apoiar NeoNazis. É essa a diferença entre nós, os que estão do lado certo da história (ou pelo menos compreendem o seu contexto e portanto criticam a guerra sem apoiar Kiev), e os que apoiam o Vladolf Zitler ucraniano e suas cheerleaders Banderistas recrutadas para as SS de Azov…

    Que o regime Capital-Fascista Xenófobo do Ocidente caia o quanto antes, pois tanta podridão faz mal ao planeta. Até lá, comprem muito gás aos EUA em nome da “paz”, muito petróleo à Arábia Saudita em nome da “democracia”, e muitos softwares Pegasus a Israel em nome da “liberdade”. E prendam os Assanges todos em nome da “verdade”.

    Se o Inferno existir, então está à vossa espera. E até o diabo deve estar aflito com a futura concorrência que por lá terá… Vai ser uma diversão: de manhã acordam sob a explosão de uma MOAB made in USA e sentem todos os pedaços do vosso corpo a desprenderem-se sem nunca perderem os sentidos; durante a manhã experimentam o trabalho numa sweatshop de uma multinacional em que têm de usar produtos tóxicos que vos matam; ao almoço comem nada tal como agora no Afeganistão; à tarde ardem sob fósforo branco made in NATO como as crianças no Iémen e desenvolvem deformações congénitas em minutos; ao jantar comem petróleo sudita à moda do waterbording de Guantánamo; e de noite, em vez de dormir, têm de ficar a ver repetidamente toda a documentação sobre os horrores NeoNazi deste regime ucraniano e sobre os crimes de guerra na NATO/EUA, um corpo de cada vez. E isto é só uma Segunda-feira da vossa eternidade. Não vos conto já os restantes dias, que é para não vos estragar a supresa que terão quando lá chegarem abaixo.

Leave a Reply to Carlos Marques Cancel reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.