Receitas para ignorar o conflito

(In Resistir, 19/03/2022)

Os adeptos do Estrela Vermelha exibindo várias faixas onde enumeraram vários conflitos armados da história mundial, apelando ao fim da guerra na Ucrânia e citando um verso da música “Give Peace a Chance” (Deem uma oportunidade à paz) de John Lennon. 17/03/2022

1) Imagine que russos e ucranianos tenham a pele negra ou morena;
2) Imagine que Rússia e Ucrânia sejam países da África ou do Médio Oriente;
3) Imagine que a Ucrânia seja a Palestina;
4) Imagine que a Rússia seja os EUA ou Israel.

Se os media corporativos que nos desinformam praticassem esta experiência mental, o conflito ficaria totalmente esquecido.

É o que agora acontece com as guerras em curso no Iémen, na Síria, na Palestina e em outros lados.


Porque é que a notícia desta imagem teve quase nenhum eco nas nossas televisões? Porque elas estão a trabalhar para nos preparar para a guerra que os líderes da Europa estão a aceitar empreender, quais marionetas, a mando dos EUA. Marcelo já fala que não é necessário retornar ao serviço militar obrigatório, o que significa, pelo menos que o assunto, já começou a ser analisado! Não acordem, os diletantes das bandeirinhas azuis e amarelas e quando derem por ela verão os vossos filhos transformados em carne para canhão da NATO e dos EUA.

O direito à defesa é mais que legítimo. Mas que eu saiba não houve qualquer ataque bélico a nenhum país da União Europeia que nos leve a entrar em guerra.

Estátua de Sal, 19/03/2022


Gosta da Estátua de Sal? Click aqui.

4 pensamentos sobre “Receitas para ignorar o conflito

  1. Obrigada a todos os que fazem o blog Estátua de Sal pelos artigos que aqui colocam, sempre procurando seguir a verdade, a deontologia profissional, o humanismo, o pluralismo, a democracia, a justiça, a honestidade. Enfim, valores cada vez mais ausentes da comunicação social e, mesmo, das sociedades contemporâneas, dominadas pelo pensamento único e a manipulação. Dou aqui o meu contributo, partilhando mais fontes onde a realidade é a realidade, ainda não é um simulacro desta: waronfakes.com ou para conhecerem a monstruosa realidade desta guerra: thesaker.is ou https://lesakerfrancophone.fr/ Se os vossos motores de busca não quiserem abrir estes sites sempre têm estes motores: https://yandex.com/

  2. Por favor, Estátua de Sal.
    Não confunda o leitor com o seu posicionamento dúbio sobre esta maldita guerra. Seja mais exacto e sério nas suas observações e mais “democrático” na selecção das intervenções, não podendo sonegar as que contrariam ou divergem da posição que a priori já tomou sobre esta guerra. E é muito grave que ignore um dado importante: a guerra imposta a um país do centro da Europa pode ser rastilho para a generalização do conflito. Veja que se trata do continente europeu, que já foi palco das duas mais devastadoras guerras da História. Quando diz que não foi declarado guerra a um país da UE, e por isso se tem de ficar quieto e mudo, está a incorrer numa tremenda ligeireza e espanta que tudo se passe num blogue como este. Seja da UE ou não, trata-se da Europa, e, portanto, com o juízo que formula está a convocar o leitor para um intolerável estado de amnésia ou alienação.

  3. Esta manifestação “espontânea” dos adeptos do Estrela vermelha é de facto comovente, os cartazes todos com a mesma letra bem desenhada, tudo muito certinho e organizado… Nem o Salazar fazia melhor nas “saudosas” manifestações do Terreiro do Paço, a aclamar o benfeitor da Pátria…
    As faixas apelam para o fim da guerra na Ucrânia? Não seria mais correto apelaram para o fim da invasão da Ucrânia e já agora condenando o invasor? Isso é que era bom! 15 anos de prisão para aqueles adeptos todos… não havia prisões para todos.
    Ai Estátua de Sal! Esta vossa ânsia de encontrar justificação para a invasão da Ucrânia (é má, “Mas”… “a NATO”… “A segurança da pobre e indefesa Rússia”…) leva a lamentáveis tomadas de posição.
    Pensem nisso!

Leave a Reply to Aguinaldo Faria Cancel reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.