Ventura, tens razão

(Por Valupi, in Blog Aspirina B, 16/01/2021)

«Se é fascismo querer que os corruptos não voltem ao poder, então somos fascistas.»

Fulano que Rui Rio, Manuela Ferreira Leite, Cavaco Silva e Passos Coelho aceitam como aliado do PSD

Gosta da Estátua de Sal? Click aqui.

Ventura já desfilou de braço no ar, já prometeu prender quem defenda o 25 de Abril e acaba de fazer da luta contra a corrupção uma bandeira do fascismo. «Though this be madness, yet there is method in’t» pois ele apenas leva às últimas consequências o que a direita partidária e presidencial começou a fazer desde 2004, e de forma estratégica e sistemática desde 2009: judicializar a política e politizar a Justiça – usar todos os instrumentos subterrâneos e criminosos para tentar causar danos no PS e obter ganhos eleitorais. A lógica desse caminho, ao violentar o Estado de direito democrático, é evidentemente a de explorar uma nostalgia e um aparato ditatoriais atraentes para uma juliana de indivíduos politicamente alienados.

Nunca saberemos como é que a esquerda iria reagir numa posição simétrica, estando na oposição com impérios de comunicação ao seu dispor, com uma ubíqua indústria da calúnia como arma de arremesso, e com um alvo icónico da direita na linha de fogo por ter cometido inegáveis erros morais e cívicos na sua esfera pessoal (no mínimo dos mínimos). Provavelmente, o discurso contra a corrupção continuaria presente no espaço público, teria era outro sentido e outros protagonistas, pois a política é animalesca nessa fúria de querer destruir os adversários recorrendo às figuras da culpa e da condenação. Porém, olhando para a forma como o PCP e o BE nunca quiseram ao longo da sua história fazer da corrupção um terreno de combate, é também provável que o PS jamais caísse na decadência de trocar o respeito pela Constituição – portanto, pelos valores liberais e da social-democracia tomada em espectro largo – pelo emporcalhamento e atrofio das responsabilidades institucionais e de representação soberana. A Ciência Política tem vasta literatura sobre as diferenças antropológicas e cognitivas na origem dessa diferença de atitude na concepção da moral entre a esquerda e a direita.

Quem usa a corrupção na procura de ganhos políticos nunca a trata com factos, dados, fontes de informação, estudos, objectividade. Pelo contrário, vão buscar as técnicas do sensacionalismo, do boato, da caricatura, da distorção, do apelo ao medo, da exploração da crendice ignara. Modo Octávio Machado, todos sabem do que eles estão a falar, e eles falam de Sócrates, falam do PS, falam do Diabo. Quem ouve, quem lê, também não pretende qualquer objectividade; pretende é foguetório calunioso, circo, autos-de-fé, linchamentos. Se o preço a pagar por esse espectáculo for o aplauso a quem se assuma como inimigo da democracia, dos direitos humanos e da liberdade – ou simplesmente a quem faça campanhas pela prisão de políticos por razões políticas ou com provas indirectas e penas exemplares – há um vasto público disponível para essa compra de impulso. As falhas cognitivas que alimentam as alucinações conspirativas e o ódio irracional são a ideologia neuronal desta turbamulta.

Ventura tem um modo de “fazer política” que foi aprendido no PSD de Passos Coelho, esse mítico líder que conseguiu afundar Portugal para ir com o seu sócio Relvas fazer negócios da China durante uma legislatura. Ventura tem também um acordo com a elite cavaquista e passista que lhe dará o que procura se a direita obtiver maioria no Parlamento. Todos os votos que recolher, nas presidenciais e nas legislativas, serão votos neste projecto. Um projecto que consiste em destruir a Constituição de Abril e em boicotar a racionalidade civilizacional.

Sim, pá, isso é uma boa beca parecido com o fascismo.


5 pensamentos sobre “Ventura, tens razão

  1. Com atitudes como esta do Delfim Medina na CML, que esperar?

    Na linha da capa da edição 872-Atentado ao Estado de Direito, na Sábado,
    segue em moldes talvez menos pesados,
    o que está a passar-se em obra da CML PS, ou CML PS-JF PSD (Belém),
    com a aberração do Posto de Limpeza do Restelo.

    A) Mais de 400 nomes em Petição Pública a obrigar discussão pública
    em reunião da AML, Mr Medina acelera, antes da discussão da mesma-Petição 21/20,
    adiantando a ocupação do terreno desta ópera bufa com a chegada da empresa construtora em delimitação do terreno-dias 18 e hoje 19.

    B) Depois de o presidente da JF de Belém, Fernando Ribeiro Rosa, dizer ter proposto duas zonas em terrenos baldios-ignorado por suas sumidades na CML?
    Depois de eu ter enviado cartas aos presidentes CML, JF e ao Vereador da área, Mr Carlos Castro, a este com oferta de carro e viagem comigo pela geografia local, cujas cartas e e.mail se dispensam, bem educada e democraticamente, de acusar recepção sequer!

    C) Não que tal equipamento social não deva ser implementado.
    O que há é possibilidades alternativas melhores e até de menores custos-talvez nos PS-PSD ou outro, seja do interesse de construtora afim a um dos seus membros-mais caro, mais anti-urbano, melhor para alguém do ‘sistema’!

    D) Resta-nos esta opção-denúncia na Imprensa, um dia destes uma manifestação de residentes no local, e esperar pelas eleições autárquicas deste ano.
    Na carta e e.mail ao Sr Vereador, sem ter dourado a missiva com qq título profissional (militar) ou académico (sociologia)

    José F Barroca Monteiro

    Antigo quase permanente eleitor PS, desde o ano 1974/75 ainda em Lourenço Marques/Moçambique,
    em perda de fé (política) há tempos.

    Sorry pela intromissão no campo da Estátua, mas de alerta para as eleições em 2021.
    Who cares?

  2. Nota. Outra bacorada deste gajinho, schiiii…, continua assim que vais mesmo no bom caminho. Viva o António Costa, viva o c. do José Sócrates m., e nada de Covid-19, um aborrecimento. Só falta fazeres um live, também, qu’a tesouraria mafiosa do PS saberá compensar-te.

  3. “As falhas cognitivas que alimentam as alucinações conspirativas e o ódio irracional são a ideologia neuronal desta turbamulta.”

    Esta frase descreve com exatidão a esquerda quando fabrica teorias da conspiração como aquela do povo português ser “privilegiado nazi” e perseguir pretos e ciganos em massa.

  4. “o aplauso a quem se assuma como inimigo da democracia, dos direitos humanos e da liberdade ”

    O Ventura nunca se assumiu como tal. Por exemplo, não aplaude o Hitler ou o Salazar.

    Quem se assume como tal e aplaude ditaduras desse tipo é o PCP e o Bloco, que assumidamente aplaudem o Lenine que tal como Pinochet, derrubou uma democracia pela violência das armas.

    E é curioso as constantes acusações fake de o Ventura defender a pena de morte (mentira) ao mesmo tempo que aplaudem ditadores que EFECTIVAMENTE aplicaram e aplicam a pena de morte em larga escala, como Lenine, Mao, Che Guevara, Castro e os actuais partidos comunistas da China e Coreia do Norte.

Leave a Reply to Pedro Cancel reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.