MARCELLUS VOBISCUM!

(José Gabriel, 18/12/2018)

marcelo_santo

Um dia um anjo do Senhor – que digo eu, um arcanjo! – aparecendo a Marcelo, ordenou-lhe:

— Marcelo, filho de Baltazar, serás presidente de todos os portugueses, que é essa a vontade do Altíssimo!

Marcelo ficou perplexo, já que, sendo jurista, pensava serem indispensáveis os votos dos eleitores, mais que a vontade divina, para atingir tal desiderato. Porém, sendo crente, não se lhe pôs dúvida nem hesitação sobre o caminho a seguir. Pelo que, engolindo em seco, gaguejou humilde:

— Assim seja.

O anjo lá foi à sua vida – seja o que for que tal signifique, que o modesto escriba nada sabe sobre costumes angelicais -, resmungando para com as suas penas qualquer coisa pouco abonatória para O encomendante de tais tarefas.

E foi assim que Marcelo, o inocente, passo a passo, abriu o caminho à sua inevitável ascensão, caminho que não deixou de incluir um baptismal mergulho nas águas do rio onde nadam as Tágides.

E é vê-lo, hoje, lançando as suas bênçãos, apelos, conselhos, prédicas, reparos, paternais censuras e, até, uma ou outra ameaça de sobrolho erguido, perante os olhos maravilhados dos seus seguidores os quais – por observarem que tudo vem de alguém que nunca pôs as mãos na política real, nunca se embrenhou nas redes de intriga social, nunca foi presidente do PSD, nunca foi governante, nunca foi candidato a nada, nunca votou a favor e contra nada, nem contra a lei do Serviço Nacional de Saúde, abrenúncio!, numa palavra, nunca fez política nem defendeu interesses e causas que não as que, agora, lhe são sopradas do alto, sendo inocente do pecado original – o procuram e o seguem, nem que seja para com ele registar digital imagem que a posteridade agradecerá. Marcelo, o puro. Marcelo o único impoluto. Marcelo, o escolhido.

Por isso, oh meus irmãos descuidados, quando ouvirdes a palavra de Marcelo, sabei que, pela língua que se agita entre os seus dentes, passa a verdade, sempre a verdade. Para nós ficam as dúvidas, as angústias, as inseguranças, o mal viver. Nós, os muitos cuja única dádiva divina foi a ventura de viver no tempo de Marcelo, o imaculado.

Erguei, pois, as mãos aos céus – mas não agora que está frio, chuva e um vento do caraças – e, prostrados, agradecei. Marcellus vobiscum!

Advertisements

4 pensamentos sobre “MARCELLUS VOBISCUM!

  1. Caiu a máscara ao Apóstolo Marcelo….diz que o Estado falhou no caso das comunicações sobre a queda do heli….Mas quem é o estado….!!!??? Apertam o cerco a Antonio Costa….por causa do horizonte 2023….!!!!

  2. Será que ainda alguém tem dúvidas que Marcelo Sousa é igual ao aborígene do Poço de Boliqueime, só que na vertente culta, inteligente e pragmática sem o rancor montanheiro que tolhia o seu antecessor?

Responder a Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.