FEIOS, PORCOS E MAUS

Fonte: FEIOS, PORCOS E MAUS – JOSÉ MIGUEL SILVA

porcos_maus

Compram aos catorze a primeira gravata com as cores do partido que melhor os ilude. Aos quinze fazem por dar nas vistas no congresso da jota, seguem a caravana das bases, aclamam ou apupam pelo cenho das chefias, experimentam o bailinho das federações de estudantes. Sempre voluntariosos, a postos sempre, para as tarefas de limpeza após combate. São os chamados anos de formação. Aí aprendem a compor o gesto, a interpretar humores, a mentir honestamente, aí aprendem a leveza das palavras, a escolher o vinho, a espumar de sorriso nos dentes, o sim e o não mais oportunos. Aos vinte já conhecem pelo faro o carisma de uns, a menos valia de outros, enquanto prosseguem vagos estudos de Direito ou de Economia. Começam, depois disso, a fazer valer o cartão de sócio: estão à vista os primeiros cargos, há trabalho de sapa pela frente, é preciso minar, desminar, intrigar, reunir. Só os piores conseguem ultrapassar esta fase.

Há então quem vá pelos municípios, quem prefira os organismos públicos — tudo depende do golpe de vista ou dos patrocínios que se tem ou não. Aos trinta e dois é bem o momento de começar a integrar as listas, de preferência em lugar elegível, pondo sempre a baixeza em cima de tudo.

A partir do Parlamento, tudo pode acontecer: director de empresa municipal, coordenador de, assessor de ministro, ministro, comissário ou director-executivo, embaixador na Provença, presidente da Caixa, da PT, da PQP e, mais à frente (jubileu e corolário de solvente carreira), o golden-share de uma cadeira ao pôr-do-sol. No final, para os mais obstinados, pode haver nome de rua (com ou sem estátua) e flores de panegírico, bombardas, fanfarras de formol.

Anúncios

8 pensamentos sobre “FEIOS, PORCOS E MAUS

  1. ”Só os piores conseguem ultrapassar esta fase.

    Há então quem vá pelos municípios, quem prefira os organismos públicos — tudo depende do golpe de vista ou dos patrocínios que se tem ou não. Aos trinta e dois é bem o momento de começar a integrar as listas, de preferência em lugar elegível, pondo sempre a baixeza em cima de tudo.”

    Gostar

  2. Excelente ilustração das jotinhas portuguesas. A carapuça assenta na perfeição nas de direita. A JSD e a Juventude Popular são exímias em destilar o pior que a juventude portuguesa tem para oferecer. Grave mesmo foi o PSD e o amigo Coelho terem forçado as melhores mentes portuguesas a emigrar enquanto a jotinha acumulava o que não interessa para a sociedade… O verdadeiro Darwinismo social invertido.
    As juventudes partidárias não têm de ser assim. Quem sabe até há algumas que não o são. Mas o que transparece é mesmo isso: uma colecção de mentecaptos, desprovidos de medula espinal, a salivar na fila para o próximo tacho. As coisas correm mal quando a facilidade de ingresso e progresso dentro da jota é proporcional à destreza com que se lambem traseiros e sapatos. A partir daí só progridem quem conseguem mostrar uma amoralidade e inexistência de princípios muito acima da média – vide Coelho, Relvas e Marques, três dos piores exemplos do que a JSD é capaz de regurgitar. Não se trata de formar políticos de qualidade mas sim garantir que será fácil manipulá-los quando estes se apanhem com uma réstia de poder.
    O CDS então nem disfarça. “Universidade” de Verão? Qual quê! Escola de Quadros. Vão logo à jugular. Ali não se discute política – é um campo de treino para a recepção de futuros tachos.

    Liked by 1 person

  3. Não gosto mesmo nada desta saraivada de insultos dirigidos contra todos porque dirigidos contra ninguém, em tom de chacota, claro, porque nunca se sabe se será necessário recorrer à desculpa do sarcasmo. Querem melhores políticos? Mudem o sistema eleitoral, mas não esperem milagres, porque os políticos normalmente são melhores que os eleitores que os elegem e invejam, embora digam detestá-los. Alarve por alarve, é sempre preferível um com um curso superior, mesmo na Universidade do Relvas…

    Gostar

  4. O pior e mais terrível para o país é que a fina flor deste tipo de gente não se prepara em pensamento para ajudar a Cidade mas em esperteza para assaltar a Cidade.
    E quando surge alguém que pelo estudo aturado, pelas qualidades de inteligência ou pelo carisma, intuição e visão política se revela um infinito acima das suas habilidosas mediocridades logo eles se juntam como matilha avançada da maldade prontos a destruir o bem que tal vulgo qualificado representa.
    O cavaquismo foi a escola que nos legou tais estudos e alunos para desgraça de Portugal.

    Gostar

  5. Do melhor que vi até hoje na blogosfera, bem elucidativo da forma em que se encontra o nosso país, carenciado que está de humanismo e patriotismo.Numa revanche de uma direita já muita próxima de um neo-fascismo.

    Gostar

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bem vindo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s