22 pensamentos sobre “A guerra é rendosa para Zelensky

  1. A narrativa de Davos segundo a Sra não eleita Von der Leyen diz que “a Ucrânia tem de ganhar a guerra”, entretanto já perderam Mariupol e antes do final desta semana a região Dombass estará sob controlo russo, apesar de as ovelhas americanas só estarem a tranquilizar o governo e o povo ucraniano acerca da vitória !!
    Eles pensam que estes pelos discursos ganharão …
    A luta é no terreno e não no forum de Davos que eu tenho e acompanho com muito afinco,para perceber quais são os objectivos deles e mundiais.

    Fórum Económico Mundial em Davos: “A Ucrânia deve ganhar esta guerra” . Para ganhar a guerra na Ucrânia, Ursula Von Der Leyen deve ser enviada para a linha da frente na Ucrânia! Caso contrário, a guerra já está perdida!

    Von Der Leyen, sim sim e a marmota, ela põe o chocolate no papel de alumínio, vamos todos para o mundo de Nárnia

    Os seus peões são colocados no tabuleiro de xadrez mundial! Eles estão a avançar …
    A 4ª reich está em marcha …

    A mim entristece-me que em alguma guerra alguém tenha que ganhar,não ganham nada,apenas perdem.

    Ninguém vai ganhar nada; todos os países do mundo já estão a sofrer as consequências negativas: inflação, escassez de alimentos, ameaça crescente de fome, ausência de gás, etc.
    Parem de falar sobre quem deve ganhar esta guerra, levem os políticos de volta ao diálogo para a resolução de conflitos. Não há necessidade de fornecer armas , e continuar a incitar ao ódio contra um país.

    Por que razão a Ucrânia deve ganhar esta guerra, o que está em jogo, o que tem a ganhar ou a perder? O que é que nos estão a esconder? Digam-nos a verdade.

    As necessidades da Ucrânia em tempo de guerra são de 5.000.000.000 euros por mês de ajuda (ou 60.000.000.000 euros/ano)

    Podemos fazê-lo :PIB UE 2019 16000 000 000 000 000

    (60 000 000 000 / 16 000 000 000 000 000) x 100 = 0,43% do PIB da UE

    NA VIDA REAL NÃO É ENORME, a UE é um bando de patinadores baratos

    Quer-se sempre que os oprimidos triunfem sobre o opressor, claro que também há interesses políticos e económicos que farão da Ucrânia um parceiro importante da Europa em caso de vitória.

    No entanto, uma boa parte de nós em Portugal culpa a Europa colonialista por todas as acções empreendidas ao longo dos séculos e pela pilhagem dos recursos de África. Não vejo como é que isto muda a situação na Ucrânia, pelo contrário, tem todas as razões no mundo para ter empatia para com eles, tendo em conta o que estão a viver do imperialismo de Putin.

    Também devemos deixar de usar a guerra na Ucrânia como desculpa para a fome – é a globalização que constitui o maior problema – cada país deve absolutamente cuidar da sua autonomia alimentar como uma prioridade.

    Que vergonha para o jornalismo. Vamos directamente para um conflito mundial com a utilização de armas nucleares porque, os jornalistas, não são capazes de fazer o seu trabalho.
    Pior, está a empurrar para este ideal com a OMS, financiada por Bill Gates, para um globalismo que cortou as camas dos hospitais em Portugal. Por razões económicas e ideológicas, sacrifica-se o povo.
    Voltem ao jornalismo e eduque as pessoas sobre questões de conflito de interesses reais .

    Fórum Económico de Davos: Zelensky apela a sanções “máximas” contra a Rússia

    A Ucrânia não é o centro do mundo, mesmo que os urcranianos como todos os habitantes de um país em guerra (há alguns em todo o mundo) mereçam a nossa compaixão. O espectáculo individual de Zelenskyne já não é popular..

    Tenho a certeza de que zelensky dará uma palestra no próximo Campeonato do Mundo no Qatar, em Novembro .

    Na geopolitica de guerra a Rússia tenta limitar a natureza da operação especial, mantendo uma atitude humana em relação à população civil e ao inimigo. Qual é a avaliação das acções das forças armadas russas neste sentido? Penso que esta é a única forma de conduzir operações militares. Claro que é melhor tentar evitar tanto quanto possível a acção militar, mas se for absolutamente necessário, simplesmente não há outra forma, se os civis forem poupados. Acredito que a Rússia irá propor um tratado de paz assim que a operação Donbass terminar para evitar mais derramamento de sangue, mas dada a falta de verdadeira soberania em Kiev, receio que se recuse a negociar. Isto obrigará a Rússia a prosseguir a operação, o que poderá prolongar o conflito por meses. Penso que a Rússia levará o seu tempo, pois tentar reduzir as baixas civis atrasa inevitavelmente as operações militares. Uma das principais formas que os meios de comunicação social ocidentais provocam é utilizar regularmente informações pouco fiáveis e por vezes desonestas sobre os principais líderes russos. Será que um conjunto de acções deste tipo parece justificado para desacreditar os líderes russos aos olhos da comunidade internacional? Bem, o que dizem no Ocidente: “Tudo é justo no amor e na guerra”.e a informação, ou melhor, a desinformação é um dos aspectos mais importantes da guerra moderna. No entanto, isto deve ser correspondido por um verdadeiro sucesso no terreno. O problema é que não há sucesso para o Ocidente na Ucrânia. Claro, zelensky está a dançar como um louco nesses saltos, mas a situação geral parece bastante sombria para as forças ucranianas e letal.

    É preciso deixar de fazer crer que Davos é algo normal, benevolente, legítimo nas suas decisões. É apenas PRIVADO a defender os interesses transatlânticos. Davos é sobre as multinacionais, oligarcas que só pensam nos seus lucros e na sua influência no mundo …incluindo progressivamente os políticos e os meios de comunicação social para “Governar”, para serem cada vez mais influentes para os seus próprios interesses. Davos é, acima de tudo, uma associação de lobbys, de corrupção e de compadrio, e nos últimos 30 anos, os alter-mundialistas têm vindo a combatê-los, em vão, por serem tão poderosos e indestrutíveis. Meios de comunicação, pára de falar destes monstros, está a dar-lhes importância. É por sua causa que eles crescem e fazem com que pareçam “inevitáveis”.

    • Excelente!

      A desinformação como técnica de manipulação populacional e a mentira como forma de perpetuar narrativas convenientes aos poderes instituídos já tem barbas no mundo ocidental…

      Depois de Jerusalém ser reconquistada por Saladino em 1184, o mundo ocidental, e principalmente a Igreja – que era a principal detentora de influência junto das populações e dos Governantes dos Reinos Europeus – distribuiu um conjunto de imagens com o intuito de enfurecer as populações e de garantirem o seu apoio para iniciarem uma nova campanha militar, a Quinta Cruzada, que tinha em vista reconquistar o reino de Jerusalém.

      Para esse fim, foram distribuídos desenhos feitos à mão pela Europa, retratando uma cena absolutamente única: Maomé, de pé, empunhava um pau e espancava Jesus que jazia ensanguentado no chão! Imagine-se!
      O poder da propaganda…

      Outra história curiosa refere-se à conquista de Antioquia durante a Primeira Cruzada.

      Na conquista desta cidade, há um momento no qual os cruzados ficam encurralados dentro dela pelo seguinte: o cerco dos cruzados foi longo e exauriu as suas tropas, sendo que lhes restaram pouquíssimos mantimentos e, em dada altura, chegaram a recorrer a canibalismo e ao consumo de cavalos e folhas secas.
      Ora, antes de terem ficado completamente gastos, conseguiram penetrar na cidade e chacinar as populações muçulmanas que lá residiam.

      Após a conquista, entrincheiraram-se dentro da cidade, uma vez que um exército muçulmano vindo de Mossul (assim como dois outros vindos de Alepo e Damasco) tinha montado um cerco aos cruzados abrigados pelas muralhas da cidade anteriormente sitiada por eles. A partir daqui, os cruzados sofreram grandes dificuldades.

      Todavia, um monge cristão, apercebendo-se da eminente morte que os aguardava a todos, teve uma ideia genial: disse que tinha tido uma visão na qual lhe tinha sido dito que a Lança que tinha ferido Cristo se encontrava enterrada ao lado de uma Igreja existente na cidade. Ordenou que os soldados fizessem jejum durante aquele dia e que, ao amanhecer do dia seguinte, escavassem no ponto indicado e que, ao encontrarem a lança, tal seria indicativo da vontade de Deus e que a Providência estava do seu lado.

      O principal comandante da expedição, Ademar de Monteill, suspeitou desta história toda.
      Simplesmente porque, ao entrarem no que é hoje a Turquia, tiveram de passar por Istanbul (na altura, Constantinopla, capital do ainda Império Bizantino – Romano do Oriente). Ora, ao estar em Constantinopla, Ademar Viu a verdadeira Lança (ou aquela que se presumia ser a Lança e que era a relíquia guardada pelo Imperador com o assentimento da Igreja). Apesar disto, não disse nada.

      Os cruzados jejuaram, dormiram e, durante a noite, o monge escavou junto à Igreja e colocou num buraco uma lança partida que retirou do campo de batalha.

      Mesmo estando completamente exaustos, depauperados e em risco de inanição, um grupo de 700 cruzados chacinou um exército inteiro (em parte porque os muçulmanos não se organizaram devidamente durante a batalha e por haver discórdias no seu meio) que se encontrava, apesar de tudo, nas melhores das condições.
      Ao mesmo tempo, os cruzados relataram que, durante a batalha, viram um exército de Santos a lutar ao seu lado.

      É o poder da sugestão e da propaganda…

      Há-os quem reclama a vitória Certa e Santa…

      Dantes eram os Santos, agora são os “democratas liberais” e a “Liberdade”!

    • «Para ganhar a guerra na Ucrânia, Ursula Von Der Leyen deve ser enviada para a linha da frente»

      Isto é a lição da história que o povo, todos os povos do Mundo, ainda não aprendeu: quem vai para a linha da frente é carne para canhão. As outras vítimas são os civis de classe média e baixa, que são bombardeados ou sofrem com a crise económica. No final, ficam as linhas nos livros de história, as campas quase anónimas dos pobres, e as estátuas dos ricos e poderosos que decidiram fazer a guerra em nome dos seus interesses e das suas propriedades e fortunas…

      No dia em que o povo for verdadeiramente pró-paz (nada que se confunda com os atrasados mentais que por aí andavam há 3 meses com cartazes pró-NATO a pedir a zona de exclusão aérea (aka início da 3ª Guerra Mundial) e completamente de cérebro lavada pela propaganda ocidental e sem conhecimento do contexto), nesse dia em que todas as pessoas de todos os povos decidam recusar a guerra e exigir a paz, quando todos os pobres e classe média recusarem ser carne para canhão, nesse dia não restará mais nenhuma alternativa a não ser as Ursas von der Leyens irem para a linha da frente lutarem umas com as outras, ou saírem dos seus cargos de “elite” autoritária e sociopata, e darem lugar a verdadeiras Democracias, e a uma paz plena.

      Até lá, enquanto o povo for burro, ignorante, facilmente manipulável, os canais de propaganda (aka “imprensa livre” no Ocidente, ou “imprensa ligada ao regime X” caso não seja do Ocidente) continuarão com sucesso a virar umas carnes para canhão contra as outras, naquilo que se chama de consentimento fabricado.
      Foi assim que o povo Ucraniano foi virado contra o seu governo eleito e contra o seu povo irmão. Foi assim que o povo Ocidental foi virado contra o seu vizinho russo. Foi assim que os russos foram convencidos a apoiar massivamente a atual guerra. E foi assim que os EUA, desde o assassinato do último pacifista (JFK), sempre foram governados, guerra após guerra.

      No dia em que houver ZERO soldados, em vez de uma “Cimeira das Lajes”, teremos antes uma arena de touros com transmissão televisiva mundial, com o cornudo POTUS da ganadaria de Washington de um lado, e o toureiro do momento do outro lado (ora dos forcados do Iraque, ora da Rússia, ora da China, etc). Em 5 minutos fica o assunto resolvido. Ou não morre ninguém, ou morre só um. E se vassalos como a Ursa von der Leyen insistirem muito, podem sempre entrar depois na arena para com as suas quatro patas e o rabo a abanar, conduzir o touro cobridor de volta ao curral…

      Assunto resolvido. E os restantes 99,999% da humanidade vivem em paz. Que tal?

  2. Volodymir Zelensky vai ficar nos anais da arte circense. É o único cómico mundial que nos desespera, nos divide, nos ilude, nos dá um grande festival, com a sua troupe de heróis nazis tatuados e banderistas empandeirados, apanhados como ratazanas em catacumbas ou se protegendo atrás de crianças, mulheres, velhos e doentes.
    Os EUA abrem-se todos, e todos os dias, para o servir. As elites europeias procuram a posição mais agradável para lhe dar mais prazer. Não há palácio nem pardieiro sem lencinhos de papel para enxugar as lágrimas com a canção de gesta do Volodymir. Quando ele contou ao sr. Costa de Portugal que o país estava “do lado certo da História”, o Sr. Costa, pumba, toma lá, Volodymir, 250 milhões, compra foguetes para os russos espatifarem, os soldados ucranianos que tenham cuidado ao apanhar as canas.
    Os pais do Volodymir em Israel com uma casa de 950 m², os seguranças com 120 m²… quanto ao resto, se algum dia algum dos seus fanáticos precisar de um psiquiatra, conheço um amigo meu que já tratou vários casos….
    O Volodymir sabe, parvo nunca foi, que não é a sua guerra. Ele só está ali a ajudar as indústrias de guerra americanas, vai ajudando os seus compatriotas a morrer como heróis inúteis, e tirando o seu quinhão, sempre o seu quinhão. Jean-Luc Godard sobre Zelensky no festival de Cannes deste ano: “Un mauvais acteur, un comédien professionnel…” Que mais querem?

  3. Para uma casa de 950m2, no valor de $8 milhões, com piscina faraónica, têm uma mesa de refeições muito modesta. Parece ser de pinho, e quanto às dimensões, nem vale a pena falar. Já não há espaço para mais pratos…Comovente!

  4. Enquanto isso, a Ministra da Energia Ucraniana, Lana Zerkal, disse que “alguma coisa pode acontecer” ao oleoduto (conhecido como Druzhba – “Amizade”) que corre pela Ucrânia e que abastece a Hungria de óleo russo, porque este país impediu a sexta ronda de negociações para tentar a implementação das sanções da União Europeia à Rússia!

    Orban diz que a indústria húngara está dependente do óleo russo (65% das suas importações vêm desse oleoduto) e, em carta enviada para Charles Michel e à qual o Financial Times teve acesso, disse que as sanções ao óleo russo causariam grandes problemas à economia do seu país e que eram necessários “urgentes investimentos” da União Europeia.

    Lana Zerkal diz que “a Ucrânia tem uma maravilhosa forma de influência nas suas mãos – é o oleoduto Druzhba” e ainda que na sua opinião “seria muito apropriado que alguma coisa lhe acontecesse”.

    Mais tarde, escreveu no Facebook que isto era apenas “a sua humilde opinião”, o que causou “um escândalo diplomático”, porque os “factos são teimosos”…

    É assim mesmo. Tu impedes que a nossa Democracia funcione e atreves-te a invocar as necessidades do teu povo como elevando-se acima das nossas Sanções?? Toma lá que já vais ver o que é bom!

    Exerces o teu direito de exprimir a tua opinião e bloquear as nossas Sanções ilegítimas?? Acautela-te que nós só precisamos de girar uma manivela e carregar num botão para tu levares das boas!

    Manifestas-te contrariamente, como no teu legítimo direito democrático, contra a Nossa Suprema Deliberação Eterna e atreves-te a dizer que temos que “investir urgentemente” na tua indústria ??? Espera lá que já vais ver o investimento!!

    Vamos fazer-te uma proposta que desta vez não vais recusar, porque se o fizeres arruinas-te a ti e ao teu povo e se o fizeres também vais pelo mesmo caminho!
    Toma lá para aprenderes a obedecer-nos à primeira!!

    Os Americanos tiveram o Capone, mas nós temos um Oleoduto!!!

    Grandes democratas e defensores dos interesses europeus…

  5. Não sei se alguém percebeu mas uma piscina com nove toneladas de água é uma piscina com 9 metros cúbicos de água. Tenho de explicar o que são nove metros cúbicos de água? Pois, calculei que sim. É a água que leva uma piscina com três metros de comprimento por três metros de largura e um de profundidade. Esta rapaziada de esquerda bem pode rasgar as vestes mas continua a fazer-me soltar gargalhadas, nem a inventar são competentes. Haja paciência.

    • Tens razão nas contas. Cada tonelada de água é um metro cúbico, como daqueles depósitos com 1 metro de largura e altura que se colocam nos tractores e pickups para regar os terrenos. Basicamente seria uma piscina só do tamanho de 9 cubos/tanques da Websummit…

      Mas qual é mesmo o teu ponto?
      Ou o autor não escreveu a dimensão certa, ou escreveu de forma a dourar a descrição da tal casa, mas o cerne da questão mantém-se:
      – os ucranianos, os do Donbass, e os russos, a morrer, mas os oligarcas e o seu palhaço a enriquecer.
      Acordos de Minsk? Acordos de paz? Para quê, se cada morto dá tanto lucro?…

      O próprio Zelensky já disse que agora que há guerra (como se não tivesse havido nos 8 anos antes, mas adiante…) e que ele tem palco (ou zoom) por todo o lado, incluindo Parlamentos, fóruns de Davos, e outras casas de prostituição Ocidental, agora sim ele sente-se realizado e feliz.
      Ele disse mesmo isto!! É um lunático!!!

      Já que sabes fazer contas, lanço-te um desafio: de todas as dezenas de milhares de milhões que o Ocidente já enviou e vai continuar a enviar para o regime ucraniano, sabes quanto é que chegou mesmo aos Ucranianos no seu país, e já agora aos Ucranianos refugiados? Que percentagem foi para comissões, para a banca, para o complexo militar industrial, para offshore dos oligarcas (e do próprio Zelensky, família, e amigos), e para pequenos mafiosos locais? Gostava de ver essas contas…

      É que ainda esta semana vi um vídeo de pessoas na Ucrânia nos arredores de Kiev, zona de onde os Russos já saíram há 2 meses, a fazerem fila na rua à porta de edifícios governamentais, à espera de ajuda, de uma migalha, e… nada. Pelo contrário, já foram filmadas latas de comida (de ajuda humanitária) à venda em supermercados. E as tais empresas em offshore do Zelensky e companhia, já receberam mais uma tranche de secretos milhões, desta vez dos direitos de autor vendidos à Netflix…

      E para finalizar as contas, deixo mais um exercício: uma economia europeia menos a energia russa, dá quanta desgraça? E já agora, por cada litro de petróleo saudita, ou metro cúbico de gás americano, ou megabyte de software Pegasus Israelita, ou quilos em falta às esfomeadas crianças Afegãs, quantas toneladas de falta de vergonha é que se acrescentam à piscina onde a Europa está a morrer afogada?

      • Sr. Carlos Marques, os media ocidentais são tão isentos desde os tempos do Vietname, que nunca cometem erros – claro, para se manterem mentiras e narrativas hiper simplificadas à tona é necessário um enorme esforço intelectual.

        Dessa forma, essas instituições e os seus consumidores exigem essa mesma correção e elevação profissional da parte de todos os outros, ao ponto de, quando apresentados com criminosos de guerra, ficarem a presos ao pormenor da cor lapela do fato que usavam no momento em que ordenaram intervenções ilegítimas do outro lado do planeta, porque tudo tem de ser factual!!!!

        O que importa não é discutir a possibilidade de esta gente lucrar com a desgraça do seu próprio povo, não, não…

        O que importa é discutir o tamanho do raio de uma piscina!!!!!

    • Na verdade, o que é dito é que a piscina tem “nove toneladas de água do mar”.

      Isto não indica o tamanho da piscina, diz apenas que ela tem nove toneladas de água do mar.

      Sabemos lá se não está misturada com água de rio, água de sanita, geleia ou Vodka Martini numa piscina com capacidade para 50 metros cúbicos, 25 metros cúbicos ou seja lá qual for o tamanho da piscina.

      850 milhões de euros em offshores satisfazem muitas taras pessoais de indivíduos que vão buscar refúgio numa nação genocida, de forma a esconderem a fortuna acumulada às custas de subsídios destinados aos seus compatriotas que ficam a levar com mísseis nas suas casas e corpos e a ter o seu país fragmentado numa guerra começada por líderes irresponsáveis…

      Quando se tem dinheiro fazem-se estroinices e extravagâncias…

  6. “Nem a inventar são competentes”

    Muito bem observado, Sr. Aguenta!!

    Pois não!

    A mentira e deturpação de narrativas sempre foi uma prerrogativa da direita oligárquica capitalista, da qual o seu defensor, Zelesnky, faz parte!

    Mas o senhor, como súbdito fiel da sua cartilha dogmática, nem se apercebe que, ao dizer uma coisa dessas, até reforça aquele que tenta combater!

    Foi o que aconteceu quando os senhores que dominam o seu pensamento tentaram isolar uma economia inteira duma nação importantíssima, na esperança de a arruinar, acabando por dar um tiro no pé e arruinar-se a eles mesmos, porque diminuíram a importância da sua própria moeda!

    Portanto, o Sr. diz que a esquerda não sabe “inventar”, subentendo-se que essa não sabe mentir.

    Logo só está a admitir que os seus opositores são possuidores de uma grande qualidade – a defesa da Verdade!

    Obrigado!!!

    O facto de se mencionar que uma piscina tem 9 toneladas de água do mar não quer dizer absolutamente nada! (Para além do que já disse num comentário anterior…)

    Já considerou que os pais de Zelesnky podem não gostar de nadar e preferem, timidamente, cautelosos, mergulhar os seus pezinhos ebúrneos na água fria do seu módico tanquezinho arrefecidinho com energia elétrica roubada aos Sírios?

    Ou, inclusivamente (!), nem sequer saberem nadar, e preferirem ficar sentados num tanque de 1 metro de altura a contemplar a sua mansão!

    A mesma mansão que foi paga pelo dinheiro das ajudas destinadas aos seus compatriotas, de quem eles gostam tanto que o seu filho até chega, quase diariamente, a estabelecer novos acordos de envio de armamento, provenientes dos Estados Unidos e não só, para o seu país, de modo a prolongar indefinidamente um conflito que foi iniciado por interesses de facínoras que vivem do outro lado do Atlântico e que, se calhar, nem sequer sabem identificar a Europa num mapa!

    Isto é algo que, segundo uma deliberação do Trinual Internacional de Justica, e afirmado por Hans Georg Maassen, ex-diretor dos Serviços de Inteligência Alemães (Gabinete Federal de Proteção da Constituição da Alemanha), acerca também do papel do seu próprio país, pode ser entendido como um ato de agressão da parte de terceiros, e significa que quem fornece armamento entra automaticamente no conflito, e tal pode levar os russos a uma escalada da violência e afundar-nos num sarilho à escala global, uma vez que o armamento encomendado aos Americanos tem a possibilidade de atingir cidades russas devido ao seu alcance alargado.

    Este homem afirmou ainda que, pelo facto de a Alemanha ter 119 instalações militares americanas em seu território, o país é um “porta-aviões com, aproximadamente, 80 milhões de nativos a viverem a bordo” e que a sociedade Alemã não está preparada mentalmente para um conflito aberto com outro país, pois já não estão expostos às dificuldades da guerra há muito tempo!!

    Isto tudo enquanto se bronzeiam e gozam dos melhores luxos e confortos, oriundos do espólio de recursos Palestinianos e de outras terras no Médio Oriente!

    Já considerou que podem gostar de segurar um copo de vinho, ou uma outra qualquer bebida alcoólica, com uma sombrinha enquanto, estirando-se pachorrentos e flácidos sob o rejuvenescedor sol Palestiniano, e imersos num fresco e cristalino líquido, rodeados do cheiro a iodo e o sabor salgado reminiscentes do que perderam no Mar de Azov e no Mar Negro, recordam o saldo bancário do filho nas Caimão, ou noutro Paraíso Fiscal qualquer, que lhes providenciará uma reforma pacífica e idílica, enquanto, longinquamente, se ouvem as balas Israelitas que matam jornalistas ?

    Ou até os gritos da comoção gerada pelo reprimir duma Perigosíssima (!) Insurreição Terrorista, como a foi a cerimónia fúnebre da dita Jornalista, que até levou os zelosos e cumpridores oficiais militares israelitas, enlevados por uma onda patriótica de protegerem as suas autoridades e populações invasoras contra os perigos dum cadáver, a fazer-lhe uma inspeção não anunciada enquanto o féretro repousava nos ombros de pessoas enlutadas e rodeado de simpatizantes por todo o trabalho de Shireen Abu Akleh como jornalista defensora de direitos humanos.

    Veja lá que até pode ser uma piscina ornamental! Quem lho garante ?

    Admitamos, até o senhor tem coisas em sua casa nas quais deve ter gasto algum dinheiro – para estes senhores, uns milhares de euros numa piscina é coisa pouca, é comezinho! – e que, ao fim do dia, nem lhes pega e prefere ficar sentado no sofá a ver TV, enquanto algumas luminárias afirmam coisas sapientíssimas, como foi apontado por Miguel Sousa Tavares num seu artigo do mês passado, como: “Admitam lá, o que vocês querem é a vitória Russa”.

    Não me recordo do nome do elevadíssimo intelectual contemporâneo que proferiu tais aforismos.

    Então, Sr. Aguenta? Admita lá: o senhor tem é inveja! O senhor rói-se por dentro por não ter sido convidado pelo Zelensky para esta mansão! O senhor queria era estar em Belize – não se preocupe que eu sei que isto não fica em Israel, estava só a testá-lo! Portou-se bem! -, numa bela casa toda moderna, a bronzear-se, sentado num jacuzzi, com um belo charuto numa mão, um uísque na outra e uma Ucraniana no seu colo!

    Pois, pois!

    No Reino Unido, mais concretamente num serviço de acompanhantes chamado Escort Ireland, registou-se um incremento de 250% (noutros países chegou a atingir 600%) na procura por serviços destas senhoras loiras e de olhos azuis (com a intenção de viver “fantasias inspiradas na guerra”), vindas dum palco de guerra, indefesas, consequência de uma insensatez fomentada por líderes europeus e americanos, para lutar contra os tirânicos comunistas russos – que, pelos vistos, ressuscitaram! – e pelo senhor que quer mais armas de mais sítios diferentes, preferencialmente dos EUA (que são os maiores – viva os SEALS!!), só mesmo para ver se tem oportunidade de ir para a linha da frente, como o Mário Machado, antes do final do ano!!!

    O senhor quer é meter um olho em cima dos MLRS M270 e dos HIMARS M142 Americanos que vão para a Ucrânia! O senhor quer é ir à Dinamarca ver os mísseis Harpoons que vão reconquistar o Mar Negro!

    Nós devemos estar ansiosíssimos por ver o poderio nuclear de várias nações em funcionamento! Que outra razão haveria para tanta venda de armas? Como o ser humano contemporâneo vive apenas de emoções fortes, e já não nos chega aquilo que vemos na nossa televisão, queremos é ver a coisa ao vivo!

    Isso é que era!

    Olhe que um míssil intercontinental da Rúsia atinge Berlim em 4 minutos e Londres em mais alguns segundos, segundo um artigo que já aqui figurou na Estátua!

    Ponha-se a pau, que, apesar de estarmos aqui neste cantinho à beira-mar, abaixo dos Britânicos e Alemães, é só mais um tirinho e chega-se a Portugal!!

    Se eu fosse a si, ia para a rua procurar o primeiro-ministro pedir-lhe que acabe com a loucura duma vez por todas, que tire os soldados portugueses da Roménia, assim como os jipes da GNR da Polónia!!

    Ah, mas se calhar quer é denunciar-nos a todos nós, anonimamente, à boa maneira do Estado Novo, preocupado com a sua saúde e o tipo de impropérios que lhe serão dirigidos se viéssemos a saber que foi o Senhor que nos colocou na mira dos censores da União Europeia!

    “Ah, seu danado! Denunciaste-me por querer aceder a informação proibida pela Senhora Von Der Leyen, que vem hoje afirmar que só não há um embargo total ao petróleo russo porque, assim, o malvado do Putin virava-se para outras terras, ganhava mais dinheiro do que na União Europeia com a subida de preços e financiava ainda mais os seus cofres de guerra! Toma lá, Vladimir, para aprenderes!

    Vamos comprar o teu petróleo para te arruinar e impedir os teus financiamentos bélicos!

    (Ela disse mesmo “cofres de guerra” e apresentou estes argumentos, não brinco…)

    Não é porque estamos completamente dependentes de ti e em negação, enquanto dizemos meia dúzia de bacoradas para mostrar que temos algum poder e influência quando, na verdade, não temos nenhum e sabemo-lo! Mas, como somos teimosos, disfarçamos a coisa que é para não haver revoltas generalizadas e eu não perder os meus fatos de várias cores da Dior! Toma lá!

    Enquanto isso, vamos continuando a roubar os recursos de outras terras, a roubar os ativos e fortunas de russos e de instituições russas (alegadamente, ativos da Rosneft na Ucrânia, embora ainda não tenha sido confirmado) para financiar a nossa guerra, tal como o Governador do Banco de Inglaterra, Montagu Norman, fez na Segunda Guerra Mundial ao roubar as 27 toneladas de reservas de ouro da Checoslováquia para financiar os exércitos nazis do Hitler!!

    É pena é que nos tenha saído o tiro pela culatra e, enquanto pensávamos que tínhamos apanhado 300 mil milhões do Banco Central da Rússia, afinal apanhámos para aí uns 10 mil milhões! Ora bolas!

    Mas, apesar disto, os russos é que se comportam como nazis! Mesmo que 25 milhões deles tenham morrido na Segunda Guerra! Nós nunca diríamos uma coisa destas de judeus, mas os russos sempre foram duros, carrancudos, e andam sempre bêbedos de Vodka. Enfim, uns bárbaros!

    Nada a ver connocosco, que, enquanto morreram 4000 pessoas (os números da ONU oscilam entre 3000 e 4000) civis na Ucrânia em 3 meses de conflito – o que demonstra a contenção russa -, o Bombardeamento de Bagdade na Guerra do Iraque matou 400.000 pessoas, devido à impiedade dos Americanos e da coligação, que quiseram lá saber se estavam a bombardear soldados ou crianças e mulheres!

    Ah, que barbaridade impensável que – numa guerra que não foi de forma alguma iniciada pelos russos, antes foi a consquência de provocações constantes ao longo de 8 anos pelos Ucranianos e a NATO que, segundo a página do Departamento de Estado dos EUA, estes últimos forneceram, através de 14 Países Terceiros da NATO, antes e depois do começo da operação russa, 12.000 sistemas anti-blindados de todos os tipos e 1550 misseís anti-aéreos, assim como, desde 2014 (através de Vendas Comerciais Diretas), 88 milhões de dólares em Munições e Artilharia, além de 6,6 mil milhões de dólares em “Assistência de Segurança” – que inclui a venda de 1400 sistemas anti-aeronaves Stinger, 5500 mísseis anti-blindados Javelin, 14.000 diferentes tipos de sistemas anti-blindados, 90 Howitzers de 155mm, 184.000 rondas de artilharia de 155mm, 72 veículos táticos para transportar Howitzers de 155mm, 16 Helicóperos Mi-17, 200 Veículos Pessoais Blindados, 7000 armas ligeiras, 50.000.000 de rondas de munições, entre outras coisas – uma guerra tenha de resultar nalgumas mortes (algo que é inevitável em qualquer conflito) que, apesar de serem altamente trágicas, não justificavam que se tivesse transformado um país à beira de uma potência mundial, que tem legítimas preocupações relativas à sua própria segurança – quem disser que não, pense se gostava que eu me fosse plantar à porta de sua casa com uma arma na mão e de ar carrancudo – num paiol de armamento pronto a rebentar a qualquer momento.

    Nós é que somos civilizados porque somos os bons deste mundo e roubamos o que for preciso para financiar a nossa campanha tresloucada!

    E estes fascistas democráticos que defendem a liberdade de acesso à informação que só a eles lhes agrada, malditos sejam, denunciaram-me! Eu pensava e eles não gostaram disso, portanto fizeram aquilo que os cobardes faziam no tempo do Salazar! Raios me partam. É para eu aprender a lição de que não compensa pensar!”

    Será que já foi dito o suficiente sobre piscinas, ou ainda é preciso ir inspeccionar o tipo de azulejos que vão forrar o interior da dita cuja? Quer o fabricante dos ralos, já agora ?

    A piscina é usada para o que for.

    Não é o tamanho maior ou menor, ou o design que altera o facto de ela existir e de ser o resultado de práticas desonestas de um indivíduo que, há uns anos atrás, participou num concurso de talento ucraniano em que, juntamente com outro homem, pôs-se a tocar, de pé, com o seu órgão sexual, uma música ao piano para gáudio da plateia e júri que assistiam.

    E é este o líder que se assume como um Churchill do séc. XXI e que está prestes a conduzir os seus compatriotas e os Europeus a um destino irremediável.

    Olaf Scholz e Macron falaram ontem com Putin durante 80 minutos e pediram-lhe urgentemente um armistício.

    Putin respondeu que o envio de mais armas para a Ucrânia não abonava a favor dessa possibilidade e voltou a insistir no levantamento de sanções a produtos agrícolas e fertilizantes russos, sem que eles tenham dito fosse o que fosse.
    Estes líderes elogioram o facto de Putin permitir que a Cruz Vermelha se movimente pelas zonas do conflito e na Rússia sem qualquer tipo de restrição, de modo a cuidar dos vários feridos e prisioneiros ucranianos.

    Era bom que o sr. Aguenta e semelhantes ganhassem algum juízo, porque não falta muito para se irem provar as bonanças do Inverno Russo metido num buraco qualquer enquanto passam balas a silvar por cima da cabeça!

    Vá perguntar aos Alemâes o que é melhor! Ganhar juízo ou a segunda hipótese ?

    Ou, no caso do Alemão ser demasiado incompreensível, tente falar com o Napoleão e veja o que ele lhe diz acerca da tenacidade Russa!

    Uma coisa lhe digo: o Macron não é o Napoleão e, apesar da sua conversa altiva, de falar muito rápido e de encolher a testa quando está muito sério, já deve estar a precaver-se ávido e desenfreado com uma mansão de 14 quartos na América Latina, bem longe de todas estas coisas desagradáveis!!

    Se os Ucranianos quiseram os homens até aos 60 anos para “defender” o país, imagine o que não vão querer quando rebentar a coisa!!

    Eu rezava para que Putin não venha a perder a paciência com os disparates de Zelensky, a sempre sorridente Von der Leyen e o amnésico Biden!

    E se Putin se comprovar como o homem descontrolado que no Ocidente afirmam que é, ainda mais razão para não andar a provocá-lo com ameaças territoriais desnecessárias, não acha ??

    Precavenha-se!

    P.S. Putin vai falar com Erdogan na segunda-feira e este disse que ia falar tanto com a Rúsia como com a Ucrânia ao telefone e que encoraja ambas as partes a manterem os canais diplomáticos e de diálogo abertos.

    Será que vão falar duma “coisinha” que eu cá sei…?

    *hum* Mar Negro *hum* Oleoduto que esteve para ser feito em 2018, precisamente no Mar Negro (chamado SouthStream), mas que foi posto em causa pela União Europeia e as suas “regulações” *hum* Putin na altura disse “Se os Europeus não querem isto, então não querem” *hum* Síria *hum* enfim *hum*

    Cumprimentos!

    • Devo referir que, no meio da agitação do comentário, houve uma pequena falha no final do mesmo!

      O SouthStream era um Gasoduto (!) previsto para entrar em funcionamento em 2018! A sua construção iniciou-se em 2012, mas foi interrompida após a “anexação” da Crimeia em 2014!

      (Realmente, para a independência do Kosovo bastou uma decisão tomada pelo Parlamento para agradar à NATO, mas quando as populações da Crimeia se juntam para, em referendo, determinar se continuam na Ucrânia ou não, isso já não é “legitimamente democrático” de acordo com a visão mundial dos senhores que nos governam!

      Vá-se lá entender!)

  7. Boa tarde.

    Escrevo este comentário como forma de me desculpar perante a Estátua de Sal e a sua comunidade de bloggers pela forma como alguns dos últimos comentários feitos nesta página foram realizados.

    De facto, não tenho qualquer intenção de rebaixar ou humilhar seja quem for e de que maneira for.

    Infelizmente, ao abordarem-se questões tão… Estive um minuto a pensar numa palavra e não a encontrei.

    O que quero dizer é que há momentos em que ficamos exaltados, em que nos manifestamos com um excesso de ardor e que o facto de estarmos a falar para um ecrã sem corpo ou cara incita à expressão mais descontrolada de sentimentos de revolta que, embora possam ser justificados numa ou noutra situação, não devem ser a base de qualquer discussão racional.

    Para se compreender melhor o que quero dizer ofereço um exemplo de algo com o qual fui confrontado há umas semanas: em entrevista para alguém de que não me recordo, Elon Musk, quando questionado acerca da sua fortuna de 200 mil milhões de dólares, colocando-o no ranking de bilionários como o homem mais rico do planeta, aproveitou e desviou a conversa com a seguinte frase – “Hum, tenho a certeza de que Putin é mais rico do que isso”.

    Bem… A facilidade com que se diz uma coisa destas sem se apresentar qualquer prova do que se diz, de maneira a desviar a atenção do facto de se possuir uma fortuna verdadeiramente abismal e, ao mesmo tempo, não reconhecer que nos EUA, em 2014, 38% dos trabalhadores assalariados (60.2 milhões de americanos) ganhavam 20.000 dólares ou menos por ano (valor líquido), enquanto, em 2016, 14% dos Americanos viviam abaixo da linha de pobreza (tendo como referência os mencionados vinte mil dólares).

    Ao mesmo tempo, em 2020, segundo a página Statista, 22.53 milhões de famílias viviam com menos de 25.000 dólares por ano, 25.26 milhões de famílias viviam com 25 a 49.000 dólares por ano, 21.03 milhões vivam com 50 a 75.000 dólares por ano, e por aí acima até 10 milhões de família que viviam com mais de 200.000 dólares por ano.

    Tenha-se em conta uma reportagem de 2019 da CNBC em que se afirma que o salário médio nacional rondava os 87.000 dólares anuais já há algum tempo, apesar do aumento de preços no mercado imobiliário e das propinas universitárias e da inflação geral da economia americana desde o início da década…

    Agora compare-se este valor com os milhões de famílias que, em 2020, vivem com menos de 75.000 dólares por ano. Algo como 68 a 69 milhões de famílias (não indivíduos) vivem anualmente com menos do salário médio do país de 2019!

    Mas há outro fator a ter em consideração: acima dizia-se que 14% dos americanos viviam com menos de 20.000 dólares, o que correspondia a uma situação de pobreza.

    Pensemos então no seguinte: um salário médio de 87.000 dólares em 2019 já encontrava dificuldades em organizar a sua vida com a inflação da economia americana registada nos últimos anos, mas é de acreditar que rendimentos familiares até aos 75.000 dólares em 2020 não vivem numa situação de quase pobreza naquele país e que somente abaixo de 20.000 dólares é que se vive em situação de pobreza ?

    E com estas pérolas de sabedoria, Elon Musk desvia a atenção da sua exorbitante fortuna (que nunca existiria se não tivesse contas em off-shores e não se escapasse aos impostos), assim como do facto de querer criar uma cultura de trabalho que não tem respeito pelos salários nem pelos horários dos seus trabalhadores ao elogiar, baseado em alegações que, provavelmente, emanam de fábricas de empresas americanas (se calhar até das suas) que vão para países estrangeiros de maneira a contornarem regulamentação laboral (com a sua mão de obra baratíssima), fábricas chinesas nas quais os trabalhadores “só saem das fábricas às 3h da manhã”. Bela vida!

    Esta nem no séc. XIX!

    Tudo isto dito por um homem que, nas suas próprias palavras, numa entrevista para uma plateia qualquer daquelas conferências que se fazem para turificarmos estes mega bilionários e os seus egos, disse que a decisão mais difícil da sua vida foi saber o que fazer aos “últimos 50 milhões de dólares que tinha” e se havia de desistir da SpaceX ou da Tesla ou dividir o dinheiro entre as duas empresas…

    “Ai, minha vida! Só tenho 50 milhões! Que farei de mim e da minha família?”

    Pronto, já estou a resvalar outra vez, peço desculpa…

    Não nego que este senhor possa ser um belo empresário e que as suas ideias até possam ser úteis (embora convenha admitir que os carros elétricos não são mais ecológicos do que os combustíveis fósseis, e a ideia de colonizar Marte seja discutível), mas convinha-lhe ter uma noção das coisas que lhe saem daquela boca para fora, francamente…

    Não nego que não possa haver empresários regionais ou até alguns internacionais que tenham feito uma ou outra fortuna de forma legal, controlada, respeitando os seus trabalhadores e procurando contribuir para o desenvolvimento das suas economias nacionais e de relações com outros países e zonas económicas.

    Mas isto é tudo o que Elon Musk não faz, mesmo sendo altamente carismático e fumar um bocado de marijuana para mostrar que é muito liberal.

    Efetivamente, apesar de uma grande imagem de relações públicas que passa, as suas atitudes demonstram que, de maneira geral, ele só quer saber é do seu dinheiro e mais nada.

    Neste sentido, é desafiante uma pessoa não se exaltar com isto e ainda pior quando se abordam questões como o conflito atual que lavra em terras europeias.

    Um conflito que ceifou 4000 vidas, desnecessariamente, tudo devido à perfídia e cupidez desenfreada do complexo militar-industrial americano, e que ceifou hoje mais 5, deixando 18 feridos, após os Ucranianos terem bombardeado edifícios residenciais e escolas na cidade de Donetsk, suspeitando-se que foi utilizada a artilharia proveniente dos EUA.

    Por outro lado, a Europol confessa preocupações pela quantidade de armamento que se encontra em circulação pelo continente europeu, relembrando que ainda hoje são utilizadas armas que ficaram à deriva em círculos criminosos desde o tempo da campanha idiótica que foi o bombardeamento da Jugoslávia e os conflitos nos Balcãs, urgindo cuidado para que não nos tornemos num continente assolado pela praga que são as armas.

    Estou confiante de que a Europa vai conseguir libertar-se de uma anátema, mas isso implica, como dizia António Garcia Pereira há uns dias, que “nós somos a resistência!” e que essa não perca força!

    Havendo pessoas interessadas e conscientes das situações, haverá sempre uma resistência capaz de enfrentar as dificuldades criadas por líderes gananciosos. E esta página representa isso mesmo!

    A Estátua de Sal tem prestado um serviço público indispensável e qualquer democrata que se preze reconhecerá exatamente isso!

    Nesse sentido, um diálogo que respeite os outros é imperativo, e é o mínimo que deve ser feito pelo blog e seu, ou seus, administrador(es).

    Novamente, apresento as minhas desculpas por qualquer exaltação desnecessária!

    Cumprimentos e continuação de uma boa semana!

    • Obrigado pelas suas palavras. A Estátua está sempre ao lado dos injustiçados e sempre contra o espírito de rebanho. Continue com os seus comentários. São o testemunho de que ainda há quem pense e que resiste – como nós.

  8. O dono do Chelsea recebeu a nacionalidade portuguesa. Também deve ter sido para branqueamento de capitais. Será que alguns euros da compra foram oferta do governo português?

Leave a Reply to jp Cancel reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.