Notas a uma viagem fraldiqueira

(oxisdaquestao in blog Oxisdaquestao, 23/05/2022)

Tem Vosselência de desculpar. Ao ver o gosto que sentiu no meio de nazis, ao presenciar a desenvoltura com que tratou com eles, ao ver a sua felicidade estampada no rosto decidi-me a fixar estas notas sobre a sua viagem ordenada pelos que mandam no Ocidente, Vosselência incluída.

Um pequeno reparo: devia o Mário Machado, o nosso nazi encartado, ter acompanhado o senhor, ele que traria a faixa com as caras do Rosa Casaco, do Botelho Moniz, do Pinto Leite (Lumbrales) e do Júlio Evangelista para mostrar em Kiev que não são só eles os adeptos do nazismo. Nós também temos as nossas figuras …

A viagem que ordenaram a Vosselência foi organizada ao nível de uma agência mundial (tipo Abreu, Viagens Atlântico…) tão correto foi o seu desenho pelo que dele salta à vista: fizeram-no chegar à Roménia (onde o Ceaușescu está banido e os ciganos têm o seu CDS à perna) que, sem grandes alardes, tem no seu território bases de mísseis dirigidos a Moscovo para um voo de 5-7 minutos e por isso recebe uns milhões de dólares anuais a serem distribuídos pelos da corrupção militar da NATO, fora diplomáticos adidos à CEE e oligarcas anti russos. É na Roménia que estão agora as fronteiras que o governo socialista do Senhor, Vosselência, tem de defender com pê jotas, gê nê erres e guardas-fiscais do tabaco e bebidas alcoólicas de contrabando. Convenhamos que é de génio ter as fronteiras tão longe para serem defendidas à base da fé e numa geografia que o inimigo não entende!

Passou Vosselência à Polónia, país com o qual temos absolutas afinidades de toda a espécie, sobretudo se pensarmos na devoção do terço e do rosário, fora as missas e os milagres, instituições de largo consumo nos dois territórios. Varsóvia pode ensinar como se vive do ódio a situações passadas, ter um papa colaborador da CIA e um Waleza de bigodes à Lech, que feito o servicinho de destruir uns estaleiros que faziam uma concorrência dos diabos aos do capitalismo, pura e simplesmente desapareceu!

A Polónia tem ainda o segredo de como ser governada por gémeos, simbiose das simbioses entre o chefe do Governo e chefe do Estado. Um verdadeiro achado a ser copiado, género fazer de Sérgio Sousa Pinto um vero gémeo de Paulo Pangel e levá-los às chefias mais altas da nação, a nossa…

Chega Vosselência à terra dos nazis e não faltam fotografias a documentá-lo. Diz-se que V. se chocou com o cenário de guerra; compreende-se: Vosselência nunca prestou atenção aos efeitos que 8 anos de guerra provocaram na população e infraestruturas das vilas e cidades do Donbass. Podia ter prestado mas não arriscou… Assim o seu currículo mantem-se impoluto e nada contaminado pela realidade o que o beneficia perante o Fórum Económico Mundial, os Bilderbergues e os Borreis de Bruxelas!

Repare que na comitiva que o rodeia para as fotos encenadas, pois claro, não há tatuados com suásticas, espadas medievais e citações de Hitler em letras góticas. Que cuidado teve a agência! Upa, upa… E alguém refere que Zelenski, o cómico-nazi, proferiu que o país de Vosselência está do lado certo. Ele ainda não sabe que V. mudou as fronteiras do país, não acredite sem mais nem menos, seja prudente… mas amigo de amizade nazi, como manda a NATO.

Outra preciosidade: a foto está composta ao milímetro. Eu explico: Vosselência segura com a esquerda, a sua da gaveta, a direita do cómico-nazi que se não é nazi, (ele diz que não por ser neto bisneto de judeu), é um ultranacionalista nas mãos de oligarcas pró-Ocidente fartos beneficiadores da situação bélica (as ajudas, as ajudas … ); faz uma expressão ternurenta, olhos fechados, sorriso baboso, cabeça inclinada em sinal de submissão e pedido de autógrafo a seguir; estão apenas os dois, não há comitiva nem nazis tatuados e com tochas a arder (é de dia !). Tudo previsto!

Resumindo: não fora o ambiente de nazismo direto onde V. viveu três dias, pelo menos, a sua performance seria de se lhe tirar o chapéu e dar à nação azo para regurgitar de orgulho. Mas com nazis ninguém se meta e é estranho que Vosselência que se diz defensor da liberdade do tal socialismo que a mesma invoca, aceite e confraternize com essa escumalha hitleriana, totalitária, agressiva, sangrenta, cruel e soturna! CEE obriga, pois claro…

Antes tivesse ido Vosselência para frade nos tempos de D. João V e ser espreitador de Odivelas… Digo-lhe que nada é impossível hoje em dia: basta fazer propaganda que tudo pode acontecer aos olhos do rebanho! Até o Sérgio Sousa Pinto ser gémeo do Paulo Rangel e chegarem os dois a governar Portugal com a fórmula polaca. A sério!

Um último pormenor: numas fotos, Vosselência de mangas arregaçadas, olhar intrépido e vasculhador. Na outra, de casaquinho e gravata. Bem haja a compostura e o guionista de Hollywood que o acompanhou.

Fonte aqui


Gosta da Estátua de Sal? Click aqui.

8 pensamentos sobre “Notas a uma viagem fraldiqueira

  1. Poderia ter sido Putin ou algum pau mandado a escrever este texto. Na arte do engano Putin é mestre. Lança os cães contra os nazis da Ucrânia mas recebe na sua casa todos os líderes da extrema- direita mundial e subsidias-os nas campanhas eleitorais

  2. Sucede, é o que consta, que o sô Costa não bateu palmas quando o clown de Kiev falou do plasma para o Parlamento português. Informante da NATO ou do Atlantic Council bufou logo para Bruxelas. “Olho no Costa, olho no Costa!, o gajo não gosta do mártir de Kiev!” Do Costa diz-se, é o que consta, que tem tacho garantido na Comissão de Bruxelas. Pelos abéculas que enxameiam aquilo, não admira! Pelo racismo fóbico que lá impera, o Costa fica bem na fotografia e sempre cala as bocas do mundo menos racista e colonial. Ora bem, Costa tem tacho à espera dele, é questão de tempo.
    Para dispersar dúvidas, a NATO exigiu que ele fosse a Kiev, ao beija-mão. Costa sabe-la toda. Ui, ui, a destruição que ele não viu! Mortos, vivos, aleijados. Os seus Pê-Érres andaram numa fona. António, é o que eu te digo, o tacho de Bruxelas está no papo. Só tens que te escandalizar, ui, ui, tanta destruição! Por favor, António, não fales da Albright americana com as suas 500 mil crianças assassinadas no Iraque, que ela achou que valeu a pena. Não é altura, António, pensa no teu tachinho em Bruxelas.
    Em Kiev Costa fez um figurão. Ui, ui, tanta destruição! Mais 250 milhões para armamento e corrupção.

  3. A primeira fotografia traz o subtítulo: “O Presidente da Ucrânia diz a Costa “Portugal está do lado certo da História”. Pus-me a pensar nas palavras untuosas do cómico ucraniano sobre o lado certo de Portugal na História. Na fotografia vemos o Costa a arregaçar as mangas, infelizmente não pudemos ver as suas emoções ao ouvir de um cómico farsante que o seu país, COM ELE COMO PRIMEIRO-MINISTRO, “está do lado certo da História”.
    Um português sério e senhor de si, ao ouvir isto de um cómico sustentado por nazis, banderistas e outra escumalha humana, mandava-o logo para aquele sítio que não posso dizer agora. O Costa, COMO PRIMEIRO-MINISTRO DE PORTUGAL, teve uma ideia sem dúvida genial, foi ao dinheiro dos portugueses e passou-lhe para a mão um cheque no valor de 250 milhões de euros. Em qualquer circo de aldeia qualquer palhaço esforçado lhe poderia dizer o mesmo e nem por isso o Costa lhe daria cinco euros.
    Vai sendo tempo de Costa ir para Bruxelas, pois é regra de ouro da competência que um homem deste calibre e com esta generosidade, merece um posto superior. Para progredir na carreira basta pedir explicações à senhora Von der Leyen.

  4. O Costa,quando crescer, ainda vai dar gente !
    Olhai os irmãos dele, indianos, cpmo já se puseram a toques ! Sabedoria oriental !!!

Leave a Reply to Joaquim Camacho Cancel reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.