20 Valores para António Costa

(Por Estátua de Sal, 27/03/2020)

Apesar de temas e polémicas não terem faltado, tenho andado um pouco calado, sem escrever, limitando-me a publicar aqui textos de outros que me mereceram atenção. E isso, tenho-o feito diariamente, sem quebras de ritmo.

Contudo, hoje decidi sair da “quarentena” para me pronunciar sobre os comentários de António Costa acerca da forma como a União Europeia está a enfrentar a crise sanitária e económica emergente da pandemia, mormente as declarações do Ministro das Finanças holandês, criticando a Espanha por não ter preparado as suas finanças públicas para enfrentar a chegada do vírus. (Fonte aqui ).

Costa disse, e disse bem, alto e bom som para quem quisesse ouvir: É repugnante ouvir tais declarações proferidas por um Ministro das Finanças de um país europeu. Nada mais verdade. Sim, é repugnante colocar a mesquinhez acima das vidas humanas e da solidariedade que deveria existir entre os países que formam uma suposta União. Só que os holandeses não desiludem: sempre viveram da pilhagem e do saque aos outros povos, campeões da pirataria atacando os navios mais desprotegidos, especialmente nos séculos XVI e XVII, e esta União Europeia que eles não querem que mude, é um eficaz mecanismo económico que desvia recursos imensos dos países da periferia para os países do centro da Europa. Ou seja, é a pirataria dos tempos modernos, prosseguida sem canhões nem pólvora.

Assim os efeitos do vírus, sendo catastróficos, tem para já um lado positivo: tornam claro que não há União Europeia nenhuma, que na hora da verdade a atitude não é comum e que o que sobressai é uma postura de “salve-se quem puder”. Sim, qual Europa? A dos mercados que se querem sem fronteiras para que os lucros sejam mais chorudos e encaminhados para os paraísos fiscais que a própria Europa alberga? Sim, é apenas essa que existe. E quem tinha a ilusão de que havia outra ou de que era ainda possível construir outra – como António Costa, um assumido europeísta -, deve-as ter perdido definitivamente.

Não, António Costa não se excedeu, (Fonte aqui ). contrariamente ao que é dito por alguns antipatriotas que por aí circulam, vozes da direita troglodita que já saliva pelo poder a cavalo nas desgraças da pandemia. Manifestou apenas a sua desilusão e profunda irritação adjectivando o ministro holandês da forma que ele merecia. É por isso que Costa, com quem nem sempre concordo e a quem critico muitas vezes, merece neste particular um meu caloroso aplauso.

Sobre o vírus e sobre as suas consequências económicas e sociais futuras, a minha leitura é mais que pessimista. Não vou esmiuçar cenários. Limito-me a dizer que penso que será muito pior do que aquilo que hoje somos capazes de antecipar.

Resta-me a consolação de que, sobre os escombros do que aí vem, sejam enterradas definitivamente as narrativas funestas do capitalismo desregulado, da eficiência dos mercados, do neoliberalismo selvagem e do Estado minimalista. É que, na hora do aperto, como agora se vê, até os liberais mais devotos clamam pelo Estado interventor para os salvar, como se tem visto pelo coro de aflitos que o nosso empresariado tem dado à estampa.

Sim, na hora do aperto, somos todos socialistas e apoiantes da gestão centralizada da economia já que, defender a implantação do estado de emergência equivale, entre outras prerrogativas, a dar ao Estado o poder de dispor dos meios de produção e das empresas de acordo com um desiderato colectivo que é colocado acima dos interesses privados.


Advertisements

7 pensamentos sobre “20 Valores para António Costa

  1. Também tu, Brutus?

    ______

    Vamos lá a saber
    27 MARÇO DE 2020 15:00 POR VALUPI Deixe o seu comentário

    1. Quem é que salvou Portugal da tragédia da Segunda Guerra Mundial?

    a. José Sócrates
    b. António Costa
    c. António de Oliveira Salazar

    2. Quem é que salvou Portugal e os portugueses, qual o político que mais pugnou pelo projecto Europeu, pela importância das Nações Unidas na resolução dos conflitos, quem abriu as portas a António Guterres, quem mais profundamente apontou o caminho para uma Esquerda moderna, quem é que os militantes-totós do Partido Socialista mais amaram, quem salvou a Fernanda Câncio da chatice de uma carreira profissional sem pica no DN e acendeu a sua caliente fogosidade nas águas de Formentera, ai a Sandra!, quem salvou o adorável VaLULUpi que então estava à beira do suicídio assim se correndo o risco de se perder uma das mais luminosas cabeças de burro, perdão, as suas lambidelas na minha cabeça, a dondoca d’Um Jeito Manso de uma triste rotina na sua vida uma vida conjugal da Dondoca d’Um Jeito Manso, salvando-os da indigência, conferido uma nova vida ao aparentemente cansado José Neves com o seu pujante estilo literário, aos camaradas Joaquim Vassalo de Abreu, Virgínia da Silva Veiga, Carlos Esperança, Armando Vara,Jorge Coelho, António Votorino, Vitalino Canas, Sérgio Sousa Pinto, Tiago Barbosa Ribeiro e, acima de todos, ao imperdível Dieter Delinger, todos com uns intelectos superiormente apetrechados graças a Mim, os simples mas sinceros pensamentos de José do Remanso Pernalta, do Joaquim Madeira, do calhambeque, do Moura, eu sei lá!, da troupe do Aspirina B que antigamente obedecia a uma besta tristemente sóbria sem conhecer/em os prazeres das bebedeiras provocadas pelos mais refinados licores, pelos penalties da bagaceira uma Aldeia Velha e pelos garrafões do tinto, quem conheceria hoje a enorme capacidade profissional que sem favor os tribunais portugueses, sem excepção!, reconhecem aos licencoados João Araújo e Pedro Delille, um Domingos Farinho, um Rui Rangel mesmo o João Perna, os meus amigos Carlos Santos Silva, Ricardo Salgado, Rosário Teixeira e… Carlos Alexandre? Quem, porra?

    a. José Sócrates
    b. José Sócrates
    c. José Sócrates

    3. E quem está prestes a salvar Portugal da pandemia do Covid-19?

    a. António de Oliveira Salazar
    b. António Costa
    c. José Sócrates

    Enjoy it, cuidem-se!

  2. Soy española,agradezco mucho a Antonio Costa,la defensa que hace de mi país.Ciertamente,los pueblos del sur siempre somos mirados como de segunda categoría por los del norte,pero se olvidan que todos ellos quieren venir a visitarnos e incluso vivir aquí.No se puede construir la UE sin prejuicios y fobias de todo tipo.
    Por último decir que España,es y ha sido,una gran nación; saldremos adelante,no hay duda.
    Amo Portugal.

  3. Não poderia estar mais de acordo com toda a prosa que envolve o elogio à atitude de António Costa. A União Europeia como espaço de cooperação, solidariedade entre os povos, cidadãos do seu território, como nos foi “vendido” e imposto por alguns políticos e partidos, sempre foi uma miragem para benefício de poucos.

  4. É repugnante, mas também é velho. E consequências? Hmmm, uma cartinha com palavras mais fortes para a semana, não vá perder-se a ligação a uma organização que tanto faz pela solidariedade e pelo combate à globalização. E se lhe saltar a tampa, ainda toma uma cházinho com o Tsipras, que é para eles verem.

  5. Estou absolutamente de acordo com o texto aqui inserido. Também não sou um defensor deste governo ou de António Costa, mas sem dúvida que este tem assumido uma clara posição de defesa da nação e do seu povo. E, como de costume, há sempre países que só querem explorar os mais pobres e só procuram os seus interesses de forma desumana e egoísta. Também não sou do PSD, mas gostei de ver a forma como Rui Rio (de quem não simpatizante) se colocou de forma clara e inequivoca a favor da união de interesses e defesa nacional neste momento de crise.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.