A campanha eleitoral para as eleições legislativas começa amanhã

(Carlos Esperança, 21/09/2019)

Devo aos jornais, que teimo em comprar, saber que amanhã, dia das eleições regionais da Madeira onde 43 anos ininterruptos de PSD vão prosseguir com a ajuda de alguns milhares de votos de retornados da Venezuela para quem a palavra socialismo é associada ao regime de que fugiram.

Se não comprasse o jornal diário, cuja falta considero imprescindível e empobrecedora, pensaria que a campanha eleitoral destas legislativas tinha começado com a insistência de Cavaco Silva a querer impor ao País um governo de Passos Coelho/Paulo Portas, com o velho salazarista a desafiar a AR e a esconjurar o Governo apoiado pelo PS, BE, PCP e PEV no órgão próprio e único do qual depende.

É ocioso recordar os prejuízos provocados ao país por esse PR enraivecido, a quem as vacas dos Açores sorriam, e que, alheio às reações dos mercados que decidem os juros da dívida da República e aos votos de todos os portugueses, vociferava contra o governo legítimo.

Felizmente, a credibilidade com que deixou Belém era igual no País e no estrangeiro, e a campanha eleitoral do PSD, prosseguida pelo ora catedrático Passos Coelho, a insistir na vinda do Diabo, levou ao descrédito do partido que, daqui a duas semanas, os seus sequazes vão atribuir a Rui Rio.

A propaganda sobre a dúvida dos resultados, se o PS tem ou não maioria absoluta, como se a hipótese alguma vez se pusesse, esconde o desejo dos adversários de Rui Rio para que a derrota se avolume, jogando com o medo de que o BE e/ou o PCP possam decidir a governação em vez de a influenciar.

O mesmo coro, à esquerda, tem o natural objetivo de disputar o voto que pode alterar a correlação de forças, sendo certo que nenhum partido quererá suicidar-se, se os eleitores o responsabilizarem pela rutura da frutuosa solução governativa desta legislatura.

Advertisements

10 pensamentos sobre “A campanha eleitoral para as eleições legislativas começa amanhã

  1. Nota. Ó Carlinhos: deverias era dizer isso ao António Costa que andou, TODOS os dias desde o mês de Julho, em campanha eleitoral com o dinheiro do Orçamento de Estado. Eu alembro-te: quando passou uma semana inteira a “inaugurar” centros de saúde que funcionavam há meses, na companhia de um novo secretário de Estado da Propaganda, Duarte Cordeiro de seu nome que então debutava, e da arvela faladora que é ministra da Saúde que tinha mandado a PIDE, perdão, uma inspecção para as instalações da Ordem dos Enfermeiros. Depois foram os comboios, os barcos do Montijo. a orgia do passe social, a birra da ameaça de demissão como PM para salvar a sua pele à frente do PS e assim teve um resultado sofrível nas Europeias com um candidato miserável. E continuou a dança, apresentando-se cada derrota com mais uns sacos de areia para enganar o pacóvio: lembras-te das tais noites de sonhos molhados em que o António Costa se transformou no Desejado para um cargo europeu na nova Comissão? E a do Mário Centeno, aquilo eram favas conadas pá! Aldrasssssssssss!… E hoje, do bojo de tão descarado aldrabão, saiu mais uma daquelas frases de quem anda mas é este tempo todo a gozar com a malta… É LIGHT, é hard?, como a Ana Catarina Mendes já dito. Vão pastar, pá.

    LEGISLATIVAS 2019

    António Costa justifica campanha mais ‘light’ do que em 2015. “Tenho um país para governar”

    15h00 ISABEL PAULO E RUI DUARTE SILVA

    No Expresso, online.

    https://images.impresa.pt/expresso/2019-09-22-06_RDS_CostaEspinhoLegislativas3C8A9490.JPG/original/mw-680

    Legenda: A falta de vergonha de António Costa, hoje.

    • Adenda. Eheheh, isto está no Expresso online! Quando um administrador da TAP serve para isto, schhhhiiiiiiii, é de ter medo, muito medo, pois os tipos do PS abocanham tudo de facto…

      […]

      Na RTP, Bernardo Trindade, o madeirense que integra o Conselho de Administração da TAP por indicação do Governo, considera que se vive hoje na Madeira “um dia absolutamente histórico”, graças “ao fim do poder absoluto”. “Esta mudança de paradigma consegue-se com uma elevada taxa de participação”, uma mostra de “vontade inequívoca de mudança” por parte dos madeirenses, sublinha. E garante que, perante estes resultados, se pode concluir que “o PS ganha em toda a linha: ganha deputados ao PSD, ao CDS, a toda a esquerda” – mesmo que não consiga ficar à frente do PSD, como se prevê.

      https://expresso.pt/politica/2019-09-22-Em-direto.-Projecao-PSD-ganha-mas-acabou-o-tempo-das-maiorias-absolutas-na-Madeira

      • Adenda da adenda. Apesar de o Paulo Cafôfo ainda ter lançado uma isca ao CDS, fantástico!, para formar um governo estrambólico na Madeira o que se pode dizer hoje é que a maltinha do Partido Socialista ainda não é desta vez que vai ao que sobra do pote ilhéu. Como penso que o Cafôfo se demitiu mesmo da CM do Funchal, certo?, estará numa situação sui generis de ser deputado independente do PS em que, naturalmente, não será ele o líder da bancada. Talvez a pensar nisso, o António Costa ontem apareceu cabisbaixo nas TV’s, coitado!, e pelas suas palavras parece que se prepara para lhe oferecer um tacho que dure enquanto dure. Ou seja, quanto anos e que dê visibilidade ao seu cavalo de corrida… Até porque, noto, não existindo uma maioria no parlamento, por mais que o PS torça o pescoço, o tipo ou outro do PS estão arredados de serem o/s presidente/s da Assembleia Regional (e só por parvoíce o PSD/CDS cairiam na esparrela)… O que acham, pás?
        ,
        #desempregado

        • Adenda. Chamo a atenção para a categoria “cavalo de corrida” que também é utilizado pelo PS em “lugares impossíiveis” e que esconde, e sei do que falo!, uma série de gajos das estruturas completamente incompetentes e sem préstimo para qualquer função e que estão, há anos, ávidos para se lambuzarem como uma vara de porcos no pote dos cofres públicos. Seja no poder municipal, em que estas lógicas familiares têm gerações, seja no poder regional como vimos com o caso do Paulo Cafôfo (depois de entrarem no aparelho de Estado, a malta do PS não o larga e, pelo contrário, multiplica-se e permanece… os Cafôfos abriram a porta, mas passam à história). Ainda um dia voltarei a este assunto, é importante que é uma das partes integrantes da cultura de corrupção (RFC dixit) que fazem parte do ADN do PS.

          Pernalta, a Pipi Das Golas Altas: tantos lugares-comuns e tanta parvoíce congénita até dão pena, acredita em mim.

  2. Os factos pós-legislativas madeirenses, apesar dos “sonhos molhados” da MOSCA :

    O PSD, ao fim de 43 anos, perde a maioria absoluta !

    O Rei-Momo, regressado à cena para dar “uma ajudinha” ao Miguel Albuquerque, revela agora, na TV, com ar muito condoído, que este resultado eleitoral, “se deve aos primeiros anos do “Miguelito” nos quais, segundo A. João, se entreteve a atacar a “obra” dele ! E subliminarmente, deixa perceber que, nem as “pazes” nem a “ajudinha”, serviram de grande coisa !

    Um ingrato, o “Miguelito” !

    E revela que AGORA, o PSD “tem que ser posto no estaleiro, para fazer consertos ao barco…”

    No “Contenente”, passa-se o mesmo ! Com uma variante : Rui Rio, o timoneiro salvador, tem que, primeiro, numa tarefa titânica, “limpar o convés”, deitar pela borda fora as ratazanas causadoras do escorbuto, e só depois, pôr o barco em doca seca, fazer um aturado restauro, com recurso a experientes “calafetadores” a quem não pode faltar uma grande quantidade de “estôpa”…

    Tudo isto, se ainda fôr a tempo, e se as ratazanas (e, por extensão, também “as moscas”…), não tiverem já destruído o leme, os mastros e as velas, transformando “o barco” numa canôa à deriva ! E a aproximar-se velozmente do “naufrágio” !

  3. […]

    A conversa que lhe interessava esta manhã, na margem sul do Tejo, era sobre a redução do preço dos passes sociais e o investimento em novos autocarros, comboios e barcos.

    Para isso, António Costa e a sua comitiva meteram-se nos respetivos carros bem cedo pela manhã, atravessaram a Ponte 25 de Abril e rumaram ao centro do Barreiro. À porta da Câmara Municipal, que desde as últimas autárquicas voltou a albergar um presidente socialista, esperou na paragem pela carreira 6, que liga o centro da cidade à estação da Fertagus, em Coina. Costa, mais o autarca socialista Frederico Rosa, mais o ministro Eduardo Cabrita, mais os secretários de Estado António Mendonça Mendes e Duarte Cordeiro, mais Ana Catarina Mendes (cabeça de lista por Setúbal) e ainda uma série de candidatos e um batalhão de jornalistas, todos ali chegados em viaturas próprias, ali ficaram à espera que passasse o autocarro, para poderem acompanhar o primeiro-ministro a andar de transportes públicos.

    No Expresso, online.

    https://images.impresa.pt/expresso/2019-09-24-thumbnail_image1.jpg-2/original/mw-680

    Legenda. Olha para mim, a governar… A falta de vergonha de António Costa, hoje (remix).

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.