As grandes carreiras políticas já não dependem dos eleitores

(Daniel Oliveira, in Expresso Diário, 23/07/2019)

Daniel Oliveira

Christine Lagarde foi nomeada presidente do Banco Central Europeu e é preciso substituí-la no FMI. As transferências de verão estão ao rubro e o nosso Ronaldo das Finanças está na shortlist. Alguém confirmou que é provável que seja escolhido a Marques Mendes. Portugal, que se começa a especializar na exportação de burocratas, antecipa mais um momento de êxtase. Depois de Barroso e Guterres, com os enormes ganhos que todos sabemos terem representado para o país, podemos ter mais um dos nossos a brilhar lá fora. O nosso espírito de emigrante vibra com isto. Por mim, torço por Centeno em Washington. Não me parece que por lá possa fazer grandes cativações. Mas quem ache que ganharemos muito com uma possível nomeação deve fazer um balanço sério da passagem de Centeno pela presidência do Eurogrupo.

Não deixa é de ser curioso que uma organização tão ortodoxa como o Fundo Monetário Internacional pense em escolher Mário Centeno, ministro das Finanças de um Governo supostamente socialista. Ou houve uma revolução no FMI ou isto diz alguma coisa sobre o que tem sido a gestão financeira do nosso ministro.

Longe vão os tempos em que a grande ambição de um ministro das Finanças era chegar a primeiro-ministro e a de um primeiro-ministro era chegar a Presidente da República. Isso é tão século XX. Hoje, uns e outros sonham com cargos internacionais. Daqueles onde realmente se manda, os eleitores não chateiam e ainda por cima se ganha bem. O que quer dizer que as grandes carreiras políticas já não se fazem com os olhos na democracia e no povo, fazem-se com os olhos numa classe global de burocratas sem nação, quase sempre amigos dos únicos poderes globais que sobrevivem: os económicos.

Sobretudo os ministros das Finanças, que concentram um poder absurdo nos governos. Escolhidos entre tecnocratas, estão muitas vezes acima dos primeiros-ministros que os cidadãos conhecem e em quem, de alguma forma, votaram.

Isto é bastante perverso. Porque quer dizer que quem governa já não o faz a pensar nos governados. Se tivessem ambições nacionais era isso mesmo que teriam de fazer. Esta nova estirpe de políticos governa para agradar as organizações internacionais, dominadas pelos Estados mais poderosos. E a lógica é tão perversa que já conseguimos convencer os eleitores de que um bom ministro das Finanças é o que nos trata mal para ter a simpatia externa. E é isso que explica que, em países periféricos como Portugal, os ministros das Finanças se tenham transformado em embaixadores das instituições europeias no Governo e não o oposto. Conhecemos as consequências: um défice muito aquém das metas que nos foram exigidas pela Europa. O país não precisa, mas o currículo técnico de Centeno sim.

Advertisements

5 pensamentos sobre “As grandes carreiras políticas já não dependem dos eleitores

  1. State of the art.

    Nota. Ó da Estátua, pá!, 11 comentários, 4, zero, 5, 3 e o caraças! Sabes se as tropas da administração do presidente Donald Trump, unilateralmente, estão a pensar em lançar um ataque contra a mais conhecida madrassa do herdeiro espiritual do Grande Satã Ayatollah, روح الله موسوی خمینی, vulgo o lindinho Valulupi? Ouvi uns rumores de que sim, no Twitter que é onde as coisas importantes se passam: que segundo o Mike Pompeo, será um primo do rato?, o Aspirina B continua a ser um perigo para o Mundo Ocidental onde ainda há alguns taralhoucos sobreviventes que aprendem a xaria, o tafsir (interpretação do Coirão), a hadith (narrações do profeta José), a mantiq (lógica) e a história dos Tempos Gloriosos do Grande Profeta José Sócrates. O que acham, pás? Prelecções diárias do Doutor José Neves com barbas grandes, e um turbante na testa?

    Explicando só 4 comentários na madraça quando o tema é Sócrates
    23 Julho 2019 às 16:14 por Valupi 11 Comentários, grrrrrrrrrr!

    É unânime: um pulha é um pulha é um pulha
    22 Julho 2019 às 17:23 por Valupi 4 Comentários

    Revolution through evolution
    21 Julho 2019 às 19:52 por Valupi Deixe o seu comentário

    Encontrado o líder da bancada socialista para a próxima legislatura?
    19 Julho 2019 às 14:00 por Valupi 5 Comentários

    Coisas do Carvalho
    16 Julho 2019 às 17:58 por Valupi 3 Comentários

    Wow!

    • RFC, receito-te um psiquiatra dos bons (tenho muitos amigos na área e até te fazem um preço módico), para te tratar da paranóia que tens com o bafo do Sócrates e a pena escrevente do Valupi. É uma pancada e peras a merecer tratamento urgente, para teu bem. A sério que estou deveras preocupado. É que podias usar a tua energia e imaginação em causas muito mais nobres e úteis à Comunidade. 🙂

      • Hum.

        Nota. Obrigado, pá, mas para mim não é preciso (afinal tratava-se um State of the art, modesto como são todas as coisas). Eu tenho uma velha teoria publicada sobre os efeitos dos reality-choques na estabilidade mental dos seguidores do Grande Profeta José e do herdeiro Grande Satã, o Valulupi, e olha que quer-me cá parecer que tu também não te safas… bem, tem dias (é como os velhotes: uns dias piores, uns dias melhores mas cá se vai indo, compadre!). Mas há piores, o Camacho Costa por exemplo…

        • Adenda. Incuráveis acho, era isso que queria dizer com os piores (junta o calhambeque e o Lucas Galixo, perdão!, Galuxo). Vendo bem, piores ainda?!, vou pensar e digo-te qualquer coisa depois.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.