“Quem não é aqui não é lá”!

(Joaquim Vassalo Abreu, 05/04/2019)

O Rangel com cara de Moedas e o Moedas com cara de Rangel

O Sérgio Godinho há uns anos atrás escreveu uma canção, querendo dizer isso mesmo, e a que deu o título de “Pode Alguém Ser Quem Não É?”. Mas, mesmo sendo o Sérgio um mestre da simplificação, o Povo consegue sê-lo ainda mais e este dito popular serve que nem luva para o que a seguir vou escrever!

Vem a propósito daquele cartaz que diz “ MARCAR a DIFERENÇA”, não só na Europa mas também aqui e em que, por debaixo de uma foto, aparece o nome de Paulo Rangel. Quando há dias o vi achei-o muito estranho, e antes mesmo de vociferar o “ marcas a diferença é o…”, parei o carro e olhando bem para a foto pensei: és o Rangel o tanas…és mais um “ porta moedas”!

É que de tanto a foto ter sido retocada ele virou um quase Moedas, o seu ídolo! Ora reparem…! Para mim só existe uma explicação plausível que é a de, tendo os supra sumos do marketing escolhido aquele “slogan”, encontrarem alguma referência que ao mesmo desse alguma credibilidade! Daí o terem travestido de “ porta moedas” do Moedas!

Porque o “ Marcar a Diferença”, mas pela positiva, exige não ter-se apenas algo mas sim muito mais do que o simples ocupar de um lugar onde pretensiosamente, mas sem a concordância dos seus pares, ele afirma que é o melhor ou dos melhores. A ponto de, num assomo de ridícula soberba, afirmar ser o seu principal adversário “muito fraco”.

Mas “Marcar a Diferença” num lugar que se ocupa já há muitos anos deveria ter como pressuposto único o tê-lo feito ao longo desses mesmos anos. E não é o bastante estar disso convencido no seu narcisismo parolo: é preciso que os outros o reconheçam! É que não basta reconhecer que há verve: é preciso que haja conteúdo!

E quanto ao seu Moedas recordo um episódio demonstrativo do que é não “marcar qualquer diferença” e, mesmo assim, possuir-se a arrogância de quem se acha muito! Enquanto Secretário de Estado e Ministro adjunto de Passos foi ele o grande ideólogo daquela peregrina ideia de subir a TSU aos empregados e descê-la aos patrões.

Num Expresso da Meia Noite estavam a discutir o caso e entre eles estava o Augusto Santos Silva, Professor na FEC do Porto e Ministro de várias pastas. ASS contestava tal medida e o Moedas, num assomo que só poderia ser por brincadeira (mas não era) diz para Santos Silva: mas eu posso “ensinar-lhe” os porquês da bondade da medida! O Santos Silva, apalermado, retorquiu-lhe: Você vai-me ensinar?

E, quanto ao conteúdo, o que é que durante estes anos todos em que é deputado no Parlamento Europeu foi notícia ser de sua lavra determinada posição, intervenção ou iniciativa? Apenas uma: a de ter apelado à Comissão para que penalizasse Portugal pelo défice excessivo…Mas que vergonhosa porca miséria!

“Marcar Diferença” seria ter conseguido ser uma voz de Portugal ouvida e escutada mas na defesa dos nossos interesses, do Povo quero eu dizer, e não só da sua vidinha…

E, já agora, do seu ídolo, do alforge Moedas, que dizem as crónicas da sua actuação enquanto Comissário? Nada vezes nada! O mesmo que o “porta moedas” Rangel e o sempre esquecido Constâncio: andaram e andam por lá! Trataram das suas vidinhas, é óbvio, mas que mais? Marcaram a diferença? O “tanas”! Vão marcar agora? O “tanas” também…

Mas o “porta moedas” do Moedas para além de andar por lá, preferencialmente fazendo tudo o que pode para denegrir o Governo progressista do seu próprio País, e é apenas isso que dele se ouve, anda ao mesmo tempo por cá! É que como deve ganhar pouco por lá, precisa de andar por cá para compor os seus parcos proventos…

Mas até pode ganhar muito dinheiro, mas não vale nada, nem aqui nem lá!

Porque quem não é aqui, nunca o será lá!


Advertisements

Um pensamento sobre ““Quem não é aqui não é lá”!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.