O último pote

(In Blog O Jumento, 16/02/2017)
um-artista

                                                                Um verdadeiro artista

A crer naquilo que se vai ouvindo a propósito do folhetim Domingues este senhor foi traído por um malandro chamado Centeno (o que se poderia esperar de um mafarrico com um apelido espanhol que em português é centeio? É óbvio que se teria de ouvir muito burro a zurrar com cheiro a palha) prometeu-lhe uma CGD com ordenados e prémios iguais ao do sector privado e sem ter de suportar a curiosidade da populaça, com vícios delegados em jornalistas do CM ou do Sol.
Vendo o seu amigo traído, surge um bom cristão, um tal Lobo Xavier que aparece sempre que cheira a palha, personalidade que como todos sabemos anda neste mundo movido pelo desejo de fazer as boas acções necessárias para ter pontos suficientes no seu cartão de cliente do Céu, a fim de poder abrir as portas do dito, dispensado de terços e penitências e outros bilhetes.
Toda a gente sabe que Lobo Xavier é o cristão mais franciscano que anda acima da terra, homem  despojado de riquezas e mais isolado dos vícios do mundo do que os monges da Cartuxa.
Os nossos deputados, gente que cada vez que dizem uma mentirita a primeira coisa que fazem quando chegam a casa é apertar as partes íntimas com o cilício devidamente certificado e desinfectado, estão indignados com a hipótese de o mafarrico espanhol ter dito uma mentira dentro desse santuário da verdade que é o nosso parlamento. Num hemiciclo onde metade das intervenções resultam de pedidos da palavra em nome da defesa da honra, o pecado da mentira é um pecado mortal, e não admira a reacção digna de meretrizes ofendidas a que temos assistido.
Não, o Domingues e os seus amigos, gente que como se sabe pertence a essa nobre estirpe de banqueiros portugueses, verdadeiros exemplos de honestidade e competência, como se pode ver pela situação brilhante em que estão todos os bancos portugueses ou que o eram em tempos mais recuados, não iam gerir a CGD para ganharem prémios chorudos, como fizeram muitos gestores da nossa impoluta banca. Iam servir o país e como gestores franciscanos e só se sentiam obrigados a prestar contas a Deus porque só a isso está obrigado um bom cristão.
Não, o Lobo Xavier não tem o mais pequeno interesse nos muitos milhões da CGD, nem ele nem os muitos interesses que representa teriam interesse nos créditos, na litigância, nos PER ou nos muitos negócios da CGD. A sua presença no processo foi apenas para divulgar os emails e os SMS privados do Centeno, às mijinhas, porque o seu amigo Domingues é muito envergonhado e não se sente à vontade com jornalistas e políticos da direita, até porque o pobre banqueiro começou a sua escolinha no MRPP.
Não, os muitos milhões da CGD seriam um fardo para qualquer um, um trabalho muito penoso. A má cobrança de muitos milhões em dívida e os muitos milhões disponíveis para muitos créditos não interessavam a ninguém. A própria presença de Lobo Xavier e de muitos dos deputados esganiçados da direita são a maior garantia de que qualquer relação entre aquilo que se passa e a vontade de ir ao pote é pura coincidência.
Enfim, por este andar até me vou tornar um devoto do Paulo Macedo, comecei por defender esse Domingues e dou comigo a sentir-me na obrigação de uma pesada penitência, dando graças a Deus por terem metido o Macedo na CGD; ou estou muito enganado ou com essa mudança salvei o que me resta dos subsídios de férias e de Natal.
Anúncios

7 pensamentos sobre “O último pote

  1. O lobo finalmente vestiu a pele.
    A pele de lobo-cão de guarda de merceeiro vendido aos espanhóis (opa para entregar a PT à Telefónica e de banqueiros espanhóis mesmo (BPI). Um perfeito chefe de escritório de advogados que saliva retórica pelo céu da boca em nome do céu dos anjos a favor de quem lhe paga ou lhe passa documentos pessoais que possam ajudar às suas maquinações políticas a favor dos seus patrões e partido. A favor desse partido pequeno de mais para a sua grandeza e importância de homem dos mercados relativamente ao qual prefere ficar a manobrar na sombra em proveito do seu mercado próprio.
    Desta vez desmascarou-se completamente e ficou nu, nuzinho sem a casaca de vestir pelo verso e reverso onde se esconde para só mostrar o sorriso sacana com que fecha sempre as suas explicações refinadamente retóricas usando sempre as duas faces de um caso, tese e anti-tese, para salientar a que lhe convém.
    Na última quadratura quando falava da CGD e perante a conversa acerca dos emails trocados, de repente, soltou a frase “mas há mais, há mais e mais explícitos que os mails”. Pelas afirmações já antes produzidas viu-se logo ali que o dito sujo já tinha conhecimento não só dos sms como do seu conteúdo.
    Por outro lado, e como diz o Jumento desde há dias, os do cds já tinham também conhecimento de tudo acerca dos ditos sms e por isso falavam descaradamente acerca de “mentir”ao Centeno. Os sms andavam, certamente, já por tudo o que é jornal e bufaria política a partir do bufo lobo que sacara ao amigo bufo domingues os sms particulares. De tal modo se deve ter sentido incomodado com a bufaria reveladora de sua própria miséria de carácter e do amigo banqueiro sonsinho que resolveu dar notícia deles ao próprio Marcelo num acto de escapulir-se, desse modo, fingindo ser um acto não de um bufo mas de um conselheiro de Estado.
    O lobo cão de guarda da pior velhacaria que por aí anda à solta e o seu amigo camarada banqueiro domingues, sonso requerente de privilégios éspeciais únicos, viram neste assunto a emboscada adequada para ferirem de morte o governo da geringonça mas, as suas actitudes são tão vis que vão muito para além de “denunciantes premiados” pois se armaram e actuaram como perfeitos tratantes bufos pidescos.
    Espero, que os portugueses lhes façam sair o tiro pela culatra e a bala lhes sirva de clister.

    Gostar

    • De um anonimo….

      Ora, o decreto-lei 39/2016 foi aprovado pelo Conselho de Ministros em 08 Junho, promulgado pelo Presidente da República, em 21 Junho [13 dias depois] e, bizarramente, apenas foi publicado no Diário da República, em 28 Julho [passados 137 dias após a sua promulgação!!!].

      Lendo os artigos, opiniões e comentários de vários jornais, é de bradar aos céus que, em Portugal, haja tanto aldrabão e, sobretudo, tanta ingenuidade neste povinho politicamente e civicamente analfabeto.
      Pois, embora toda a Geringonça esteja enterrada até ao pescoço nessa vigarice … e muitíssimas mais (que por todos os meios tentam camuflar do público), os três maiores culpados da Novela CGD são:
      — Marcelo, Costa e Centeno.

      NB: — Patriotas!
      Se não acordamos deste “Sonho Maravilhoso”, que já dura há mais de 40 anos, a Nossa Amada Pátria está perdida.
      Se continuarmos na “Câmara da Morte”, sem coragem para se dar cabo deste Regime Corrupto e Ladrão, os nossos netos e bisnetos iram-nos atribuir as piores blasfémias.

      Gostar

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bem vindo.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s